Rural

Senai Empresa desenvolve projeto de redução de custos para a suinocultura do Estado

Publicado

Com o objetivo de melhorar a produtividade e a competitividade dos suinocultores da Região de São Gabriel do Oeste (MS), o Senai Empresa, em parceria com o Sebrae/MS, Cooasgo e Cooperativa Central Aurora Alimentos, desenvolveu o Projeto Estratégico de Redução de Custos para a Suinocultura do Mato Grosso do Sul. O projeto, que foi iniciado em julho deste ano e concluído em novembro, já está pronto para ser implantado nas propriedades interessadas.

Segundo consultor do Programa Senai de Gestão Energética do Senai Empresa, o engenheiro eletricista Sebastião Dussel, o projeto consiste em avaliar o potencial de geração de energia elétrica com o biogás oriundo da suinocultura e fomentar ações de eficiência energética para a redução do consumo energético das unidades.

“A consultoria é iniciada através de visitas nas propriedades para o levantamento de informações sobre as instalações, na sequência é avaliado o potencial de geração de eletricidade a partir do biogás, seguido pela análise de viabilidade técnica e econômica de implantação. O trabalho é finalizado com um relatório técnico com objetivo de subsidiar a decisão do cliente por implementar ou não o projeto”, detalha Sebastião Dussel.

Ele explicou ainda que o biogás é um gás composto por dióxido de carbono e metano, resultado da decomposição da matéria orgânica presente nos dejetos por bactérias. “O metano é considerado um gás do efeito estufa, ou seja, altamente prejudicial ao meio ambiente. Desta forma o seu aproveitamento para geração de eletricidade é extremamente benéfico, pois além de promover a redução dos custos energéticos do produtor rural pela compensação energética, também auxilia na destinação ambientalmente correta deste resíduo do processo”, acrescentou.

O engenheiro eletricista do Senai Empresa, Elton da Silva Paim, destacou que durante o desenvolvimento do projeto, foi possível constatar elevado potencial econômico e a análise de viabilidade apontou para resultados extremamente positivos para os produtores. “Eles terão uma grande economia nos processos, resultado da compensação da eletricidade consumida pela unidade e que depende do consumo energético e do potencial de geração de cada propriedade”, disse.

Além disso, alguns produtores podem reduzir seu consumo para o valor mínimo da fatura, já considerando o crédito do excedente em outras unidades consumidoras sob sua titularidade. “É um projeto que se mostra de extrema relevância, principalmente porque no cenário econômico em que estamos, a busca por fontes alternativas de energia elétrica e a redução dos desperdícios associada à otimização dos processos são ações extremamente eficazes para reduzir os custos, melhorar a produtividade e elevar a competitividade”, finalizou Elton Paim.

Projeto Piloto

Inicialmente, o Sebrae/MS e o Senai Empresa definiram oito propriedades para participaram do projeto piloto de viabilidade econômica. “Durante um trabalho de qualidade de produção que desenvolvemos com os fornecedores da Aurora, entre eles a Cooasgo, percebemos que 10% do faturamento bruto dos produtores eram gastos com a conta de energia. Foi aí que tivemos a ideia de convidar o Senai Empresa para desenvolvermos em paralelo um projeto de eficiência energética”, comentou o analista do Sebrae/MS, Vitor Gonçalves Faria.

Para isso, foram propostas diversas adequações em equipamentos e maquinários das propriedades, tudo sob consultoria do Senai Empresa. “Primeiro a gente sabe que precisa fazer o dever de casa e depois ver a possibilidade de novos investimentos, que nesses casos são a implantação de gerador de energia a partir do biogás. O estudo de viabilidade já foi apresentado aos produtores e agora pretendemos implantar a partir de 2020”, acrescentou.

O presidente da Cooasgo, Sérgio Luiz Marcon, disse que a iniciativa de buscar o Senai Empresa para a realização do projeto de redução de custos para a suinocultura surgiu a partir de uma conversa com técnicos do Sebrae. “Os suinocultores da região estão vendo a oportunidade de reduzir os custos da produção e também a possibilidade de transferir essa energia gerada a partir do biogás para outras unidades, como residências e comércios, e diminuir muito os valores da conta de energia. Acredito que essa parceria com o Sebrae e o Senai Empresa vai fortalecer ainda mais a produção aqui na região”, destacou.

Comentários Facebook

Rural

Lançamento de cultivares da Embrapa atrai público do Showtec

Publicado

A chuva, no primeiro dia do Showtec 2020, 22 de janeiro, não afastou o público. Após participarem da abertura do evento, uma comitiva de autoridades, produtores e técnicos rurais seguiram para o estande da Embrapa para o lançamento de três cultivares: BRS 391, BRS 467 RR e BRS 544 RR.

José Renato Bouças Farias, Chefe-Geral da Embrapa Soja, em Londrina, apresentou as cultivares, livres de pagamento de taxas tecnológicas. As RR (transgênicas) possuem ampla adaptabilidade, alta estabilidade de produção e de produtividade. São boas para entrar cedo no sistema; são materiais rústicos, adaptados às regiões de todo Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo.

Farias também reforçou o papel social da Embrapa e afirmou que a Empresa continuará com o desenvolvimento de cultivares convencionais. “É um pedido dos produtores rurais que sempre nos perguntam se continuamos a produzir esses materiais”. A recém lançada BRS 391 é um material que incorpora a tecnologia Block, possui maior tolerância ao percevejo, importante praga no Estado de Mato Grosso do Sul. “A convencional pode ter um ganho maior de mercado, com altíssimo teor de proteína, bem acima da média nacional. A gente espera que isso atenda a demanda do mercado, do produtor rural e do consumidor final”, disse.

Ele convidou a todos a conhecerem o banco ativo de germoplasma na Embrapa Soja (Londrina, PR), coleção com mais de 65 mil tipos da oleaginosa. “É uma responsabilidade da Embrapa com o Brasil. Em termos de genética de soja, a gente tem independência total do mundo. Ela é base de várias cadeias e é estratégica para isso”.

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, destacou a importância do trabalho da Embrapa, que “nos dá opções a partir dos trabalhos da pesquisa realizada, com a disponibilidade de variedades ao setor produtivo brasileiro. Com relação à convencional, essa dupla aptidão dá competitividade a esse nicho de mercado que ainda é existente e que está em crescimento no Brasil”.

O Chefe-Geral da Embrapa Agropecuária Oeste (Dourados, MS), Guilherme Asmus, fez referência a um documento lançado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) com diretrizes baseadas nas questões de propriedade, inclusão e produção sustentável. “Os mercados hoje exigem que a produção esteja alinhada à sustentabilidade. É nesse sentido que a Embrapa tem trabalhado”, disse ao citar como exemplo as cultivares de soja lançados no Showtec. “São materiais que vão ao encontro da sustentabilidade: econômica, ambiental e com alto impacto sobre a sociedade”.

O presidente da Fundação Meridional, Josef Pfann Filho, convidou os presentes para conhecerem as tecnologias das cultivares de soja da Embrapa na vitrine tecnológica no Showtec. “As sementes básicas das cultivares lançadas já estão no campo e nos foram ofertadas e na safra deste ano o produtor já poderá ter acesso”, garantiu Pfan.

Luciano Mendes, presidente da Fundação MS, agradeceu a confiança da Embrapa e da Fundação Meridional por estarem em todas as edições do Showtec. “Eu digo e lanço o desafio: eu não conheço e provavelmente a gente não vai conhecer nenhuma fazenda no Brasil que não tenha pelo menos uma tecnologia da Embrapa implantada no seu sistema de produção de soja”.

Luís Alberto Novaes, presidente da Comissão de Grãos da CNA disse que a parceria entre a Fundação MS e a Embrapa “traz um ambiente institucional muito positivo para avançarem no desenvolvimento da pesquisa de Mato Grosso do Sul”. Ao citar as variedades lançadas, Novaes falou sobre a importância dos materiais convencionais. “A gente acredita nesses materiais para todo o ambiente de longevidade das tecnologias, de alternância de princípios ativos. Isso é muito importante, porque tem havido deficiência de materiais convencionais, e a Embrapa assume esse papel lançando cultivares de soja convencionais”.

Tecnofam 2020

O evento “Tecnologias e Conhecimentos para a Agricultura Familiar (Tecnofam)” foi apresentado ao governador de MS pela equipe da Embrapa Agropecuária Oeste. A Tecnofam, que é realizada a cada dois anos, terá sua quarta edição neste ano e acontece de 7 a 9 de abril. Várias parcerias são realizadas para o sucesso do evento. A previsão é que em 2020 cerca de 3500 pessoas participem.

Tecnologias no Estande da Embrapa

Além das cultivares de soja lançadas, também são demonstrados outros materiais, como as que possuem tecnologia Shield (tolerante à ferrugem-asiática), assim como seu posicionamento no sistema de produção para que a tecnologia seja bem explorada. Há também o espaço “ILPF realidade virtual”. O público entende como o sistema funciona usando óculos de realidade aumentada e entram em um labirinto e veem desde à fase anterior da implantação da integração até o sistema implantado.

Pesquisadores e analistas da Embrapa Agropecuária Oeste (Dourados, MS), Embrapa Soja (Londrina, PR), Embrapa Gado de Corte (Campo Grande, MS) e Embrapa Cerrados (Planaltina, DF) estão no Estande à disposição para atender o público e conversar sobre forrageiras para produção de carne e de leite, controle biológico, sistemas agroflorestais biodiversos, consórcio de milho com braquiária, cultivares de mandioca de mesa e para indústria; sanidade animal; previsão de geada; manejo de pragas e doenças; bioanálise do solo; manejo de carrapatos em bovinos; e discussões sobre a formação central das cooperativas de agricultores familiares de Mato Grosso do Sul.

Showtec – A realização do evento é da Fundação MS, com promoção do Sistema Famasul, Sistema OCB/MS e Aprosoja/MS. Patrocínio do Senar/MS, Sistema Fiems/Senai e Sicredi. Conta com o apoio da Febrapdp, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abstecimento, Embrapa, Fundems, Prefeitura Municipal de Maracaju, Governo do Estado de Mato Grosso do Sul – Semagro, Fundação Agrisus e Sanesul.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso do Sul

Para desburocratizar atendimento ao produtor rural, Sefaz implanta o Cadastro Eletrônico da Agropecuária

Publicado

por

Campo Grande (MS) – Para viabilizar a modernização cadastral imposta pelo Programa de Atualização do Cadastro da Agropecuária e do Estoque de Animais Bovinos e Bubalinos (PROACAP), a Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz) colocou em funcionamento o novo sistema de Cadastro Eletrônico da Agropecuária (e-CAP).

O projeto é uma iniciativa da Superintendência de Administração Tributária (SAT) juntamente com Coordenadoria Especial de Tecnologia da Informação (COTIN), e tem como objetivo desburocratizar o processo para o produtor rural obter a Inscrição Estadual, bem como simplificar a atualização de dados.

Com a entrada em funcionamento serão disponibilizados, já no novo formato, a atualização cadastral imposta pelo PROACAP, bem como os pedidos de inscrição, de baixa, de reativação e de suspensão. O PROACAP foi instituído pela Lei Estadual nº 5.338, de 30 de abril de 2019, a qual foi regulamentada pelo Decreto º 15.320, de 04 de dezembro de 2019 e tem como objetivo o recadastramento de todos os produtores rurais inscritos no Cadastro da Agropecuária (CAP) bem como o ajuste do Estoque de Animais Bovinos e Bubalinos.

Conforme o secretário Estadual de Fazenda, Felipe Mattos, a atualização imposta não incidirá a cobrança da Taxa de Serviços Públicos Estaduais e alcança todos produtores rurais, os quais deverão incluir o pedido de alteração cadastral nos seguintes prazos:

-até 31/05/2020 – produtores que possuam estoque de animais bovinos e bubalinos, no exercício de 2019;

-até 30/09/2020 – demais produtores.

Importante salientar que o arrendatário, cessionário, comodatário ou parceiro, somente poderá fazer a atualização do seu cadastro se o proprietário do estabelecimento já tiver incluído o pedido de alteração e este já ter sido homologado.

A Sefaz reforça aos produtores que observem atentamente os prazos, haja vista que a não atualização cadastral no módulo “e-CAP – Alteração cadastral” e a falta de declaração de estoque efetivo no e-SANIAGRO dentro do prazo, ensejará suspensão da inscrição estadual, perda do benefício da redução da multa por divergência entre o estoque declarado e o constante no e-SANIAGRO, bloqueio da ficha sanitária, vacinação obrigatória, entre outras.

Os pedidos de alteração cadastral, de reativação, de baixa e de suspensão são incluídos somente no acesso restrito (Portal ICMS Transparente) através do link: http://efazenda.servicos.ms.gov.br/e-fazenda/login.aspx, módulo “e-CAP – Alteração Cadastral”.

Para pedidos de inscrição inicial o canal de atendimento está disponível de pública através do endereço eletrônico http://www.fazenda.ms.gov.br, clicando no banner “Cadastro Eletrônico de Contribuinte” e posteriormente no link “Cadastro Eletrônico da Agropecuária (e-CAP)/Novas Solicitações”.

 

Diana Gaúna – Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz)

Foto: Kelly Ventorim/ Semagro

Fonte: Governo MS

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

BRASILÂNDIA

POLICIAL

Mais Lidas da Semana