TRÊS LAGOAS-MS
  Últimas
Frio ganha força e aumenta chance de geada nesta quinta-feira
Artesãos vão ganhar treinamento para participar de Rodada de Negócios
Fortaleza e CRB abrem duelo nordestino das oitavas da Copa do Brasil
Mayra Aguiar perde para alemã e segue para repescagem no judô
Handebol: seleção feminina perde para Espanha na Olimpíada
Renato Rezende avança às semifinais no ciclismo BMX em Tóquio
São Paulo abre vantagem sobre Vasco pelas oitavas na Copa do Brasil
Após classificação histórica, Lucas Verthein cai na semifinal do remo
Guilherme Costa cansa e chega em oitavo na final olímpica dos 800 m
Olimpíada: Brasil perde para Canadá no rugby de 7
Em ação rápida, Batalhão de Choque da PMMS recupera veículo minutos após o roubo
PRF apreende 500 mil maços de cigarros contrabandeados em São Gabriel Do Oeste (MS)
Rebeca Andrade busca primeira medalha olímpica da ginástica feminina
Copa do Brasil: Santos desencanta na etapa final e vence Juazeirense
Avaí derrota Remo em Florianópolis e entra no G4 da Série B
PRF apreende 128 Kg de maconha em Bataguassu (MS)
Buscando liderança do Grupo, Brasil enfrenta Japão no vôlei feminino
Matrículas para cursos de línguas do IFMS começam nesta quarta
Dia dos Pais terá sorteio de seis iPhones no Shopping Campo Grande
IFMS oferta 175 auxílios permanência a estudantes dos 10 campi
Rayssa Leal dispensa festa na chegada ao Brasil
Reunião Técnica une produtores, técnicos e instituições em prol do maracujá
IFMS abre matrículas da 2ª chamada para cursos de qualificação profissional
TÓQUIO 2020: Vôlei de praia movimenta a madrugada brasileira
Novak Djokovic avança na chave de simples do tênis
Com dois de Terans, Athletico-PR bate Atlético-GO pela Copa do Brasil
Palmeiras se reapresenta e inicia ‘semana cheia’ de preparação visando Choque-Rei
SES retoma cálculo anterior de incentivo de produtividade a agentes de saúde
PRF apreende 107,7 Kg de maconha em Eldorado (MS)
BOLETIM COVID-19 – Três Lagoas registra 41 novos casos nesta quarta-feira (28)
Next
Prev

Três Lagoas

Três Lagoas comemora 106 anos de emancipação

Publicado

Uma das maiores e mais importantes cidades de Mato Grosso do Sul, Três Lagoas celebra o aniversário de 106 anos nesta segunda-feira (15) de junho de 2021. Um momento diferente com o Novo Coronavirus “Covid-19” causando uma pandemia Mundial que já contaminou 117,3 milhões de pessoas, e causando a morte de 3,8 milhões. No Brasil 17,5 milhões de contaminados e 491.164 mortos. No Mato Grosso do Sul 315 mil casos e 7.568 mortos. Três Lagoas chegou a 66.676 casos notificados, destes, 17.171 deram positivo para a doença, porém 16.099 já se recuperaram, 434 foram a óbito.

Com esse “Novo Normal” as festas que aconteciam na semana do aniversário da cidade foram canceladas, como Rodeio Fest, Encontro de Bandas, Alvorada Festiva, Cavalgadas, Desfile Civico, etc. E na data de 15 de junho, nem as Lives que foram registradas no ano anterior de 2020, não aconteceram neste 106 anos, uma medida tomada pelo Prefeito Angelo Guerreiro, em respeito as pessoas que nos deixaram na Pandemia.

História

Foto:Sayuri Baez

Nascido como distrito do antigo município de Sant’Anna do Paranaíba (hoje Paranaíba), pela Lei 656, de 12 de junho de 1914, Três Lagoas permaneceu nessa condição por um ano. Torna-se vila por determinação da Lei 706, de 15 de junho de 1915, emancipando-se politicamente. Em 8 de agosto do mesmo ano, é elevado a município, com eleições para a presidência da Câmara Municipal.

Os sertanistas possuíam conhecimento avançado da natureza, para a sobrevivência e exploração, criando caravanas para povoar regiões afastadas do litoral.
Luís Correia Neves Filho, Antônio Trajano dos Santos e Protásio Garcia Leal são alguns dos sertanistas responsáveis pela colonização de Três Lagoas, na época chamada de Fazenda das Alagoas.

Em 1915, Três Lagoas foi oficialmente separada do município de Santana do Paranaíba, possuindo sede própria.

Há séculos, antes da colonização pelo homem branco, vivia na região do leste sulmatogrossense, onde hoje se localiza a cidade de Três Lagoas, a tribo indígena dos Ofaié. Um grupo indígena da família Macro-Jê, os Ofaié descendem das civilizações indígenas do Chaco, na Bolívia.

Constituíam-se de coletores, caçadores e pescadores, e eram nômades nas terras localizadas entre os hoje denominados Rio Paraná e a Serra de Maracaju. A partir do século XVIII, a região de Três Lagoas e seus habitantes, os Ofaié, passaram a sofrer com as visitas dos bandeirantes paulistas, em excursões para reconhecimento de território.

Já em 1829, uma expedição enviada por João da Silva Machado, Barão de Antonieta, e chefiada por Joaquim Francisco Lopes, visando a expansão dos campos de pecuária do vale do Rio São Francisco, atravessou o Rio Paraná e fez contato com os índios, que eram dóceis.

Em 1830, foi a vez da bandeira de Januário Garcia Leal e outros sertanistas. Nessa mesma época, cria-se o arraial de Sete Fogos, hoje Paranaíba, ao norte da área de Três Lagoas, por José Garcia Leal, acompanhado de seus treze irmãos, suas respectivas famílias, empregados e escravos, fugindo de perseguições políticas. Pecuaristas então se estabeleceram, de lá, até o Rio Sucuriú, ao sul.

Centro de Três Lagoas, Mato Grosso do Sul, Brasil. Autor: Fares Zaguir. Fonte: Fotografia doada pela filha, Jamile Zaguir

Os nativos da tribo Ofaié, então, limitaram-se a viver entre o Rio Sucuriú, ao norte, onde se encontravam os pioneiros, e a região do Rio Verde, ao sul. De meados do século XIX em diante, bandeirantes paulistas, que aos poucos se tornavam fazendeiros pecuaristas fixos, atravessaram o Rio Sucuriú e se estabeleceram na região de Três Lagoas, perseguindo e escravizando os ameríndios nativos.

Os Ofaié, que já eram nômades, afastaram-se da região onde se intersectam o Rio Sucuriú e o Rio Paraná, refugiando-se mais ao sul, entre a região do Rio Verde, onde hoje se encontra a cidade de Brasilândia, e a Serra de Maracaju.

Com a implantação das propriedades e a fixação dos marcos de posse, às margens dos rios, os paulistas demarcaram áreas extensas, de tal forma que logo encheram de grandes latifúndios a região, Rio Pardo a dentro, no rumo do Rio Vacaria e do Rio Brilhante, local que tiveram de abandonar momentaneamente com a Guerra do Paraguai.

Com o fim dessa guerra, os sertanistas voltaram, reunindo o restante dos rebanhos e novos povoadores, que gradativamente foram espalhando-se pela margem dos ribeirões Palmito, Moeda, Piaba, Pombo, Campo Triste e Brioso.

Em 1880 os principais proprietários de terras da região eram João Ferreira de Melo e Januário Garcia Leal, este último remanescente das bandeiras de penetração no Córrego da Moeda e no Taquarussu.

Na segunda metade da década de 1880, chegaram à região de Três Lagoas Protázio Garcia Leal, neto de Januário Garcia Leal e que se instalou na região da Piaba, às margens do Rio Verde, e Antônio Trajano dos Santos, que se instalou na região que chamou de Fazenda das Alagoas, em razão das três grandes lagoas ali existentes.

Construção da Antiga Igreja Matriz

Destacaram-se, também, Necésio Ferreira de Melo, fundando uma propriedade agropastoril que denominou Piaba, em terras banhadas pelo Ribeirão Campo Triste; Antônio Ferreira Bueno, em Serrinha, hoje Garcias; Antônio Paulin Gentílico: treslagoense Formação Administrativa Distrito criado com a denominação de Três Lagoas, pela lei estadual nº 656, de 12-06- 1914, subordinado ao município de Santana do Paranaíba.

Elevado á categoria de vila com a denominação de Três Lagoas, pela lei estadual nº 706, de 15-06-1915, desmembrado do município Santana do Paranaíba.

Constituído do distrito sede. Instalado em 08-08-1915. Elevado à condição de cidade e sede do município com a denominação de Três Lagoas, pela resolução estadual nº 820, de 19-10-1920.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído do distrito sede. Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936, o município aparece constituído de 6 distritos: Três Lagoas, Água Clara, Alto Sucuriú, Chavantina, Véstia, Vila dos Garcias.

Assim permanecendo no quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943. Pelo decreto-lei federal nº 2104, de 02-04-1940, o distrito de Vila dos Garcias passou a denominar-se simplesmente Garcias. No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o distrito aparece grafado Xavantina e permanece no município de Três Lagoas.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 6 distritos: Três Lagoas, Água Clara, Alto Sucuriú, Garcias (ex-Vila dos Garcias), Xavantina (ex-Chavantina), Véstia. Pela lei estadual nº 676, de 11-12-1953, desmembra do município de Três Lagoas os distritos de Água Clara e Alto Sucuriú, para constituir o novo município de Água Clara.

Avenida Antônio Trajano no começo do Século XX

Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o município é constituído de 4 distritos: Três Lagoas, Garcias, Xavantina e Véstia.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960. Pela lei estadual nº 1970, de 14-11-1963, o distrito de Xavantina foi transferido do município de Três Lagoas para o novo município de Brasilândia.

Pela lei estadual nº 2067, de 14-12-1963, é criado o distrito de Arapuá e anexado ao município de Três Lagoas. Pela lei estadual nº 2112, de 26-12-1963, é criado o distrito de Ilha Comprida e anexado ao município de Três Lagoas.

Pela lei estadual nº 1307, de 28-11-1959, o distrito de Véstia tomou a denominação de Guadalupe do Alto Paraná. Em divisão territorial datada de 31-VII-1968, o município é constituído de 5 distritos: Três Lagoas, Arapuá, Garcias, Guadalupe do Alto Paraná (ex-Véstia) e Ilha Comprida.

Pela lei estadual nº 3737, de 04-06-1976, é criado o distrito de Selvíria com território do extinto distrito de Guadalupe do Alto Paraná anexado ao município de Três Lagoas.

Em divisão territorial datada de 1-I-1979, o município é constituído de 5 distritos: Três Lagoas, Arapuá, Garcias, Ilha Comprida e Selvíria.

Pela lei estadual nº 79, de 12-05-1980, desmembra do município de Três Lagoas o distrito de Selvíria. Elevado á categoria de município.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1983, o município é constituído de 4 distritos: Três Lagoas, Arapuá, Garcias e Ilha Comprida.

Pela lei nº , é criado o distrito de Guadalupe do Alto Paraná e anexado ao município de Três Lagoas. Não existe legislação para este distrito. Em divisão territorial datada de 1988, o município é constituído de 5 distritos: Três Lagoas, Arapuá, Garcias, Guadalupe do Alto Paraná e Ilha Comprida. Assim permanecendo em divisão territorial datada 2009.

Histórico da economia e crescimento em Três Lagoas

Durante suas primeiras décadas, Três Lagoas atuava apenas com a agricultura familiar, ou seja, o que era produzido nas terras locais eram destinadas para o consumo da própria população.
Aos poucos, a criação de gado começou a ganhar maiores proporções, colocando a pecuária como a principal atividade econômica da cidade.

A pecuária foi a primeira atividade responsável por fomentar a geração de emprego e renda no comércio local, incentivando a vinda de novos habitantes.

Ferrovia

De 1915 a 1930, o governo brasileiro, interessado na alavancagem das atividades econômicas no Mato Grosso, promoveu a criação de uma linha ferroviária ligando São Paulo ao interior de MG, com parada em Três Lagoas.
A instalação da linha férrea gerou novos empregos em Três Lagoas, proporcionando um novo período de crescimento para a cidade.

O engenheiro Oscar Teixeira Guimarães, da Noroeste do Brasil (NOB), empresa responsável pela criação da linha ferroviária, foi um dos responsáveis pela urbanização e delimitação de ruas e bairros em Três Lagoas.
Assim, foram planejados bairros quadriculados, com quadras em formatos quadrados simétricos, similares a um tabuleiro de xadrez. Durante a construção da malha ferroviária, a população de Três Lagoas era cerca de 9.000, passando a apenas 3.800 com o término das obras em 1930.

Hidrelétrica Engenheiro Souza Dias

Após uma época de estagnação econômica em Três Lagoas, a construção da hidrelétrica Souza Dias fomentou um novo período de crescimento da cidade, em 1964. A hidrelétrica também foi uma iniciativa governamental para a expansão das atividades econômicas do Mato Grosso, viabilizando a produção energética para alimentar a região com novas tecnologias e serviços, como saneamento básico e a criação de escolas.

A Companhia Energética de São Paulo (CESP) foi responsável pela criação de um bairro inteiro (a Vila Piloto), em formato de círculo, apenas para os trabalhadores da hidrelétrica, que chama atenção por seu formato até hoje, diferenciando das quadras perfeitamente simétricas.

Industrialização

Com o término da construção da hidrelétrica Souza Dias, na década de 1970, surgiu o interesse governamental de potencializar a industrialização da cidade, promovendo incentivos para a micros, pequenas e grandes empresas. A partir de 1997, Três Lagoas vivenciou um grande salto industrial e econômico, com a vinda de grandes empresas como celuloses e exportadoras.

A história de Três Lagoas nos dias atuais Três Lagoas se tornou a quarta maior cidade do Mato Grosso do Sul, sendo a cidade que mais exporta produtos no estado e a melhor cidade para se investir. Três Lagoas está vivenciando uma nova fase de crescimento acelerado, fomentado pelas novas fontes de investimentos públicas e privadas, com novas indústrias e empresas se instalando na região.

No geral, cresceram em número as empresas médias, que fornecem materiais para grandes indústrias, movimentando o polo industrial de Três Lagoas.

O futuro de Três Lagoas é escrito a cada novo dia, avançando uma história centenária de trabalho, conquista e crescimento.

População

Três Lagoas foi fundada em 15 de junho de 1915 e é considerada o terceiro município mais populoso do Estado com uma população de aproximadamente 123 mil habitantes segundo estimativa populacional do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de 2019, comandada pelo Prefeito Angelo Chaves Guerreiro do PSDB, e possui a Câmara de Vereadores com 17 edis, tem como presidente Dr. Cassiano Roja Maia do PSDB. Popularmente conhecida como “Cidade das Águas”, Três Lagoas também é reconhecida como a “Capital da Celulose”.

Banhada pelos rios Sucuriú e Paraná e cercada por atrativos naturais, Três Lagoas também tem atrativos turísticos, como praias de água doce, pousadas, porto, balneário, lagoas e marina.

Três Lagoas possui mais de cinqüenta bairros.

    • Alto da Boa Vista;
    • Bela Vista;
    • Carandá;
    • Centro;
    • Cinturão Verde;
    • Colinos;
    • Condomínio Ecoville;
    • Interlagos;
    • Ipacaray;
    • Jardim Alvorada;
    • Jardim Atenas;
    • Jardim Bela Vista;
    • Jardim Brasília;
    • Jardim Caçula;
    • Jardim Capilé;
    • Jardim das Acácias;
    • Jardim das Oliveiras;
    • Jardim das Orquídeas;
    • Jardim das Paineiras;
    • Jardim Dourados;
Jardim Eldorado;
  • Jardim Flamboyant;
  • Jardim Glória;
  • Jardim Guaporé;
  • Jardim Imperial;
  • Jardim Maristela;
  • Jardim Mirassol;
  • Jardim Morumbi;
  • Jardim Novo Aeroporto;
  • Jardim Nova Americana;
  • Jardim Nova Ipanema;
  • Jardim Oiti;
  • Jardim Planalto;
  • Jardim Progresso;
  • Jardim das Primavera;
  • Jardim Rodrigues;
  • Jardim Santa Júlia;
  • Jardim Santa Aurélia;
  • Jardim Vendrell;
  • Jardim Violetas;
  • JK;
  • Lapa;
  • Mais Parque;
  • Nossa Senhora Aparecida;
  • Nossa Senhora das Graças;
  • Nova Europa;
  • Novo Oeste;
  • Osmar Dutra;
  • Paranapungá;
  • Portal da Lagoa;
  • Residencial Jamil Ville
  • Residencial Orestinho;
  • Santa Luzia;
  • Santa Rita;
  • Santa Teresinha;
  • Santo André;
  • Santos Dumont;
  • Santos Dumont 2;
  • SetSul;
  • São Carlos;
  • São João;
  • São Jorge;
  • Cherogami;
  • Vila Alegre;
  • Vila Cardoso;
  • Vila Carioca;
  • Vila Guanabara;
  • Vila Haro;
  • Vilas Maria 1 e 2;
  • Vila Nova;
  • Vilas Piloto 1,2,3,4 e 5;
  • Vila Popular;
  • Vila Santana;
  • Vila Verde;
  • Vila Viana.

Economia

Com a expansão industrial, Três Lagoas disparou no ranking municipal e tornou a quarta maior economia de Mato Grosso do Sul. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o PIB do município somava, em 2019 (último dado).

Os trabalhadores do município recebiam, em 2019, o correspondente a 3,1 salários mínimos e a proporção de pessoas ocupadas em relação à população total era de 32,2%. Na comparação com os outros municípios do Estado, ocupa a posição de quarto.

Com posição geográfica estratégica (no centro do País e vizinha da maior região consumidora, o Sudeste), Três Lagoas se transformou em principal polo industrial de Mato Grosso do Sul. Conforme dados do Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), o município responde por metade das exportações de industrializados do Estado.

No acumulado de janeiro a maio de 2019, Mato Grosso do Sul exportou US$ 2,195 bilhões em mercadorias. Dessa receita, 40,37%, o equivalente a US$ 4 de cada US$ 10 em produtos comercializados no mercado internacional, vieram da celulose, segundo dados do Ministério da Economia.

Conforme os dados, cresceu a exportação de celulose pelo estado tanto em volume quanto em receita, na comparação desde cinco meses, frente ao mesmo intervalo de tempo do ano passado. Em quantidade o incremento foi de 13,15%, de 1,631 milhão de toneladas para 1,846 milhão de toneladas. Já em faturamento a ampliação foi ainda maior, 20,95%, com o valor passando de US$ 732,829 milhões para US$ 886,362 milhões.

A totalidade desse produto foi embarcada a partir de Três Lagoas e responde pelo segundo maior montante exportado pelo Estado, atrás apenas do valor proporcionado pela soja, cujas vendas também têm contribuição do município do Bolsão.

Fábricas de Celulose

A Suzano

Conhecida antigamente como Fibria, e com a fusão passou a chamar Suzano, que no dia 30 de março de 2019 completou dez anos de operação em Três Lagoas.

Segundo a empresa, a comemoração dos 10 anos da Unidade Três Lagoas é uma oportunidade para celebrar os bons resultados obtidos em termos de produção e, principalmente, o fortalecimento do diálogo aberto e transparente com a comunidade e o poder público, bem como no investimento social da empresa.

“No primeiro ano de funcionamento da empresa, em 2009, o investimento social foi da ordem de R$ 327 mil, beneficiando 370 pessoas em dois municípios. Ao longo dos 10 anos, foi possível chegar a aproximadamente R$ 100 milhões investidos, com a ampliação dos projetos para todas as cidades do Estado onde temos operação florestal.”

Durante o período, foram plantados 412 mil de hectares de eucalipto e produção de celulose atingiu mais de 15 milhões de toneladas. Ainda foram entregues cerca de 50 milhões de m³ de madeira, volume que, empilhado, daria para ir e voltar oito vezes até a Lua, ou dar 147 voltas na Terra. Desde 2009, foram plantados 412 mil de hectares de eucaliptos, que equivalem a 2,7 vezes a área da cidade de São Paulo e 3,5 vezes a do Rio de Janeiro.

O quadro de colaboradores chegou a 6.000 pessoas – o dobro da época da inauguração – e o investimento social se aproxima de R$ 100 milhões em ações sociais que beneficiam cerca de 600 mil pessoas em nove cidades de Mato Grosso do Sul.

Eldorado Brasil

A fábrica da companhia possui capacidade nominal para produzir 1,5 milhão de toneladas de celulose por ano, mas em 2017 superou a marca de 1,7 milhão de toneladas produzidas, estabelecendo um novo patamar para a indústria localizada em Três Lagoas (MS).

Além do complexo industrial, a companhia possui uma vasta base florestal no Mato Grosso do Sul, onde ocupa uma área total superior a 230 mil hectares. Para dar suporte a esta robusta operação – que inclui ainda todo o time de logística, comercial e corporativo – a empresa conta com o trabalho de quase 4 mil pessoas.

A companhia também possui um viveiro em São Paulo, com capacidade de produção de 26 milhões de mudas de eucalipto por ano. A produção de toda a celulose da Eldorado Brasil está distribuída nos principais mercados consumidores do mundo, com destaque para a Ásia, destino de cerca de 40% de tudo o que é produzido na fábrica.

Foi fundada em 15 de junho de 2010 pela J&F Participações e pela MCL Participações no mesmo mês foi iniciada a construção da primeira fábrica da empresa e foi inaugurada em dezembro de 2012 na cidade de Três Lagoas no estado de Mato Grosso do Sul após um investimento total de 6,2 bilhões de reais e é a indústria de celulose mais competitiva do setor com produção anual superior a 1,7 milhão de toneladas.

No mês de fevereiro de 2011 a América Latina Logística e a Eldorado Brasil assinaram um contrato de 15 anos para transportar toda a celulose produzida pela empresa para os terminais portuários das cidade de Aparecida do Taboado e Santos, por ano seriam movimentadas cerca de 800 mil toneladas por ano. Em setembro de 2011 adquiriu a “Florestal Brasil” que atua no ramo de investimentos em áreas de reflorestamento.

No dia 15 junho de 2015 foi lançada a pedra fundamental do Projeto Vanguarda 2.0, ou seja, a construção de uma nova linha de produção de celulose no mesmo site industrial da planta inaugurada em 2012, na cidade de Três Lagoas (MS). Quando estiver pronta a segunda fábrica combinada com a primeira terá uma capacidade anual superior a 4 milhões de toneladas por ano.

Em dezembro de 2015 a empresa possuía 200 mil hectares de florestas plantadas.

Em junho de 2015, a Eldorado Brasil inaugurou um terminal portuário em Santos (SP). Com o investimento de R$ 90 milhões, a empresa busca maior competitividade nas operações logísticas, já que tem fortalecido sua presença no mercado internacional, já que as exportações representaram cerca de 90% das vendas totais em 2014, tendo como principais destinos China, Itália, Estados Unidos, Coreia do Sul e Alemanha.

A empresa é autossuficiente em energia, gerada a partir da biomassa oriunda da produção de celulose, a empresa também vende o excedente para indústrias localizados em Três Lagoas e para o mercado de energia, gerando uma faturamento adicional de R$ 90 milhões em 2014.

Em março de 2015 a empresa era controlada pela J&F Participações com uma participação de 80,90 por cento, seguida dos fundos de pensão Funcef e Petros cada um com 8,53 por cento, FIP Olímpia com 1,96 por cento e outros acionistas com 0,08 por cento. Foi vendida para o grupo holandesa Paper Excellence BV. O contrato de compra e venda foi assinado em setembro de 2017 e estabeleceu a transferência de até 100 por cento das ações pelo valor de 15 bilhões de reais. A operação será finalizada em até 12 meses.

Educação

Três Lagoas deu um avanço nessa área, entre as quais está a educação. Os alunos dos anos iniciais da rede pública do município tiveram nota média de 6,1 no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) em 2019, segundo o MEC (Ministério da Educação). Com esta nota, Três Lagoas ficou em 4º lugar em Mato Grosso do Sul.

A situação está mais crítica em se tratando do desempenho dos alunos nas séries finais. A nota, neste caso, foi de 4,7, o que deixou Três Lagoas em 32º posição entre os 79 municípios do Estado.

Saúde

A taxa de mortalidade infantil média na cidade é de 10.80 para 1.000 nascidos vivos. As internações devido a diarreias são de 0.8 para cada 1.000 habitantes.

Comparado com todos os municípios do estado, fica nas posições 35 de 79 e 52 de 79, respectivamente. Quando comparado a cidades do Brasil todo, essas posições são de 2932 de 5570 e 2710 de 5570, respectivamente.

Trabalho e Rendimento

Em 2017, o salário médio mensal era de 3.1 salários mínimos. A proporção de pessoas ocupadas em relação à população total era de 32.2%.

Na comparação com os outros municípios do estado, ocupava as posições 4 de 79 e 4 de 79, respectivamente. Já na comparação com cidades do país todo, ficava na posição 152 de 5570 e 371 de 5570, respectivamente.

Considerando domicílios com rendimentos mensais de até meio salário mínimo por pessoa, tinha 30% da população nessas condições, o que o colocava na posição 74 de 79 dentre as cidades do estado e na posição 4669 de 5570 dentre as cidades do Brasil.

Território e Ambiente

Apresenta 52.6% de domicílios com esgotamento sanitário adequado, 95.6% de domicílios urbanos em vias públicas com arborização e 10.8% de domicílios urbanos em vias públicas com urbanização adequada (presença de bueiro, calçada, pavimentação e meio-fio).

Quando comparado com os outros municípios do estado, fica na posição 7 de 79, 40 de 79 e 32 de 79, respectivamente. Já quando comparado a outras cidades do Brasil, sua posição é 2122 de 5570, 810 de 5570 e 2710 de 5570, respectivamente.

Parabéns Três Lagoas, que os novos anos sejam de muita prosperidade e saúde, para essa população hospitaleira e trabalhadora, que leva o progresso a essa linda cidade.

Patrimônio

  • Igreja de Santo Antônio: foi erguida pela colônia portuguesa em 1914 e declarada monumento público em 1931. Recebeu a visita, no natal de 1914, do D. Pedro de Alcantara de Orleans e Bragança, filho de Princesa Isabel e de Gastão de Orleans, Conde d’Eu;
  • Catedral do Sagrado Coração de Jesus;
  • Cemitério do Soldado: o jazigo é uma homenagem ao soldado José Carvalho de Lima, morto em episódio do Tenentismo de 1924 e a quem se atribui milagres. É muito visitado por devotos;
  • Estátua do Cristo;
  • Escola João Ponce de Arruda;
  • Estação Ferroviária da Novoeste (antiga Estrada de Ferro Noroeste do Brasil – N.O.B.);
  • Ponte Francisco Sá, sobre o Rio Paraná: demorou 15 anos para começar a ser construída. Inaugurada em 1926 pela antiga Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, mede 1024 metros de comprimento. Liga os estados de Mato Grosso do Sul e São Paulo;
  • Obelisco: tombado em 1982 pela prefeitura. Simboliza um sonho da cidade: a construção de uma feira de gado, o que, por questões políticas, não foi realizado;
  • Relógio Central: construído em 1936 pelo português Manuel Alves, natural de Paradela de Guiães (Vila Real), é chamado de “o senhor do tempo”. Localizado no Centro da cidade, tem uma altura de dez metros. Em 1982, a prefeitura realizou seu tombamento. Mantido por Joaquim Silva Torres e seus descendentes.

Eventos locais

  • Junho: Festa do Folclore, Bon Odori,Expotrês,Campeonato Aloha Street Skate e Expo Mulher;
  • Julho: Fantazém (Festa à Fantasia) e Festa do Queijo e do Vinho;
  • Agosto: Três Lagoas Moto Show e Encontro Folclórico do Bolsão Sul-Matogrossense;
  • Setembro: Cavalgada Sul-Matogrossense e Três Lagoas Folia;
  • Setembro: Três Lagoas Florestal (Maior encontro do setor de celulose da América Latina)
  • Outubro: Expoflôres, Festa do Hawai e Quermesse de Nossa Senhora Aparecida.

Treslagoenses ilustres

Relação de pessoas que nasceram na cidade.

  • Dante Buzetti – biólogo e ornitólogo, autor do livro intitulado “Berços da Vida: Ninhos de Aves Brasileiras”
  • Issam Fares – ex-prefeito de Três Lagoas
  • Marly Marley – jurada do Programa Raul Gil e casada com o humorista Ary Toledo
  • Ramez Tebet – político
  • Rute – ex-jogadora de basquete da geração Paula e Hortência
  • Zequinha Barbosa – esportista
  • Zulmira Maria de Jesus – primeira três-lagoense
  • Maria Trujillo Rulli -implantou o primeiro supermercado(Guaíra)na cidade em 1973.
  • Humberto Rulli – ex Diretor do Dep. Águas, (1967 a 1974), canalizou a água do Palmito até a cidade e modernizou a rede de água no município.
  • Yamaguti Kankiti, Imigrante Japonês, colonizador, empresário (Pinga Yamaguti), agricultor.

Entidades

  • Capítulo Três Lagoas nº 460 da Ordem DeMolay
  • Associação Nipo-Brasileira de Três Lagoas
  • AATL – Associação Atlética de Três Lagoas
  • AABB – Associação Atlética Banco do Brasil
  • Esporte Clube Banespa
  • Clube da Sabesp
  • Clube de Laço
  • Aeroclube
  • Rotary Club Três Lagoas
  • Rotary Club Cidade das Águas
  • Lions Club de Três Lagoas
  • Loja Maçônica Renascença
  • Loja Maçônica Regente Feijó IV
  • Loja Maçônica João Pedro de Souza
  • Loja Maçônica Aquárius
  • Loja Maçônica São João

Os Distritos

Distrito de Garcias:Foi inicialmente chamada Serrinha, devido a uma serra que ali existe, o ponto mais alto do município de Três Lagoas, com 518 metros de altura.

 

Encontra-se em uma área próxima às nascentes dos ribeirões Piaba e Campo Triste. Entre seus primeiros habitantes encontram-se Antônio Ferreira Bueno, Necécio Ferreira de Melo, Protásio Garcia Leal e, posteriormente, Antônio Trajano dos Santos, que ali faleceu e foi enterrado. Recebeu o nome de Garcias porque entre os primeiros habitantes da região muitos eram Garcia Leal, uma vez que Necésio Ferreira de Melo era casado com uma filha de Januário Garcia Leal Sobrinho, este por sua vez avô de Protásio.

 

Em 1917 foi inaugurada em Garcias a estação da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, que vinha de Três Lagoas. A linha férrea em si já havia passado por ali, mas não possuía parada no local. A estação inicialmente foi nomeada Vitorino, mas na década de 1940 esse nome foi alterado para o atual, Garcias.

Distrito de Arapuá

O Distrito de Arapuá, criado pela Lei Nº 2.067 de 14 de Dezembro de 1.963, como quase todas as comunidades da Noroeste Paulista e das regiões leste e sudoeste do Estado de Mato Grosso do Sul, obteve seu impulso sócio – econômico com a passagem dos trilhos da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, interligado as cidades de Bauru/SP a Corumbá/MS.

Altair Cabral Trannin, que era Gerente da Fazenda Arapuá S/A,propriedade de Fausto Tavares, recebeu pelos 20 anos trabalhados com a FASA e Maltaria e Cervejaria Londrina, PR, uma gleba de terra de mais ou menos 500 alqueires, onde posteriormente iniciou o loteamento da fazenda em sítios com área superior a 24,00 hectares, para não prejudicar o loteamento da Imobiliária São Luis, com lotes menores.

A história da Educação do Distrito de Arapuá iniciou há mais de quarenta anos, com a Escola Municipal que atendia aos filhos dos funcionários da fazenda Arapuá e a de alguns moradores de sítios isolados. Com a consequente colonização, realizadas através dos loteamentos efetuados pela Fazenda Arapuá e Imobiliária São Luiz, diversas famílias adquiriram seus lotes e fixaram residências na região, aumentando, consideravelmente, sua população.

Mais um momento histórico – social viveu a região, quando terras fronteiriças ao núcleo residencial foram loteadas, formando um amplo conglomerado de pequenas propriedades rurais, hoje conhecida como km 12, Serraria, Limoeiro, Felipão, Piaba…, que receberam grande contingente de ruralistas, que somando às fazendas e ao Distrito de Garcias, cujos habitantes estavam diretamente ligadas ao distrito de Arapuá, avolumaram-se as exigências para atendimento as necessidades básicas da população residente.

Uma destas exigências foi sendo protelados anos seguidos. Porém, com a interferência e muita luta, por parte de uma comunidade que clamava com urgência esse benefício, apareceram os primeiros movimentos para a criação de uma escola que atenderia o núcleo distrital e toda população rural, em busca de conhecimento para sua juventude, com menos custos e que mantivesse as famílias juntas nos labores cotidianos.

O então vereador, Altair Cabral Trannin, foi sem dúvida o maior percursor desta conquista através das Tribunas da Câmara Municipal de Três Lagoas e de pedidos ” in loco”, junto à classe política do município e do Estado.

Mato Grosso ainda permanecia vivendo com Três Lagoas, sob área de segurança nacional, devido a importância da usina hidrelétrica de Urubupungá. Governava o Estado, Garcia Neto e era prefeito de Três Lagoas, Ramez Tebet, sendo eleito senador da República pelo Estado de Mato Grosso do Sul.

Em dia muito festivo, e, porque não, um dos mais festejados do Distrito de Arapuá aqui aportou autoridades municipais e estaduais para inaugurar a Escola. Era 13 de junho de 1976, quando se abriram as portas, para uma comunidade sedenta de saber, da Escola Estadual Afonso Francisco Xavier Trannin, cuja denominação, e a justa homenagem ao patriarca da família Trannin, proprietário do terreno doado para a realização desta grande obra.

 

Comentários Facebook

Três Lagoas

BOLETIM COVID-19 – Três Lagoas registra 41 novos casos nesta quarta-feira (28)

Publicado

por


A Prefeitura de Três Lagoas, por meio do setor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), divulgou o Boletim Epidemiológico COVID-19 desta quarta-feira (28).

VER BOLETIM COMPLETO




Comentários Facebook
Continue lendo

Três Lagoas

Boletim semanal aponta 12 casos suspeitos de Dengue em Três Lagoas

Publicado

por


A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Três Lagoas, por meio da equipe de Vigilância Epidemiológica, setor da Diretoria de Vigilância em Saúde e Saneamento, divulgou o Boletim de Monitoramento da Dengue e da Leishmaniose, referente à 29ª semana de 2021, nesta quarta-feira (28).

Como consta no Boletim, nesta semana foram notificados 12 casos de dengue, ainda esperando resultado de laboratório.  O total de casos notificados suspeitos chegou a 3.185, sendo 1.681 positivos e 1.466 casos com resultado negativo.

LEISHMANIOSE

No monitoramento semanal da Leishmaniose (Visceral e Tegumentar), não houve alterações e Três Lagoas continua com registro de 10 casos notificados suspeitos, 7 casos positivos e 03 já descartados como negativos.

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

Assembléia Legislativa MS

Mato Grosso do Sul

POLICIAL

Mais Lidas da Semana