TRÊS LAGOAS-MS
  Últimas
Prazos para regularização de infrações, veículos e habilitação voltam a ser cobrados
Frio ganha força e aumenta chance de geada nesta quinta-feira
Artesãos vão ganhar treinamento para participar de Rodada de Negócios
Fortaleza e CRB abrem duelo nordestino das oitavas da Copa do Brasil
Mayra Aguiar perde para alemã e segue para repescagem no judô
Handebol: seleção feminina perde para Espanha na Olimpíada
Renato Rezende avança às semifinais no ciclismo BMX em Tóquio
São Paulo abre vantagem sobre Vasco pelas oitavas na Copa do Brasil
Após classificação histórica, Lucas Verthein cai na semifinal do remo
Guilherme Costa cansa e chega em oitavo na final olímpica dos 800 m
Olimpíada: Brasil perde para Canadá no rugby de 7
Em ação rápida, Batalhão de Choque da PMMS recupera veículo minutos após o roubo
PRF apreende 500 mil maços de cigarros contrabandeados em São Gabriel Do Oeste (MS)
Rebeca Andrade busca primeira medalha olímpica da ginástica feminina
Copa do Brasil: Santos desencanta na etapa final e vence Juazeirense
Avaí derrota Remo em Florianópolis e entra no G4 da Série B
PRF apreende 128 Kg de maconha em Bataguassu (MS)
Buscando liderança do Grupo, Brasil enfrenta Japão no vôlei feminino
Matrículas para cursos de línguas do IFMS começam nesta quarta
Dia dos Pais terá sorteio de seis iPhones no Shopping Campo Grande
IFMS oferta 175 auxílios permanência a estudantes dos 10 campi
Rayssa Leal dispensa festa na chegada ao Brasil
Reunião Técnica une produtores, técnicos e instituições em prol do maracujá
IFMS abre matrículas da 2ª chamada para cursos de qualificação profissional
TÓQUIO 2020: Vôlei de praia movimenta a madrugada brasileira
Novak Djokovic avança na chave de simples do tênis
Com dois de Terans, Athletico-PR bate Atlético-GO pela Copa do Brasil
Palmeiras se reapresenta e inicia ‘semana cheia’ de preparação visando Choque-Rei
SES retoma cálculo anterior de incentivo de produtividade a agentes de saúde
PRF apreende 107,7 Kg de maconha em Eldorado (MS)
Next
Prev

Suzano

Pesquisadores encontram espécies raras de falsa-coral nas florestas da Suzano em Mato Grosso do Sul

Publicado

Registro, enviado para a revista científica Herpetology Notes, reforça as boas práticas da empresa para a preservação biodiversidade, com mais de 1,2 mil espécies identificadas no Estado

As florestas da Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, em Mato Grosso do Sul possibilitaram o registro singular de duas espécies raras de cobra do gênero Apostolepis, a “falsa-coral”, em uma mesma área. Com escassos registros científicos, as espécies Apostolepis goiasensis e Apostolepis intermedia, foram encontradas na região da propriedade Barra do Moeda, área de preservação ambiental da empresa, e evidenciam as boas práticas de manejo da Suzano para a preservação da biodiversidade.

“Embora esse gênero de serpente seja endêmico na América do Sul, principalmente no Brasil, as duas espécies encontradas em nossas áreas florestais são pouco conhecidas e registradas. Além disso, é bastante incomum as duas espécies serem localizadas em uma mesma área, o que atesta as nossas boas práticas de manejo para a conservação da biodiversidade. A Suzano mantém, desde 2007, um intenso trabalho de recuperação de áreas degradadas e monitoramento da fauna e da flora em suas áreas visando proteger os biomas, no caso de MS, principalmente o Cerrado. Esses registros nos reforçam que estamos no caminho certo”, ressalta Maria Tereza Borges Rocha, gerente de Meio Ambiente Industrial da Suzano.

As espécies foram encontradas durante pesquisas de campo que ocorreram entre outubro de 2017 e abril de 2018. A comunicação científica, de autoria de Fábio Maffei, consultor da Funatura da área de herpetologia, e Cristiano Nogueira, da Universidade de São Paulo, foi enviada em agosto para avaliação da revista científica Herpetology Notes (https://www.biotaxa.org/hn), especializada na área de herpetologia (ramo da zoologia dedicado ao estudo de répteis e anfíbios).

Ao todo, foram capturadas cinco cobras, sendo três da espécie Apostolepis intermedia e duas Apostolepis goiasensis. Quatro delas estavam em áreas de plantação de eucalipto e uma estava em uma área de Cerradão (Cerrado denso) da Suzano. Os animais foram coletados sob a licença SISBIO (Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade), do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), e enviados para a Coleção Herpetológica do Instituto Butantan, no Estado de São Paulo.

“As duas espécies aqui registradas ocorrem predominantemente em áreas de Cerrado. Este bioma é um hotspot de biodiversidade. A raridade de registros das duas espécies mostra que ainda sabemos pouco sobre a fauna de cobras desse bioma, principalmente formações florestais como o Cerradão”, destaca a publicação.

Monitoramento

Ao todo, foram catalogadas 1.208 espécies da fauna e flora da região nas florestas da Suzano. Vinte e oito delas estão ameaçadas de extinção, seguindo os critérios do IUCN (União Internacional para Conservação da Natureza).

Dentre as espécies catalogadas, estão: 485 diferentes plantas nativas; 353 espécies de aves – o que corresponde a 47% das espécies do Cerrado, segundo o ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) -, 103 artrópodes, 79 espécies de mamíferos, 62 de répteis, 55 de peixes e 41 espécies diferentes de anfíbios.

Na lista das espécies em risco de extinção pela IUCN catalogados pela empresa, estão desde aves como mutum-de-penacho (Crax fasciolata) e águia-cinzenta (Urubitinga coronata) à mamíferos, como cervo-do-pantanal (Blastocerus dichotomus), duas espécies de gatos-do-mato (Leopardus guttulus e Leopardus tigrinus), tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla),  ariranha (Pteronura brasiliensis) e anta (Tapirus terrestres).

Falsa-coral

De acordo com a publicação, estima-se que haja 37 espécies de falsa-coral na América do Sul, sendo 32 delas ocorrendo no Brasil.  No entanto, são poucos os registros desses animais. A Apostolepis goiasensis foi descrita em 1943 a partir de um espécime de Rio Verde, em Goiás, e, em 2003, com base em um segundo espécime do município de Uberlândia (MG). Posteriormente, foram publicados dados sobre indivíduos em Luziânia (GO), Ribas do Rio Pardo e Três Lagoas (MS). “O espécime de Três Lagoas é o primeiro registro conhecido baseado em um espécime vivo obtido em uma amostra de campo”, destaca o comunicado. Outros três registros da espécie são apresentados para o Distrito Federal (Brasília), Goiás e São Paulo.

Já a Apostolepis intermedia era conhecida com base em um único espécime supostamente coletado em Miranda (MS), cujo holótipo (fragmento ou ilustração feita a partir de espécime usado para a descrição original de uma espécie) foi perdido. Um segundo exemplar foi registrado em Anastácio (MS), em 2012, e outros dois, no Paraguai.

Mato Grosso do Sul possui 113 espécies de serpentes, oito delas do gênero Apostolepis.

Sobre a Suzano

A Suzano, empresa resultante da fusão entre a Suzano Papel e Celulose e a Fibria, tem o compromisso de ser referência global no uso sustentável de recursos naturais. Líder mundial na fabricação de celulose de eucalipto e uma das maiores fabricantes de papéis da América Latina, a companhia exporta para mais de 80 países e, a partir de seus produtos, está presente na vida de mais de 2 bilhões de pessoas. Com operações de dez fábricas, além da joint operation Veracel, possui capacidade instalada de 10,9 milhões de toneladas de celulose de mercado e 1,4 milhão de toneladas de papéis por ano. A Suzano tem mais de 35 mil colaboradores diretos e indiretos e investe há mais de 90 anos em soluções inovadoras a partir do plantio de eucalipto, as quais permitam a substituição de matérias-primas de origem fóssil por fontes de origem renovável. A companhia possui os mais elevados níveis de Governança Corporativa da B3, no Brasil, e da New York Stock Exchange (NYSE), nos Estados Unidos, mercados onde suas ações são negociadas.

Comentários Facebook

Suzano

Jovens de Três Lagoas têm até o dia 9 de agosto para se inscreverem em programa de qualificação da Suzano

Publicado

Em Três Lagoas (MS), Programa Formare irá ofertar 20 vagas no curso de Operador de Processo de Produção para jovens de 18 ou 19 anos completos até 30 de setembro deste ano

 

Termina no dia 9 de agosto o prazo de inscrições para o programa de qualificação de jovens da Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, em Três Lagoas. O processo de inscrição do Programa Formare está aberto desde o dia 12 de julho para jovens de 18 ou 19 anos completos até 30 de setembro deste ano. Esta será a primeira turma do programa em Mato Grosso do Sul e irá formar 20 jovens no curso de Operador de Processo de Produção.

Além da idade, interessados e interessadas em participar do programa precisam atender alguns pré-requisitos, como ter renda per capita de até um salário-mínimo por pessoa da residência; não ser filho de colaborador/a da empresa; ter Ensino Médio completo ou estar cursando do 1º ao 3º ano em escola pública; ser morador de Três Lagoas; ter disponibilidade de horário para estudar no período das 8h às 16h (de segunda a sexta, durante o curso) e participar de um processo seletivo que inclui prova de matemática e português.

Dentre os benefícios oferecidos pelo programa, estão a capacitação profissional gratuita com carga horária média de 1.200 horas, uniforme, material escolar e seguro de vida. As aulas, que durante o período de pandemia serão realizadas excepcionalmente em formato virtual, são ministradas por voluntários(as) capacitados(as) pela Fundação Iochpe que compartilham talento e experiência com os/as jovens. Elas estão previstas para iniciar em outubro de 2021 e serão, ao todo, dez meses de curso entre disciplinas práticas e teóricas, proporcionando maior oportunidade de aprendizado e crescimento profissional para o mercado de trabalho.

“Esta é uma excelente oportunidade para jovens que buscam qualificação profissional e crescimento pessoal nesta fase de transição da adolescência para a vida adulta. Com o Programa Formare, já inserimos cerca de 450 jovens no mercado de trabalho, dos quais 31% trabalham hoje na própria Suzano. Mas, mais do que isso, conseguimos levar nossos valores e conectar pessoas que inspiram e transformam para atuar em prol de uma sociedade mais justa e com melhores oportunidades”, destaca Elisabete Flores Pagliusi, coordenadora de Voluntariado e Projetos de Formação da Suzano.

Para participar do processo seletivo do programa, candidatos e candidatas devem conferir todos os pré-requisitos e se inscrever por meio da plataforma AVA  http://avaformare.org.br/cadastro/, indicando a unidade de interesse (Três Lagoas ou Aracruz – ES).

Programa Formare

Desenvolvido pelo programa Voluntariar da Suzano em parceria com a Fundação Iochpe, o Formare é uma iniciativa apoiada pela empresa com o objetivo de capacitar jovens em situação de vulnerabilidade social para a educação profissional e para o mercado de trabalho. O programa já é realizado nos municípios de Suzano (SP), Imperatriz (MA) e Mucuri (BA). Neste ano, a iniciativa foi ampliada para Três Lagoas e Aracruz. Com isso, a Suzano se tornará uma das empresas com maior número de Escolas Formares no Brasil. “A ampliação do número de turmas é o resultado do trabalho de inúmeras pessoas que têm esse mesmo propósito de fortalecer o protagonismo social e seu papel de agente de transformação na sociedade”, complementa a coordenadora do projeto.

Desde 2005 até o momento, já foram mais de 690 jovens capacitados/as pela iniciativa e 65% estão no mercado de trabalho, o que reforça o compromisso de promover uma mudança positiva na sociedade por meio da educação. Além disso, do total alunos e alunas que passam pelo programa, 67% (466 jovens) continuaram estudando após a conclusão da formação.

Comentários Facebook
Continue lendo

Suzano

Com apoio da Suzano, agricultores familiares comemoram a marca de 140,6 toneladas de alimentos comercializados por delivery em MS

Publicado

A iniciativa “A feira vai até você” foi lançada em maio do ano passado para mitigar os impactos da pandemia no campo e gerou uma receita bruta de R$ 276,6 mil

Agricultores familiares de Mato Grosso do Sul comemoram a marca de 140,6 toneladas de alimentos comercializados por delivery em um ano da iniciativa “A feira vai até você”. A ação foi lançada pela Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, em maio do ano passado, com o objetivo de minimizar os impactos econômicos da pandemia nas comunidades rurais apoiadas pelo Programa de Desenvolvimento Rural e Territorial (PDRT). Ao longo dos 12 meses, a iniciativa gerou uma receita bruta de R$ 276,6 mil aos pequenos produtores participantes no Estado, decorrente das 17.536 cestas de alimentos agroecológicos comercializadas por meio do sistema de entrega domiciliar.

O volume de hortifrútis entregues equivale a 23,4 caminhões cheios, resultado que superou todas as todas as expectativas.  “Inicialmente, esta ação foi pensada para garantir o escoamento da produção do campo em meio ao fechamento de feiras e principais pontos de comercialização por conta da pandemia. Porém, a comodidade criada pela entrega delivery fez nascer um novo nicho de mercado. Foi tão positivo que as vendas por delivery continuaram mesmo após a reabertura do comércio. Agora, os produtores estão em um novo momento, o de fidelização desses clientes”, destaca Israel Batista Gabriel, coordenador de Desenvolvimento Social da Suzano em Mato Grosso do Sul.

Por meio da iniciativa, a empresa forneceu assistência técnica necessária para a montagem das cestas com os produtos, gestão e operacionalização da logística das entregas. Todo o processo, da colheita à entrega dos alimentos, obedece a rígidas medidas de segurança contra a Covid-19. Somente neste ano, de janeiro a maio, as famílias que integram a ação comercializaram o equivalente a 27,1 toneladas de hortifrútis por meio do delivery na região, o que equivale a 3.381 cestas entregues e a uma receita bruta estimada em R$ 50,5 mil. Em Mato Grosso do Sul, a iniciativa beneficia 58 famílias de oito comunidades rurais.

A expectativa de continuidade do projeto também é compartilhada pela produtora rural Mauriley Alves dos Santos. Integrante do Conselho Fiscal da Associação de Produtores do Assentamento São Joaquim, as vendas das cestas têm motivado os integrantes para seguir com a iniciativa. “Com o delivery, conseguimos nos reorganizar para continuar trabalhando durante a pandemia. Aqui, também temos o apoio da prefeitura na logística, então tem sido excelente. Os clientes também gostaram bastante. São eles que fazem boa parte da nossa propaganda, um indicando ao outro. Isso é muito gratificante. Saber que as pessoas estão buscando uma alimentação saudável e que encontraram nos alimentos que nós produzimos”, explica.

Para Mauriley, o sistema de delivery também contribui para a redução de perdas aos produtores. Uma vez que os alimentos são colhidos de acordo com a demanda da semana. “As pessoas encomendam as cestas, e nós colhemos de acordo com as vendas da semana. É mais prático para o consumidor, que não precisa ir até a feira escolher, e para nós, que colhemos somente o necessário, sem desperdícios”, completa a agricultora.

Nacional

Além de Mato Grosso do Sul, a ação também ocorre nos estados de São Paulo, Bahia, Espírito Santo e Maranhão, beneficiando 310 agricultores familiares em 38 comunidades rurais, ao todo. Juntas, essas comunidades conquistaram a marca de 392,2 toneladas de alimentos comercializados por delivery, o correspondente a 65,3 caminhões cheios. No período, foram comercializadas 48.780 cestas entregues por delivery, que geraram uma receita bruta total de R$ 1,482 milhões.

“Durante este momento tão delicado como o que estamos enfrentando, a Suzano não só manteve todos os seus projetos sociais, por meio de consultorias remotas, como criou muitas iniciativas visando mitigar os impactos da pandemia. Resultados como estes, do A feira vai até você, mostram que estamos no caminho certo para a construção de uma sociedade menos desigual e mais sustentável”, finaliza Gabriel.

PDRT

O Programa de Desenvolvimento Rural e Territorial (PDRT) visa o fortalecimento das comunidades rurais e a geração de trabalho e renda para pequenos produtores. São três eixo de atuação: gestão, produção e comercialização das associações e cooperativas participantes, permitindo que essas comunidades, capacitadas, conquistem sua independência financeira. Em Mato Grosso do Sul, o PDRT atua junto às comunidades rurais desde 2012. São 1.065 famílias beneficiadas em 15 comunidades rurais. No Brasil, mais de 5 mil famílias, em nove estados e mais de 118 localidades já foram beneficiadas pelo programa.

*Para o cálculo foi utilizada a capacidade de caminhões semipesados ou toco.

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

Assembléia Legislativa MS

Mato Grosso do Sul

POLICIAL

Mais Lidas da Semana