Arapuá

12 de Maio, Dia da Enfermagem| O ArapuáNews destaca os profissionais do Distrito

Publicado

12 de maio, Dia da Enfermagem. Parabéns a todos os profissionais, que sempre estão dispostos a ajudar o próximo no momento de dor e agonia, vocês são nossos heróis. Muito obrigado por essa dedicação.

Posted by Portal de Notícias ArapuáMS on Tuesday, May 12, 2020

Quem está doente precisa de cuidados médicos, mas isso não significa o trabalho exclusivo dos doutores em medicina. Para ajudar os médicos a cuidar dos enfermos, uma outra categoria profissional tem um papel decisivo: a dos enfermeiros, que têm no dia 12 de maio o dia internacional que comemora sua profissão.

Hoje 12 de Maio comemora-se o Dia internacional da Enfermagem, e nada mais justo do que falar dos profissionais que atende os moradores do Distrito de Arapuá.

Neste momento tão difícil da pandemia do Novo Coronavírus Covid-19, a profissão enfermeiros entra no grupo de frente ao combate do vírus, enaltecendo ainda mais o amor pela saúde.

Representando os profissionais de Três Lagoas, dos municípios vizinhos e do Brasil, vamos destacar os profissionais que fazem parte da UBS (Unidade Básica de Saúde Altair Cabral Trannin) do Distrito de Arapuá.

Vamos destacar as enfermeiras Karen Priscila Martins e Daiane Gomes da Silva, e as técnicas de enfermagem Idalina Candido da Silva e Rosiane R. Azambuja, que fazem parte do quadro de funcionários da UBS.

Karen Priscila Martins Lima

A enfermeira Karen Priscila Martins Lima atualmente está na coordenação da unidade de Arapuá e iniciou o curso de Enfermagem no ano 2011 e finalizou em 2015, na Faculdade AEMS de Três Lagoas, com Pós Graduação em Urgência e Emergência com carreira desenvolvida na área de enfermagem, com experiência no planejamento e execução de atividades, organização do ambiente de trabalho, atividades em equipe, com experiência na administração de medicamentos, administração de vacinas, aplicação de injetáveis, realização de curativos, retirada de pontos e exames laboratoriais (teste do dedinho, testes do pezinho) bem como na verificação de sinais vitais. Responsável pela prestação de assistência ao paciente em hospitais ou em domicílio, além de atuar no acompanhamento de pacientes no decorrer do tratamento. Karen estagiou em diversos setores hospitalares, tais como: pronto socorro, clinica médica (feminina e masculina) pediatria, centro cirúrgico. Estágio em saúde pública desenvolvendo atividades de planejamento familiar; consultas de enfermagem (pré-natal e puerpério)

Diversos cursos extracurriculares feitos complementando seus conhecimentos na área da enfermagem.

Para Karen, “Enfermagem – é o amor de cuidar de uma pessoa que não conhecemos, de ajudar ao próximo com  a si mesmo, de trocar sua família para cuidar da família dos outros, escolhi está profissão porque amo cuidar do próximo”.

Daiane Gomes da Silva

A enfermeira Daiane Gomes da Silva, está a um mês trabalhando na UBS de Arapuá, se formou em 2016 em Três Lagoas na Faculdades AEMS, trabalhou por dois anos no setor Home Care e por oito meses no país da Irlanda numa Clinica de Idoso e Home Care. Faz um ano que retornou para Três Lagoas e agora está trabalhando em Arapuá.

Para Daiane ser enfermeira é “arte que escolhi, para cuidar das pessoas, que vai muito além da profissão, é um amor ao próximo, sendo assim a profissão que escolhi para minha vida”.

Rosiane R. Azambuja

A técnica de Enfermagem Rosiane R. Azambuja,

Estudou no Senac dois anos e meio, foi contratada pela prefeitura onde trabalhou por 4 anos trabalhando no ESF Interlagos, após passar no concurso municipal ficou dois anos no Jardim Maristela, e por mais cinco anos na  clinica CDC. Por gostar de curativo e cirurgia, foi trabalhar no Hospital Nossa Auxiliadora no centro cirúrgico e mais uma ano no OS e UPA. Em 2016 por casar com Fabiano morador da região da Piaba, pediu transferência para a UBS do Distrito de Arapuá. Com a pandemia do Covid-19 aceitou fazer parte da Unidade de Pronto Atendimento de Três Lagoas (UPA), intercalando entre UPA e UBS.

Rosiane “acha que a profissão não é tão reconhecida, mas é bem gratificante, cuidar de pessoas, principalmente as que não tem condições financeiras, e procura o setor público.

Idalina Candido da Silva

A técnica de Enfermagem Idalina Candido da Silva terminou seu curso técnico no ano de 1982, trabalhou no centro Rural de Arapuá de 82 a 1984, época em que a entidade atendia a população na área de saúde. Foi para o estado, trabalhou até 97 no local próximo a Praça do Distrito, onde hoje reside o batalhão de Arapuá. Em 2016 aposentou-se da função, mas a população fez um baixo assinado a Prefeitura de Três Lagoas, requerendo a recontratação de Idalina, que é muito querida por todos os moradores, com a pandemia por ser grupo de risco a técnica de enfermagem está em casa em isolamento social.

Idalina “avisa para aos pretendentes que a profissão, é muito difícil e tem que ser apaixonada no que faz, sendo uma profissão desgastante, onde muitos acham que devemos fazer tudo, muitos pacientes nos entendem e respeitam, mas, não são todos. A profissão em si já é um grande risco, onde trabalha-se com diversas doenças, e o profissional está em constante risco, disse.

DIA INTERNACIONAL DA ENFERMAGEM

Dia Internacional da Enfermagem (ou Dia Internacional dos Enfermeiros) é comemorado mundialmente desde 1965. A data oficial (12 de maio) foi decidida pelo Conselho Internacional de Enfermeiros em 1974, para assinalar os contributos dos enfermeiros e enfermeiras na sociedade.

O dia 12 de maio foi escolhido para Dia Internacional da Enfermagem por ser a data do nascimento de Florence Nightingale, considerada a “mãe” da enfermagem moderna.

Florence Nightingale e o Dia Internacional da Enfermagem

A data lembra e homenageia o nascimento da britânica Florence Nightingale uma pioneira da enfermagem moderna, que nasceu em 12 de maio de 1820. Nightingale foi uma jovem que se rebelou contra o papel submisso que as mulheres exerciam na sociedade de sua época, destinadas ao casamento e à maternidade. Por isso, ela se tornou enfermeira (profissão normalmente exercida por freiras). Ela se destacou por organizar e chefiar uma equipe de 38 enfermeiras voluntárias que partiram para o front da Guerra da Crimeia (1853-1856) onde tratavam dos soldados feridos.

Depois, na volta a seu país natal, também desenvolveu grandes esforços para melhorar as condições de tratamentos médicos dados a pobres e indigentes.

 Além disso, foi ela quem lutou para dar à atividade um caráter profissional, fundando a Escola de Enfermagem do Hospital St. Thomas, que depois receberia seu nome. Lá foram lançadas as bases do ensino de enfermagem e de lá saíram as primeiras enfermeiras diplomadas. No Brasil, entre 12 e 20 de maio, comemora-se a Semana da Enfermagem, que relembra outra mulher que se dedicou à mesma profissão, pioneiramente, em nossa terra: a baiana Ana Néri (Ana Justina Ferreira Néri).

Nascida em 13 de dezembro de 1814, Néri morreu em 20 de maio de 1880. Foi uma mulher de posses, que deixou uma vida tranquila para servir voluntariamente como enfermeira na Guerra do Paraguai (1865-1870), cuidando dos soldados brasileiros na frente de batalha. Enquanto acompanhante, que cuidava dos enfermos, a enfermagem existe desde a Antiguidade. Tornou-se uma prática não profissional durante a Idade Média e era desenvolvida por religiosas, principalmente, como uma forma de sacerdócio. Só depois da atividade de Florence Nightingale a atividade receberia status profissional. Inicialmente feminina, a profissão hoje é exercida por ambos os sexos.

Dia Internacional da Enfermagem no Brasil

No Brasil, a formação de pessoal de enfermagem para atender inicialmente aos hospitais civis e militares e, posteriormente, às atividades de saúde pública, principiou com a criação, pelo governo, da Escola Profissional de Enfermeiros e Enfermeiras, no Rio de Janeiro, junto ao Hospital Nacional de Alienados do Ministério dos Negócios do Interior. Esta escola, que é de fato a primeira escola de Enfermagem brasileira, foi criada pelo Decreto Federal nº 791, de 27 de setembro de 1890, e denomina-se hoje Escola de Enfermagem Alfredo Pinto, pertencendo à Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

O Dia Internacional da Enfermagem, ou Dia Internacional do Enfermeiro passou a ser uma data comemorativa no Brasil no ano de 1938, quando a data foi instituída pelo então presidente Getúlio Vargas, através de decreto-lei.

Atualmente, a profissão de enfermeiro(a) é regulamentada por lei e existe tanto no nível técnico (ensino médio) quanto no ensino superior. Da mesma maneira existem um Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) com seções nos diversos Estados brasileiros.

Mensagens para o Dia dos Enfermeiros

  • “12 de maio é um dia especial, dedicado àquelas pessoas especiais que cuidam tão bem de nós quando estamos doentes. Vivam os Enfermeiros!”
  • “Obrigado a vocês, Enfermeiros, por horas e horas e anos e anos de vida dedicados à nossa saúde! Sem vocês não estaríamos aqui!”

 

Comentários Facebook

Arapuá

Moradora de Arapuá, Dona Ana completa 100 anos

Publicado

No dia 29 de maio de 1920 em Macaúbas na Bahia, nascia Ana Maria de Oliveira, filha de José Bidoca de Oliveira e Josefina Maria de Oliveira, que além de Ana tiveram mais 6 filhos: Rosalvo, Joventino, Honorio, Silvana, Maria, Ozana.

Uma vida voltada ao campo, aos sete anos Ana já ajudava os pais na roça, na plantação de arroz, feijão, milho, algodão e amendoim.

Foi no Riacho de Santana em Macaúbas que conheceu seu marido Izaias Ferreira da Silva, e constitui sua família onde tiveram o primeiro filho Miguel Ferreira, nessa época Ana encarava qualquer homem de igual para igual no serviço braçal, ora na enxada, ora carregando lasca de aroeira em carro de boi, para construção de cercas, mas mesmo assim sente saudades daquela época.

Em 1952, o casal saiu do Norte com destino ao interior de São Paulo na cidade Mirandópolis numa fazenda na segunda Aliança por onde permaneceram por dez anos e tiveram os filhos: Aparecido Ferreira, Helena Maria, Ozana Maria e Jorge Ferreira, o caçula.

Em 1952 vieram para o Município de Três Lagoas na região Jupiá trabalhar na fazenda de Miguel Tabox.

E por muitos anos a família continuou com os trabalhos do campo, sempre voltados a agricultura, e assim chegou até o sr. Izaias, a notícia de um lugar chamado Arapuá, que estava propicio a agricultura, e assim partiu a família para o Distrito.

Em 1964, Dona Ana chega na Fazenda Arapuá, onde morou por sete anos, o lado da rodovia MS 459, e assim a família trabalhou em serviços voltados a plantações de roças como milho, arroz, feijão. Mesmo com toda as dificuldades os filhos não deixaram de estudar, onde começaram a formação na Escola Estadual Afonso Francisco Xavier Trannin.

O mais velho dos filhos, Miguel se formou na UFMS de Três Lagoas e atualmente mora em Aquidauna. Aparecido mora na Capital de São Paulo. Jorge trabalha na área de segurança do Estado do MS, e chegou a fazer segurança de vários governadores.

Das filhas mulheres, Ozana mora e cuida da mãe no Arapuá.  Helena que nasceu com problemas de saúde, morreu a alguns anos atrás.

Nesses cem anos de vida, Ana Maria de Oliveira, já presenciou vários acontecimentos no Brasil e no Mundo, entre elas a Segunda Guerra Mundial, um momento de muita aflição em nosso País.

Hoje, 29 de maio de 2020, uma data para comemorar se não fosse num momento tão difícil da Pandemia Mundial do Coronavirus, dona Ana com toda lucidez senão fosse a dificuldade de andar, com problemas na coluna e joelhos, passando bom tempo do seu dia em sua cama.

O ArapuáNews conta um pouco da história dos cem anos dessa mulher guerreira,  uma das pioneiras do Distrito de Arapuá do Município de Três Lagoas-MS, onde soube criar seus filhos, com toda as dificuldades, mas nunca abaixo a cabeça e arregaçou as mangas na lida diária, enfrentando a roça, empulhando uma enxada, e assim levando o sustento a sua família, parabéns Dona Ana por fazer parte da história de nosso querido Distrito, onde escolheu para morar e permanece por 56 anos, que venha muitos e muitos anos de muita saúde.

A idade mágica de 100 anos

A idade mágica de 100 anos de existência é hoje celebrada e só desejamos que seja comemorada com muita alegria, paz e amor. Você é uma pessoa incrível, generosa e muito especial. Feliz aniversário!

Que sua história de vida seja hoje, mais do que nunca, recordada com muita clareza. Você ultrapassou inúmeros desafios, muitas provas de fogo! Você é uma pessoa que não sabe o que é desistir.

Temos muito orgulho e admiração no coração maravilhoso que você carrega aí no lado esquerdo do seu peito.

Estarei junto com todo prazer para testemunhar suas proezas. Completar 100 anos é obra! E você é um exemplo de como se deve viver em felicidade. Parabéns!

Comentários Facebook

Continue lendo

Arapuá

Morre aos 57anos Patrícia Bernardo, ex-moradora de Arapuá

Publicado

É com grande pesar que o ArapuáNews noticia o falecimento da trans Patricia Bernardo de 57 anos, ex-moradora do Distrito de Arapuá, filha dos saudosos José Bernardo Filho (José do Brejo) e Aparecida.

Patricia há oito dias deu entrada no Hospital Auxiliadora de Três Lagoas com um AVC, e há dois dias entrou em coma e as vinte e três horas desta terça-feira (26) de maio veio a óbito, com causa morte insuficiência renal.

Patricia Bernardo, passou sua juventude no Distrito de Arapuá no Município de Três Lagoas-MS, lugar esse que fez grandes amizades, de coração humilde, uma pessoa do bem, muito querida por todos.

Patrícia é irmã da Lurdinha do Rodeio que faz vários eventos no Município. Além de Lurdes Bernardo, deixa a irmã Eunice e o irmão Neto.

Em sua rede social havia muitas mensagens de apoio, para sua recuperação e superação, após sua internação.

O velório será no Pax Vida e o sepultamento as 10h00 desta quarta-feira (27) de maio, no Cemitério Santo Antônio de Três Lagoas.

Mensagem do ArapuáNews aos familiares

Nem a vida nem ninguém conseguem nos prepara para a terrível dor de perder alguém que amamos para a morte.

Superar uma perda dessas é um desafio que muitas vezes não conseguimos superar totalmente. E ninguém deve sentir a pressão de ter de ultrapassar completamente a morte de alguém que ama.

O luto não tem prazo de validade, e às vezes, mesmo continuando nossas vidas, para sempre carregamos esse luto conosco. Não nas roupas, mas no coração.

Pois, às vezes, quando o amor é grande demais a saudade de quem partiu antes de nós fica batendo diariamente no nosso peito. E nos lembra de que o amor verdadeiro nem a morte consegue levar!

Comentários Facebook

Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

BRASILÂNDIA

POLICIAL

Mais Lidas da Semana