Brasilândia

Polícia Civil de Brasilândia registra 12 denúncias de violação das medidas e combate à pandemia

Publicado

A Polícia Civil de Brasilândia recebeu no último final de semana, 12 denúncias de violação das medidas e combate ao Covid-19. As manifestações são de casos de aglomerações de pessoas e algumas foram encaminhadas à vigilância sanitária e outras, que caracterizam crime, na qual foram registrados boletins de ocorrência.

As denúncias recebidas pela Polícia Civil têm embasamento legal no Decreto Municipal 5.175/2020, que desde o dia 08 de maio, conforme o artigo segundo e parágrafo terceiro, “Fica vedada a permanência em aglomeração de pessoas na porta ou no entorno dos bares, lanchonetes, conveniências, sorveterias, pastelarias, padarias, distribuidoras de bebidas e congêneres a qualquer hora do dia”.

E também no artigo sétimo “Fica considerada aglomeração de pessoas acima de três indivíduos” e no parágrafo único “Fica estritamente proibida a realização de reuniões, festas, comemorações de quaisquer tipos em imóveis e residências particulares ou não para fins de lazer, religiosos, dentre outros, em toda a extensão do Município de Brasilândia, inclusive Distrito Debrasa, bairro Novo Porto João André e Condomínios”.

DENÚNCIAS

A Polícia Civil solicita que a sociedade colabore com as medidas sanitárias preventivas de combate à pandemia do Coronavírus e dentre essas medidas, uma das mais eficazes é o isolamento social. #fiqueemcasa.

A Polícia disponibiliza uma linha direta para recebimento de denúncias via WhatsApp pelos números 67 999195990 e 67 999879169.

Podem ser encaminhadas denúncias de violação das medidas e combate à pandemia, bem como de outros crimes, como tráfico de drogas, posse ou porte de armas de fogo, furtos e roubos, etc, inclusive com o envio de fotos, vídeos e áudios. O anonimato é garantido.

Com informações da Polícia Civil

Comentários Facebook

Brasilândia

Eduardo Rocha aprova Estado de calamidade pública em Brasilândia

Publicado

Em sessão ordinária remota desta quarta-feira (27), o estado de calamidade pública do município de Brasilândia foi aprovado. Isso porque em reunião da CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação), ocorrida antes, o deputado estadual Eduardo Rocha emitiu parecer favorável para o requerimento.

Em reunião da CCJR, o parlamentar Eduardo Rocha, primeiro vice-presidente da ALEMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), leu seus pareceres, dos projetos que estavam em sua responsabilidade e um deles era este. Segundo ele, a Casa de Leis fez o seu papel.

“É uma ferramenta de trabalho que a Assembleia dá para os prefeitos e prefeita poderem usar com mais agilidade os recursos, naquilo que for necessário contra o coronavírus, doença que está se alastrando pelo nosso Brasil e nosso Estado, infelizmente não é diferente”, disse Eduardo Rocha.

Segundo a assessoria de comunicação da Casa, o projeto autoriza o chefe do Poder Executivo a proceder, mediante decreto, à abertura de crédito extraordinário nos termos previstos pela Constituição Federal, bem como as movimentações de dotações por meio de transposição, remanejamento, transferência e utilização da reserva de contingência.

A análise dos projetos da CCJR ocorre todas as quartas-feiras, antes da sessão ordinária, que neste momento está sendo realizada remotamente, por conta da pandemia do coronavírus.

Somente três dos membros da mesa diretora estão participando da ALEMS, cumprindo todos os cuidados necessários, como uso de máscaras e mantendo a distância entre os demais e claro com o álcool gel sempre em mãos.

Comentários Facebook
Continue lendo

Brasilândia

Em Brasilândia| Morre mulher de 70 anos, 2ª vítima fatal do coronavírus na cidade, a 16ª de MS

Publicado

Dona da casa onde família se reuniu no feriado do dia 1º de maio e a primeira a ser diagnosticada com a covid-19 em Brasilândia, Marilda Reis, de 70 anos, é a 16ª pessoa que morre após ser infectada com o coronavírus em Mato Grosso do Sul. O genro dela André Cardamone Junior, 57 anos, morreu no dia 13, o 13º óbito constatado no Estado.

Marilda estava internada no Hospital Nossa Senhora Auxiliadora, em Três Lagoas. Segundo o prefeito de Brasilândia, Antônio de Pádua (MDB), até sábado, a paciente tinha quadro estável. “Tinha o comprometimento pulmonar, mas as demais funções orgânicas estavam boas. Ela teve uma piora e não resistiu”, detalhou.

A idosa morreu por volta das 20h30 desse domingo (17). O sepultamento foi na noite de ontem mesmo, no Cemitério Campo Santo. Só um familiar foi até o local para a despedida.

Na cidade, até agora, são 15 casos confirmados, a maior parte deles, pelo menos 12, pertence à mês família e participaram da festa no dia 1º ou tiveram contato com participantes. Segundo o prefeito, a quarentena dos diagnosticados termina na próxima quarta-feira (20).

O chefe do Executivo de Brasilândia decretou o uso obrigatório de máscaras, mas não vê necessidade de endurecer as medidas restritivas por enquanto. “Não vejo necessidade, todos os nossos casos são do mesmo núcleo familiar e tem mais de 5 dias que estamos sem casos novos. Acredito que as pessoas estejam respeitando o isolamento, o que contribui muito para a gente conseguir controlar a doença”.

Mato Grosso do Sul registrou aumento de 62 pessoas no rol de infectados nesse domingo e nessa segunda-feira, segundo o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, há pelo menos mais 43 confirmações. Até ontem eram 570 positivos para a doença, número que deve passar de 600 hoje, quando a secretaria divulgar o boletim epidemiológico logo mais, às 10h30.

Fonte:Campo Grande News

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

BRASILÂNDIA

POLICIAL

Mais Lidas da Semana