Três Lagoas-MS

  Últimas
Polícia Militar Ambiental de Rochedo autua três por pesca ilegal no rio Aquidauana e apreende petrechos ilegais de pesca
BOLETIM COVID-19 – Três Lagoas tem 31 novos casos positivos e número de ativos chega a 162 nesta terça-feira (14)
Centro de Treinamento Time Brasil volta a receber atletas no dia 20
Técnico do time feminino do Santos vence câncer e já mira título
Coxim ativa cinco leitos de UTI e região norte de MS está preparada para enfrentar Covid-19
Coluna – Há um ano Jesus estreava no Maracanã pelo Flamengo
Polícia Militar Ambiental de Três Lagoas autua mulher de 39 anos por incendiar resíduos de limpeza, perturbando sua vizinhança pela fumaça
Programa Defensoria Explica destaca doação de protetores faciais
Segurança pública ganha reforço de mais de 100 novas viaturas em MS
Vôlei: mercado segue agitado antes do início da temporada 2020/2021
Polícia Militar em Nioaque prende dois homens por Descumprir Medidas Sanitárias Preventivas e Desobediência
Polícia Militar cumpre Mandado de Prisão durante atendimento de ocorrência em Bela Vista
Polícia Militar Ambiental de Cassilândia autua infrator em R$ 10 mil por degradação de nascentes para plantio de pastagem e manter gado na área protegida
Domingo tem Autocine com exibição do filme “O menino da porteira”
Além de Kit Alimentação,  Prefeitura de Três Lagoas entrega Kit Hortifrúti para mais de 11 mil alunos da Rede Municipal de Ensino (REME)
Redução da punição ao Manchester City gera polêmica na Inglaterra
Ponto de Vista discute projeto de lei que combate fake news
Empresas credenciadas ampliarão atendimento e facilitará acesso aos serviços de vistoria em MS
30 anos dedicados em servir e proteger no MS
Além de Kit Alimentação,  Prefeitura de Três Lagoas entrega de Kit Hortifrúti para mais de 11 mil alunos da Rede Municipal de Ensino (REME)
Unidades de Saúde serão pontos de descarte de medicamentos vencidos em Três Lagoas
Segurança em Pauta entrevista o secretário de Justiça de MS, Antonio Carlos Videira
Saúde divulga novo mapa hospitalar de leitos para coronavírus
Suinocultura de MS cresce acima da média nacional com biossegurança e sustentabilidade
Polícia Militar Ambiental de Mundo Novo autua arrendatário em R$ 10 mil para derrubada de 150 árvores em 33,70 hectares para plantio de lavoura
PGE em Ação exibe entrevista sobre atuação das procuradorias estaduais em época de pandemia
Vereadores de Três Lagoas aprovam LDO e redução do valor de multa por desrespeito a prevenção à Covid
SES realiza 7,3 mil testes de coronavírus por semana em MS, o que representa 43 exames a cada hora
Comando da PMA define estratégias para controle de incêndios no Pantanal
Polícia Militar de Sonora prende jovem por direção perigosa e desobediência
Next
Prev

Suzano

Suzano inova e inicia primeiro curso de formação profissional à distância em Três Lagoas/MS

Publicado

Considerado um marco no setor, empresa irá formar 20 novos Operadores de Máquinas florestais no mercado de trabalho; desde o lançamento da segunda linha de produção, a Unidade Suzano de Três Lagoas formou cerca de 760 profissionais, 686 deles foram contratados pela empresa

Em meio à pandemia do novo coronavírus, a Suzano, referência global na produção de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, inovou mais uma vez e deu início ao primeiro curso de formação continuada à distância em Três Lagoas (MS). Pioneiro no setor, o curso de formação continuada online é gratuito e irá lançar 20 novos Operadores de Máquinas Florestais no mercado de trabalho.

“Estamos inovando o programa de treinamento de Operadores de Máquinas Florestais. Atualmente, não há nada parecido no mercado. Avançamos com uma nova forma de treinar pessoas em uma área específica como essa e carente de profissionais com qualificados. Com o curso, assim como tantos outros que já realizamos, pretendemos reverter o quadro de falta de mão de obra qualificada e aumentar as chances desses alunos de ingressarem no mercado de trabalho. Estamos gerando desenvolvimento e renda para a população, essenciais ainda mais em um momento como este em que estamos vivendo hoje com a crise mundial em decorrência da pandemia do novo coronavírus”, destaca Artur Mazon, gerente de Colheita Florestal da Suzano em Mato Grosso do Sul.

Desde o lançamento da construção da segunda linha de produção em Três Lagoas, em 2015, a Suzano já formou cerca de 760 profissionais para atuar no ramo florestal. Ao todo, foram 26 turmas de operadores de máquinas florestais e seis turmas de mecânicos florestais em Três Lagoas, Brasilândia e Água Clara. Destes, pelo menos 686 foram contratados pela própria empresa.  Somente no ano passado, foram dois novos cursos para o setor, um em Água Clara e outro em Brasilândia, com a média de 30 alunos cada. Nos dois casos, o índice de contratação da empresa após a conclusão dos cursos chegou a 97%.

“A Suzano tem a responsabilidade de inserir a comunidade em suas ações, incluindo a de formação profissional. Gerar e compartilhar valores faz parte da nossa cultura. Os nossos cursos são ministrados por instrutores próprios, seguindo os valores e padrões de excelência da empresa, o que contribui para o crescimento pessoal e profissional dos participantes. E não é diferente no caso do curso à distância. Conseguimos uma forma de seguir com o nosso programa de formação profissional durante a pandemia, respeitando a saúde e a vida e mantendo nosso padrão de exigência. Todo o programa foi repensado e readequado para o formato online e, mesmo as aulas práticas, contarão com as medidas necessárias para garantir a segurança de todos”, reforça Angela Aparecida dos Santos, gerente de Gente e Gestão.

O curso                   

O curso tem uma carga horária estimada em 107 horas, sendo 51 horas delas virtuais e o restante de aulas práticas, nos módulos florestais da empresa.  Todo o conteúdo foi readequado para atender as necessidades do ensino à distância. Os custos, que incluem seguro de vida, transporte e alimentação durante as aulas práticas, são da empresa. Os alunos já tinham um curso inicial na área e, para ingressar no programa, passaram por processo seletivo que inclui entrevistas e prova.

Ao todo, o programa conta com a participação de cinco mulheres. A diversidade, porém, vai além do gênero: são dois estrangeiros, pessoas de Três Lagoas e de outros estados, com diferentes idades, etnias, experiências de vida e formação. A maioria deles, mais de 95%, busca a recolocação no mercado de trabalho.

Este é o caso de Alisson Freitas Nascimento, 40 anos. O soldador industrial participou do curso de Harvester (modelo de máquina florestal), no fim do ano passado. Desde então, busca uma oportunidade de ingressar na área. “O campo para soldador não está fácil. Estava procurando um emprego há um bom tempo quando fiz o curso de Harvester, que sempre foi um sonho meu. Para ser sincero, estava tão para baixo, que pensava em desistir quando me convidaram para fazer parte do programa. Foi a melhor coisa que me aconteceu. Esse curso vai melhorar muito as minhas chances de conseguir um emprego, quem sabe, até na própria Suzano”, completa.

A mesma expectativa de conseguir uma recolocação no mercado de trabalho é compartilhada por Dalciane Oliveira da Silva, 29 anos. Ela também participou de um curso de Harvester e está em busca de uma oportunidade de trabalho. “Em um momento delicado como o que estamos vivendo, receber essa oportunidade de adquirir mais conhecimento é de extrema importância. Sendo mulher, só de participar já é uma conquista, uma vez que são mais homens que buscam essa profissão. Estou muito feliz por ter recebido essa oportunidade e por fazer parte desse grupo e espero conseguir incentivar outras mulheres” destaca.

Comentários Facebook

Suzano

Suzano assina documento contra desmatamento da Amazônia e ao fortalecimento sustentável no Brasil

Publicado

Carta foi direcionada ao Vice-Presidente Hamilton Mourão; movimento formado pelo setor empresarial é favorável ao fortalecimento de agenda sustentável no Brasil e foi assinado por 40 empresas de vários setores. Ibá também faz parte da ação

A Suzano, referência global na produção de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, é uma das 40 empresas signatárias do “Comunicado do Setor Empresarial Brasileiro”, documento divulgado nesta semana que defende a agenda do desenvolvimento sustentável e combate ao desmatamento na Amazônia. Além de empresas de diferentes setores da economia, o movimento reúne também o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), a Indústria Brasileira da Árvore (Ibá), a Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) e a Associação Brasileira das Indústrias de Óleo Vegetal (ABIOVE).

A carta foi endereçada à Vice-Presidência da República e ao Conselho Nacional da Amazônia Legal, presidido pelo vice-presidente Hamilton Mourão, e protocolada posteriormente no Supremo Tribunal Federal (STF), no Senado Federal, na Câmara dos Deputados e na Procuradoria Geral da República (PGR).

O documento tem como principal objetivo destacar “a atenção e preocupação” do setor empresarial em relação a eventuais impactos nos negócios ocasionados pela percepção negativa da imagem do Brasil no exterior em relação às questões socioambientais. Ele indica também ações imediatas a serem adotadas para aplacar as reações negativas de investidores e consumidores estrangeiros ao País, assim como defende que é preciso redirecionar os investimentos para enfrentamento e recuperação da economia brasileira em um modelo de economia circular, de baixo carbono, e inclusiva.

“O Brasil precisa assumir um papel de protagonismo nas discussões ambientais globais e liderar o mundo em direção a uma economia com menos carbono. Para alcançarmos um novo papel na geopolítica global, contudo, nós, como nação, precisamos demonstrar nosso compromisso com o desmatamento ilegal zero. Esse é um ponto fundamental para obtermos reconhecimento global e conseguirmos monetizar o crédito de carbono, um instrumento efetivo de proteção contra o desmatamento e uma fonte de recursos que poderia ser convertida em benefícios à população brasileira”, destaca Walter Schalka, Presidente da Suzano.

O documento encerra com uma mensagem de otimismo, lembrando que o Brasil tem a oportunidade única, os recursos, e o conhecimento para dar escala às boas práticas e planejar estrategicamente o futuro sustentável do país.

Comentários Facebook
Continue lendo

Suzano

Movimento internacional ressalta transparência adotada pela Suzano em relato de tema climático

Publicado

Empresa tem projeto apresentado como estudo de caso na plataforma do TCFD

A Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, é a primeira empresa mundial do setor de papel e celulose a protagonizar a divulgação de um estudo de caso por parte da Taskforce for Climate Related Financial Disclosure (TCFD), a Força-Tarefa Sobre Divulgações Financeiras Relacionadas ao Clima. A exposição comprova a transparência dada pela Suzano a temas relacionados às questões climáticas dentro da Central de Indicadores, uma plataforma interativa onde são apresentados dados quantitativos e qualitativos sobre as operações e os impactos da empresa.

A Força-Tarefa é um movimento internacional composto por 31 membros de diversas organizações, selecionadas pelo Conselho de Estabilidade Financeira (Financial Stability Board – FSB), que atua em favor de divulgações financeiras voluntárias relacionadas ao clima. O FSB, por sua vez, é um órgão internacional que coordena a regulamentação financeira das maiores economias mundiais e faz recomendações sobre o sistema financeiro global, incluindo o desenvolvimento de políticas regulatórias.

Criada em 2015, o TCFD Knowledge Hub, página onde são divulgadas iniciativas relacionadas às recomendações da Força-Tarefa já expôs 14 estudos de caso, lista composta principalmente por empresas dos setores financeiro e não financeiro. Além de ser a primeira do setor de papel e celulose, a Suzano é também a primeira companhia não financeira da América Latina a ter seu trabalho apresentado no hub.

“Há um movimento crescente de conexão entre questões climáticas e impactos financeiros nas empresas e na economia global, e o compartilhamento de nossas práticas mostra que a Suzano está no caminho correto na adoção de melhores práticas para divulgar a interdependência desses temas”, afirma Marcelo Bacci, diretor executivo de Finanças e Relações com Investidores da Suzano.

A Central de Indicadores foi desenvolvida neste ano e possui uma página específica com informações financeiras relacionadas às mudanças climáticas, em linha com as recomendações de mensuração e transparência de resultados propostas pela TCFD. Constam dados como consumo de água e combustíveis de fontes renováveis e não-renováveis, gestão de resíduos e emissões, entre outros indicadores.

A plataforma será atualizada com dados anuais e permitirá aos públicos com os quais a Suzano possui relacionamento analisar dados históricos da companhia. O objetivo é proporcionar a todos um acesso a informações relevantes de forma consistente, transparente e clara.

Para conhecer a página da Central de Indicadores com esses e outros dados, acesse http://centraldeindicadores.suzano.com.br/tcfd/ O hub com os estudos de caso apresentados pela TCFD pode ser acessado no link https://www.tcfdhub.org/case-study/.

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

BRASILÂNDIA

POLICIAL

Mais Lidas da Semana