TRÊS LAGOAS MS
  Últimas
Flamengo tenta retomar o caminho das vitórias diante do América-MG
Pavimentação da MS-320 integra rota da celulose e realiza sonho de produtores
MS ganha novo HR, a maior fábrica de celulose do mundo e mais investimentos no interior do Estado
Jucems recebe da Sejusp 30 notebooks que vão otimizar atendimento ao cidadão
CRE-11 de Ponta Porã recebe 6ª edição da Teia da Educação 2022
Com adesão de municípios, Programa “Bem Nascer MS” projeta avanços na saúde materno-infantil
Fundtur MS e Sebrae realizam o Seminário de Turismo Responsável em Corumbá
Conheça os detalhes do edital da Nova Ferroeste que vai ligar Maracaju até Paranaguá
Sábado será de sol e leve mudança no clima no interior do Estado
Polícia Militar Rodoviária apreende carga de descaminho, na MS 386, em Aral Moreira
Série B: Vasco derrota Operário e cola no líder Cruzeiro
Presidente homenageia profissionais e representante de organização cristã
Em coletiva, secretário de Segurança diz que polícia vai atuar para evitar mais confrontos em áreas de tensão
Basquete 3×3: seleção feminina se classifica para oitavas do Mundial
Tatiana Weston-Webb alcança semifinais do Rio Pro em Saquarema
Seleção feminina perde para Dinamarca em primeiro amistoso na Europa
AGEMS representa MS na II Maratona Nacional de Defesa dos Direitos dos Usuários de Serviços Públicos
PMA realiza palestras para 414 alunos nas atividades do mês do Meio Ambiente
Governo conclui entrega de 15 mil toneladas de calcário para todas as aldeias indígenas de MS
Polícia Militar Ambiental de Aquidauana, Corumbá e Batayporã realizam palestras para 414 alunos nas atividades do mês do Meio Ambiente
Endemias encerra “Semana de Conscientização” de combate ao aedes aegypti
SMAS alerta que não está com vagas abertas para contratação nos CRAS de Três Lagoas
Polícia Militar prende homem por porte ilegal de arma de fogo em Sidrolândia
PMA de Bonito autua paulista em R$ 160 mil por manter gado degradando área protegida de matas ciliares e realizar intervenções ilegais no rio Anhumas em sua propriedade
Gestores e coordenadores da CRE-5 de Dourados participam da 6ª edição da Teia da Educação 2022 
Liga das Nações: Brasil bate Irã, mesmo com saída de Alan no 1º set
Mais de 9 mil privados de liberdade já foram imunizados contra a Influenza
Com muita alegria e devoção, Banho de São João atrai 30 mil pessoas em Corumbá
Mato Grosso do Sul amplia vacinação contra influenza a partir deste sábado
Polícia Militar Ambiental de Corumbá resgata e leva para atendimento ave com as asas feridas possivelmente depois de atingida por pedras de estilingue
Next
Prev

Mato Grosso do Sul

Nova Ferroeste deve reduzir custo de transporte em 30% em Mato Grosso do Sul

Publicado

Mato Grosso do Sul escoa 40% da produção pelo Porto de Paranaguá. Estas mercadorias poderão ser transportadas em um futuro próximo pela Nova Ferroeste e com um custo até 30% menor. Os cálculos foram feitos pelo secretário de Estado da Produção, Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, que representou o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, no lançamento, no Palácio Iguaçu, da consulta ao edital de leilão da Nova Ferroeste, no dia de ontem (21).

A linha férrea vai ligar Maracaju, em Mato Grosso do Sul, ao Porto de Paranaguá, com um ramal também em Santa Catarina, impactando diretamente 67 municípios, sendo oito em Mato Grosso do Sul. Somente no Estado serão 333 quilômetros de ferrovia com investimentos previstos de quase R$ 5 bilhões.

O projeto já nasce como o segundo maior corredor de grãos e contêineres refrigerados do País, o que deve transformar o Paraná em um hub logístico da América do Sul por atrair parte da produção de países vizinhos como Argentina e Paraguai. Se estivesse em operação hoje, a ferrovia poderia transportar cerca de 38 milhões de toneladas de produtos e 26 milhões de toneladas seguiriam diretamente para o Porto de Paranaguá.

Secretário de Produção Jaime Verruck participou do lançamento do edital em Curitiba

A contraprestação mínima, o chamado lance inicial segundo o edital, será de R$ 110 milhões, valor que será revertido integralmente para a Estrada de Ferro Paraná Oeste S.A., administradora do atual trecho em operação. “Este é apenas o valor da cessão onerosa da Ferroeste. Quem vencer a licitação fará os investimentos necessários na ferrovia, que serão de R$ 35 bilhões, sendo R$ 5 bilhões somente dentro do Mato Grosso do Sul”, explicou Verruck.

O secretário destacou que a partir da divulgação do documento há um intervalo para receber contribuições da sociedade, o que vai até 15 de julho. A publicação oficial do projeto só acontecerá com a emissão da Licença Prévia Ambiental, prevista para o segundo semestre. É o que permite o pregão na Bolsa de Valores (B3). A previsão é que a concorrência para a iniciativa privada ocorra ainda no segundo semestre deste ano. O acordo é válido por 99 anos.

O investidor privado que arrematar a ferrovia será responsável pela construção do trecho completo, de 1.567 quilômetros, incluindo os ramais entre Foz do Iguaçu/Cascavel, Chapecó/Cascavel e Dourados/Maracaju. Porém, como forma de atrair mais investidores para o leilão, a cessão onerosa da Nova Ferroeste será subdividida em cinco contratos, sendo quatro de autorização e um de adesão.na solenidade de lançamento do edital da Nova Ferroeste.

Projeto transformador

O governador do Paraná, Ratinho Júnior, reforçou novamente que a ferrovia que corta o Paraná é essencial para a transformação do Estado em hub logístico da América do Sul. “Conectaremos Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e, com o ramal de Foz do Iguaçu, também o Paraguai. Isso viabiliza a ligação férrea com a Argentina e Chile, até Antofagasta, criando o corredor bioceânico multimodal que vai ligar o Pacífico ao Atlântico, tendo o Paraná como protagonista”, destacou.

Já o secretário de Produção de Mato Grosso do Sul destacou o potencial de uma obra deste porte para o Estado. “Mato Grosso do Sul é um grande exportador de comoditties e hoje 40% de tudo que nós exportamos vai pelo porto de Paranaguá. Os produtos seguem hoje através de caminhões. Então esta ferrovia que saíra de Maracaju e chegará até Paranaguá vai dar mais competitividade à produção sul-mato-grossense”, salientou o secretário de Mato Grosso do Sul.

Ele explica que a ferrovia irá atender ainda os fornecedores de milho e farelo do Paraná e os de Santa Catarina. “A Ferroeste além de permitir competitividade contribuirá para o acesso aos mercados internos dos estados do sul”, afirmou.

Verruck lembra que Mato Grosso do Sul é um grande produtor tanto de farelo como de soja como de milho. “Mato Grosso do Sul hoje é um estado que produz 12 milhões de toneladas de milho e cerca de 13 milhões de toneladas de soja. Então, que a gente conseguir fazer essa melhoria em termos de custo de modal, acho que esse é um ponto fundamental. O Brasil também precisa desse deslocamento do transporte rodoviário, pois os caminhões do Mato Grosso do Sul estão andando 1.400 quilômetros para chegar ao porto. Nós esperamos que agora faça isso através da ferrovia, com um custo praticamente 30% inferior mais a competitividade e também atendendo o mercado tanto do Paraná como Santa Catarina”, finalizou.

Governador do Paraná Ratinho Jr e o secretário Jaime Verruck -Kelly Ventorim

De acordo com o edital, a partir da execução da fase I, que vai unir por trilhos o Litoral ao Oeste do Paraná, o vencedor do leilão terá 36 meses (o intervalo entre os anos 7 e 10) para estar apto a iniciar a construção do projeto completo, que inclui a entrega do plano de execução dos outros quatro contratos, todos de autorização, ligando Cascavel a Maracaju, com passagem por Guaíra e Dourados; e a Foz do Iguaçu e a Chapecó (ramais). A peça jurídica contempla indenização ao Estado em caso de rompimento do contrato no período.

Rosana Siqueira, da Subcom, com informações da AEN/PR

Fotos – Kelly Ventorim e Agência de Notícias do Paraná (AEN)

Fonte: Governo MS

Comentários Facebook

Mato Grosso do Sul

MS ganha novo HR, a maior fábrica de celulose do mundo e mais investimentos no interior do Estado

Publicado

por

Com foco na saúde pública, o governador Reinaldo Azambuja inaugurou nesta semana o Hospital Regional de Três Lagoas, que será referência na região da Costa Leste. Também entregou novo pacote de obras no interior e ainda anunciou a vinda de uma nova fábrica de celulose, que será instalada em Inocência e será a maior do mundo no setor.

Em Três Lagoas o governador lançou pacote de obras no valor de R$ 137,8 milhões, em setores como infraestrutura urbana, malha rodoviária, educação, esporte e assistência social. Entre os destaques está a pavimentação da rodovia da MS-320, no valor de R$ 76,8 milhões, que vai dispor de asfalto e drenagem em 31,425 km.

Governador anuncia novas obras em Três Lagoas

Para as vias públicas da cidade foi dada ordem de serviço de pavimentação da Avenida Custodio Andrews e convênio para recuperar a Avenida Jary Mercante. Os bairros Bela Vista, Santa Luzia, Santos Dumont, São Carlos e Nossa Senhora Aparecida vão receber restauração no asfalto e a Vila Nova II e Alvorada terão pavimentação.

Também houve entrega de reforma da Escola Estadual Afonso Francisco Trannin, novas arenas esportivas, 147 títulos de regularização fundiária, assim como cartão social a 90 famílias carentes. A cidade ainda vai ganhar uma ponte de concreto sobre o córrego Ribeirão Campo Triste.

Hospital Regional

Um grande sonho da população se tornou realidade, com a entrega do Hospital Regional da Costa Leste Magid Thomé, em Três Lagoas, que teve investimento de R$ 122,4 milhões. A estrutura será referência para toda Costa Leste do Estado, sendo o mais moderno de Mato Grosso do Sul.

 “Hospital vai fazer muita diferença para a cidade. Faz parte da regionalização da saúde. É um momento especial para os moradores da Costa Leste. A unidade não vai ter custo nenhum para os municípios. O Estado vai bancar o custeio mensal da unidade, com R$ 7 milhões”, afirmou o governador.

Hospital Regional de Três Lagoas vai atender a Costa Leste

Iniciado este março de 2017, o Hospital Regional foi construído em uma área de 26,4 mil metros quadrados, em um prédio com blocos setorizados, que vai dispor de 116 novos leitos. Ele contará com 460 funcionários diretos e mais 600 indiretos, chegando 1.060 empregos gerados na cidade.

A unidade terá internação e atendimento ambulatorial de média e alta complexidade, assim como consultas especializadas, pronto socorro, enfermaria, UTI adulto e pediátrica, clínica geral, serviços de Endoscopia Adulto e Infantil, Colonoscopia, Broncoscopia, Ultrassom/Dopler e Ressonância Magnética, entre outros procedimentos.

Nova fábrica de celulose

Governador anuncia nova fábrica de celulose no Estado, no município de Inocência

Com ambiente seguro e propício, Mato Grosso do Sul vai receber novo investimento bilionário do setor privado. O governador anunciou a implantação de uma fábrica celulose em Inocência, que pertence ao grupo chileno Arauco, uma das principais empresas madeireiras da América Latina.

O investimento estimado é de R$ 15 bilhões, beneficiando 14.300 famílias com geração de 12 mil empregos no pico da construção e 250 empregos diretos e 300 indiretos quando entrar em operação, além de 1,8 mil empregos permanentes na parte florestal. Será a maior fábrica do mundo de celulose.

“Vamos receber no Estado uma das maiores fábricas de celulose do mundo. Será uma unidade moderna, que vai gerar empregos, oportunidades, renda e desenvolvimento social em uma região que também integra a Costa Leste Florestal, mas que não tinha nenhum empreendimento deste tipo.  A vinda desta fábrica mostra a confiança dos investidores em Mato Grosso do Sul”, descreveu o governador.

Convênio e novos maquinários

Novos maquinários agrícolas para 40 municípios do Estado

Seguindo a política de valorização do campo, o Governo do Estado entregou mais 26 caminhões-caçamba e 19 motoniveladoras a 40 municípios do Estado. O Governo do Estado já entregou mais de 2,8 mil equipamentos agrícolas desde 2015 e a meta é chegar a 3,8 mil até o final do ano.

Os novos equipamentos agrícolas fazem parte do programa Prosolo (Plano Estadual de Manejo e Conservação de Solo e Água). “Temos uma previsão que todos os 79 municípios vão receber, são motoniveladoras, caminhões, pás-carregadeiras e outros. Então, conforme as indústrias vão entregando é feito o repasse”, destacou.

Governador assina convênio com a Fiocruz

Para fortalecer a ciência e tecnologia, foi assinado convênio de R$ 14,854 milhões para instalação de uma Plataforma de Pesquisa Científica da Fiocruz em Mato Grosso do Sul. Ela poderá desenvolver novos insumos, como medicamentos e vacinas. O evento ocorreu no auditório do Bioparque Pantanal. 

Medindo de 2,5 mil a 3 mil metros quadrados, o novo prédio será erguido ao lado do Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública), em Campo Grande. O prazo para construção e execução é de 12 meses. Os recursos são do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, por meio da Fundect (Fundação de Ciência e Tecnologia).

Nomeações e 13° salário

Governador anuncia novas nomeações de servidores estaduais

Atendendo aos pedidos dos servidores estaduais, o governador anunciou a antecipação de metade do 13° salário, que será pago no dia 5 de julho. Será o segundo ano consecutivo que ele toma esta decisão para contribuir com o funcionalismo público. Os sindicatos elogiaram a iniciativa, alegando que este recurso chega em “bom momento” para quem precisa.

O governador também autorizou a convocação de 1.354 novos funcionários públicos para 26 funções na gestão estadual. O anúncio foi feito durante a inauguração do Hospital Regional da Costa Leste. As convocações começam a ser publicadas ao longo da próxima semana, de 27 de junho a 1º de julho. O impacto na folha será de aproximadamente R$ 11 milhões por mês.

“Com essas nomeações, o Governo do Estado irá reforçar a segurança dos presídios, as investigações policiais, melhorar o aprendizado dos nossos alunos, a fiscalização do Procon, o trabalho da Iagro e da Agraer, o atendimento à saúde e a atuação da procuradoria”, destacou o governador.

Leonardo Rocha, Subcom
Fotos: Chico Ribeiro

Fonte: Governo MS

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso do Sul

Pavimentação da MS-320 integra rota da celulose e realiza sonho de produtores

Publicado

por

Na Costa Leste de Mato Grosso do Sul, a pavimentação da MS-320, no trecho que liga Três Lagoas ao trevo Vera Cruz, na MS-377, promete integrar toda uma região produtora de florestas plantadas, fortalecendo a cadeia da celulose e o sistema logístico. A obra ainda concretiza sonhos de produtores rurais que vivem e trabalham na região, já que, depois de pavimentado, o caminho servirá de nova rota de conexão entre Três Lagoas, Água Clara, Inocência, Paraíso das Águas e Chapadão do Sul.

A autorização para o início da obra na rodovia foi dada pelo governador Reinaldo Azambuja nesta semana, após o anúncio de que a empresa chilena Arauco vai construir em Inocência uma nova fábrica de celulose, a 5ª de Mato Grosso do Sul, em um investimento de R$ 15 bilhões.

Segundo o governante, nesta etapa serão pavimentados 31,7 quilômetros da MS-320. “As máquinas já estão aqui, começando a pavimentação. Esse primeiro trecho recebe R$ 76 milhões de investimentos. Vamos fazer essa rodovia completa, pois é uma integração muito importante para o escoamento do eucalipto e da produção. Os outros (dois) trechos já contratamos projeto executivo também para licitar e deixar tudo isso organizado”, destacou Reinaldo Azambuja.

Reinaldo Azambuja vistoriou o canteiro de obras nesta semana, após autorização para início da pavimentação

Em Três Lagoas, a MS-320 inicia no entroncamento com a MS-158 e segue até o trevo Vera Cruz, na MS-377. Neste ponto, quem viaja pela estrada pode seguir reto por 155 quilômetros até Paraíso das Águas, virar à esquerda e continuar por mais 85 quilômetros até chegar em Água Clara ou dobrar à direita e seguir mais 51 quilômetros até Inocência.

Sonho de gerações

Mara (esquerda) e Selma (direita) acreditam no desenvolvimento da região após a pavimentação da MS-320

Segundo a produtora rural Mara Cristina Viana Belchior, de 52 anos, o movimento de veículos pesados em toda a região é intenso por causa do escoamento do eucalipto, matéria-prima da celulose fabricada na Costa Leste. “E o tráfego na MS-320 também é muito grande. Quando chove, os veículos atolam e fica difícil”, revelou. “A obra é importante porque melhora o acesso e dá mais segurança. É um sonho”, destacou.

Mara é uma das integrantes do Grupo Mulheres do Agro de Três Lagoas (Matrel), que reúne cerca de 80 produtoras rurais da cidade. Parte da associação se encontrou com o governador Reinaldo Azambuja para falar sobre as melhorias na MS-320 e agradecer o início das obras.

Selma Rosane Bento, 55, uma das mulheres da Matrel presentes no encontro, ressaltou a importância do asfalto para a produção rural. “O custo do transporte encarece na estrada de terra. Então, o benefício vai ser grande para o transporte e até para o emprego porque a estrada de terra traz dificuldades e o asfalto facilita o acesso, transporte e escoamento. Facilita a vida, valoriza a propriedade e traz uma série de benefícios à população e aos usuários da estrada”, pontuou.

Para Viviane, pavimentação é sonho realização de um sonho familiar

Outra produtora com fazenda na rodovia é Viviane Jussara Zacarias, 47. Para ela, além dos benefícios econômicos, a rodovia pavimentada representa a realização de um sonho de família. “Meu pai é pecuarista daqui, já é falecido, e ele dizia que nunca sairia o asfalto e que nem a neta dele iria ver. Estamos há muitos anos esperando. Há 25 anos pleiteando. E agora, graças a Deus e ao nosso governador, vamos ver esse asfalto. Estamos agradecidos e contentes com isso”, revelou ela, que tem uma filha de três anos.

Produtor membro do Sindicato Rural de Três Lagoas, José Luiz Galvani, 56, vive há 30 anos na região. Ele também tem histórias sobre as dificuldades enfrentadas ao longo dos anos na MS-320 e agora, com o começo da obra de pavimentação, acredita que o sonho está prestes a se tornar realidade, conectando sonhos das antigas com as novas gerações.

“Meu avô comprou uma propriedade nessa estrada. Em 1973 nós estávamos andando 110 quilômetros de terra e sofrendo. Eu lembro que era menino, tinha oito anos e uma hora perguntei ao meu avô: ‘daqui a 10 anos vou ter 18 e vou tirar a carta. Essa estrada vai estar asfaltada?’. E ele disse que com certeza que a estrada estaria asfaltada. O meu pai faleceu em 2004, o meu avô em 2008 e só tenho um tio vivo. E esse tio falou que não iríamos ver a MS-320 asfaltada. Mas ele está com 82 anos e vai ver sim”, contou José Luiz.

Governador Reinaldo Azambuja e secretário Eduardo Rocha (Governo) conversam com José Luiz outros produtores rurais da MS-320

“O governador Reinaldo Azambuja nos dá uma alegria hoje imensurável. O sentimento é de gratidão ao governador e de esperança de que vai chegar os outros trechos para ligar a 320 até a 377″, completou o produtor.

Bruno Chaves, Subcom
Fotos: Chico Ribeiro

Fonte: Governo MS

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

Assembléia Legislativa MS

Mato Grosso do Sul

POLICIAL

Mais Lidas da Semana