Curiosidades

10 Modinhas e tendências japonesas que são um tanto estranhas para nós

Publicado

O Japão é um país que realmente parece ter saído de outro mundo. Lá encontramos as coisas mais inusitadas que, para os japoneses, são até normais. Sem dúvidas, é um país encantador, que devemos visitar pelo menos uma vez na vida. Veja abaixo algumas tendências do Japão que podem parecer muito loucas e no surpreender, mas vindo daquele país, são até esperadas!

1 – Uma nova forma de carregar as bolsas

A tendência começou em maio de 2018, por uma cosplayer japonesa chamada Yui Okadae. É simplesmente uma nova maneira de transportar a mochila, e sua criadora afirma que o método é “seguro, confortável e sexy”.

2 – Decora

O nome dessa tendência vem da palavra inglesa “decoration” (decoração). Surgiu no final dos anos 90 e se tornou popular nos anos 2000. Depois de desaparecer por um tempo, essa tendência voltou agora com bastante força. A maquiagem é feita para que as pessoas pareçam crianças. Os acessórios são cheios de brilho e chamativos, englobando adesivos para o rosto, brilho, grampos de cabelo, presilhas, tiaras, pulseiras, colares, meias multicoloridas, polainas para as pernas e braços, etc.

3 – Ganguro

Pele morena “bronzeada”, cabelos claros – ruivo, louro ou cinza – e detalhes de maquiagem branca: lábios, a parte frontal do nariz e a área ao redor dos olhos fazem parte dessa tendência. Além disso, os adeptos também usam cílios postiços, cristais faciais e roupas brilhantes para completar o visual chamativo.

4 – Molde para batom

Esse molde é ideal para as mulheres que já tiveram problemas para aplicar o batom. Ele faz parte da tendência “chindogu”, que significa “ferramentas incomuns”, e que são consideradas soluções simples para os problemas cotidianos. Essas invenções são, em sua maioria, raras e inúteis.

5 – Filtros faciais

Os japoneses adoram truques que ampliam os olhos, e eles usam de tudo, desde lentes de contato até cirurgia plástica. A era do Instagram trouxe uma nova tendência: os filtros faciais. Eles não só ajudam a alcançar enormes olhos de anime, como também uniformizam a pele, fazendo com que pareça lisinha e brilhante.

6 – Rosquinhas na testa

Esta tendência foi levada do Canadá ao Japão. Se trata de uma injeção de solução salina com efeito temporário, que desaparece após 24 horas e é usada principalmente na cena underground.

7 – Shironuri

A palavra “shironuri” significa “pintado de branco”, especialmente o rosto. A roupa não é tão importante; é possível usar uma vestimenta tradicional japonesa ou do estilo “Lolita” com inspiração vitoriana ou qualquer outra tendência. A principal característica é a pele branca, produzida usando maquiagem, produtos de beleza ou coberta com panos claros.

8 – Kigurumi

Essa tendência também é popular fora do Japão. Esses pijamas de estilo animal fazem parte da moda de rua japonesa, usada por homens e mulheres – e não apenas por adolescentes. Outra tendência, conhecida como animegao kigurumi, é um fenômeno mais interessante, em que as pessoas usam máscaras, além das roupas dos personagens habituais para se tornarem ainda mais parecidas com seus idolatrados personagens de anime.

9 – Máscaras faciais

O Japão é conhecido por produzir inúmeros produtos para o tratamento facial. Por lá é possível encontrar máscaras faciais diferentes, ferramentas para massagens e outras coisas desse tipo. Esta máscara em particular é um tipo de exercício para o rosto. Ela foi criada para ajudar a eliminar as rugas, tonificar as bochechas e melhorar a circulação sanguínea.

10 – Formadores de pálpebras

Este dispositivo foi criado para fazer com que as pálpebras fiquem mais parecidas com as pessoas do ocidente, deixando os olhos menos puxados. Criado para evitar as cirurgias plásticas que teriam o mesmo objetivo, o dispositivo tem feito bastante sucesso.

 

Fonte: Bright Side

 

Comentários Facebook

Curiosidades

9 Alimentos que podem guardar perigos ocultos para a sua saúde

Publicado

Muitas vezes compramos alimentos “saudáveis” achando que não há qualquer risco para a nossa saúde, mas até mesmo alimentos que nem imaginamos, como um simples alface, podem oferecer riscos e estar repletos de bactérias, principalmente quando manuseados sem higiene. Veja abaixo algumas maneiras de evitar problemas ao se alimentar.

1 – Mariscos em conserva

De acordo com pesquisas, este tipo de alimento contém muito mais levedura do que o permitido, o que significa que há violações dos padrões sanitários durante a produção. O mais apropriado é comer frutos do mar congelados.

2 – Carne moída

Especialistas descobriram bactérias como E. coli, salmonela e listeria na carne moída. É por isso que é melhor cortar pedaços finos de carne e fritá-los do que consumir a carne moída.

3 – Queijo

Não há produtos químicos tóxicos nos queijos, mas os microrganismos patogênicos que causam intoxicação podem entrar nos queijos em qualquer fase da sua produção, existindo o risco de pegar brucelose (Infecção transmitida de animais para pessoas) e listeriose (infecção bacteriana) se o leite não pasteurizado de animais doentes for usado durante a produção. É por isso que você deve comprar apenas queijo de fabricantes confiáveis, se for possível.

4 – Ovos

A salmonela é uma bactéria presente não só na casca do ovo, como também dentro dele, e que é uma das principais causadoras de intoxicação alimentar, podendo levar até mesmo à morte. Não consuma ovo cru e lave a casca do ovo antes de consumi-lo.

5 – Frango

Uma gota de suco de carne de frango crua contém bactérias Campylobacter suficientes para infectar uma pessoa, causando febre e problemas gastrointestinais. A bactéria se espalha muito rápido quando lavamos a carne, ficando em nossas mãos, avental, balcões etc. É preciso minimizar o contato com o frango cru e lavar a tábua e as facas longe do resto dos pratos. Se for possível, lave tudo em água fervente.

6 – Atum

Quando o peixe é descongelado e armazenado de forma errada, é formada uma proteína tóxica chamada de escombrotoxina, que pode causar um tipo de intoxicação alimentar que leva a erupções cutâneas, vômitos, dores no estômago, diarreia, alteração da frequência cardíaca e até perda de visão. A solução é descongelar o atum sem deixá-lo entrar em contato com o ar, retirá-lo do congelador e colocá-lo na prateleira mais baixa da geladeira sem abrir o pacote.

7 – Salsichas e produtos à base de carnes

Segundo pesquisas, 12% das salsichas e outros produtos à base de carne estão infectados com E. coli e microrganismos patogênicos (listeriose e salmonela). A listeriose é perigosa principalmente para pessoas idosas, gestantes, recém-nascidos e crianças com menos de um ano de idade, podendo causar danos ao sistema nervoso e até meningite.

8 – Alface

Você deve estar surpreso pelo fato de a alface integrar a lista. Os cientistas do “Center for Science in the Public Interest (CSPI)”, ONG americana que defende os direitos dos consumidores, fizeram uma pesquisa para descobrir quais alimentos levavam ao maior número de casos de intoxicação alimentar. Alface acabou ficando em primeiro lugar, sendo responsável por 13.568 casos conhecidos de intoxicação. Portanto, mesmo que a alface esteja bem embalada e “pronta para comer”, é melhor lavá-la muito bem antes de consumi-la.

9 – Refrigerante

Além da obesidade e danos no fígado e nos dentes, o refrigerante também é perigoso para os ossos, já que contém ácido fosfórico e cafeína, que levam à diminuição da densidade mineral óssea (DMO) e eventualmente à osteoporose.

Comentários Facebook
Continue lendo

Curiosidades

Ela passou 3 anos para transformar ônibus velho numa casa móvel, e ficou incrível

Publicado

Jessie Lipskin decidiu construir a casa dos seus sonhos em vez de comprá-la pronta. Ao dar uma olhada no site eBay, ela se apaixonou por um ônibus GMC de 1966 (o mesmo modelo que Keanu Reeves dirigiu em “Velocidade Máxima”) e logo o comprou.

Jessie passou três anos transformando o veículo em uma casa sobre rodas, e os resultados mostram que o esforço valeu à pena. Ela afirma que sua casa nem um pouco tradicional foi inspirada pela busca de um estilo de vida sustentável. “Minha primeira atração para o estilo de vida sustentável alternativo foi o documentário Garbage Warrior”. Ela gastou cerca de 70 mil dólares e está morando no ônibus desde janeiro.

Esse é o ônibus de 1966 que se transformou em uma casa para Jessie. Ela o comprou assim e logo começou seus trabalhos que resultariam em seu novo lar

A parte mais difícil foi arranjar pessoas que pudessem ajudar no projeto, já que havia coisas que Jessie não conseguia fazer sozinha. “Eu amo ‘faça-você-mesmo’, no entanto, eu não tenho experiência com encanamento, elétrica e carpintaria necessária para este projeto”, disse a mulher em uma entrevista

Logo começaram a surgir os primeiros resultados de seus esforços

Um dos desafios é que era muito diferente construir em um ônibus do que em um local fixo

Jessie demorou três anos para transformar o ônibus, mas o resultado foi compensador

“Uma pintura a óleo enfeita o corredor. Acho que esses últimos retoques realmente ajudam a se parecer mais com uma casa do que com um ônibus”, escreveu um amigo de Jessie

Os mínimos detalhes foram pensados e a nova casa de Jessie conta com muito conforto, como qualquer outra casa tradicional

“Levou uma boa quantidade de pesquisa para encontrar as cortinas certas. Escolhi cortinas de veludo para o quarto”

Uma pequena biblioteca faz parte do quarto

Uma parte do closet

Uma cozinha que não deixa a desejar

Detalhes do banheiro

Quem não gostaria de ter essa vista incrível de dentro da cozinha?

 

Fonte: Tudo Interessante

 

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

BRASILÂNDIA

POLICIAL

Mais Lidas da Semana