TRÊS LAGOAS MS
  Últimas
Estudo de viabilidade da ferrovia Malha Oeste avança e licitação pode sair no segundo semestre
Governo lança segunda etapa do programa Estágio Supervisionado e Capacitação Técnica do MS
Quarta-feira continua com tempo estável, sem previsão de chuva no Estado
Copa dos Campeões de basquetebol e futsal de 15 a 17 anos começa nesta quarta-feira em Coxim
Desde 2017, estudantes da EE 11 de Outubro realizam aulas de capoeira
Secretaria de Meio Ambiente doa óleo usado para pessoas que fazem sabão em Água Clara
Polícia Civil de Água Clara prende professor de música suspeito de abusar sexualmente de aluna de 9 anos
Polícia Civil de Três Lagoas fecha boca de fumo e prende homem em flagrante por tráfico de drogas no residencial Novo Oeste
Autores dos furtos em hamburguerias na Lagoa Maior são identificados pela Policia Civil de Três Lagoas
Cruzeiro vence no Mineirão e amplia vantagem na liderança da Série B
Internacional perde para Colo-Colo e se complica na Sul-Americana
Centro de Promoção da Saúde e SOS são inaugurados pela Unimed Três Lagoas
Corinthians fica no 0 a 0 com o Boca Juniors pela Libertadores
Athletico-PR derrota Libertad por 2 a 1 na Arena da Baixada
Polícia Militar prende autores por tráfico de drogas e apreende 188 kg de drogas
MPE´s lideram criação de empregos formais em 2022
Suzano está com três processos seletivos abertos para Três Lagoas (MS)
Chuva e neblina podem comprometer a segurança no trânsito
Design de Interiores EAD incorpora proposta biofílica na UNIGRAN Decor
Em visita de manutenção, HNSA que já é ONA Nível 1, recebe retorno positivo de avaliadores do IBES
Prefeito de Sonora, que é também presidente do Cointa, assina contratos de gestão
Bracell abre inscrições para Programa de Trainee 2022
Libertadores: Hulk perde pênalti e Galo empata na ida das oitavas
Com gol de Gabriel Teixeira, Grêmio derrota Londrina na Série B
Governo entrega veículo para transportar famílias atendidas pelo Cotolengo e doa casacos
Polícia Militar Rodoviária apreende três cargas de contrabando e descaminho, na MS 164, em Maracaju
Brasil encerra Pan de Ginástica de Trampolim com nove medalhas
Liga das Nações: seleção feminina bate China em abertura da 3ª etapa
Governo arca com passe da Rede Estadual de Ensino, mas quer tarifa congelada
Coluna – Brasileirão está mais difícil do que nunca
Next
Prev

Mato Grosso do Sul

Rota do Desenvolvimento fortalece o interior e transforma economia de Mato Grosso do Sul

Publicado

A primeira edição da Rota do Desenvolvimento, que aconteceu de 21 a 23 de julho no município de Nova Andradina contou com a participação de 1023 pessoas – pequenos comerciantes, produtores rurais, potenciais empreendedores, empresários e representantes dos municípios – que usufruíram das 200 atividades gratuitas e serviços especializados oferecidos na estrutura montada no campus da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). A ação foi realizada pelo governo do Estado e Sistema S, em parceria com outras 40 entidades do setor produtivo de Mato Grosso do Sul, com o objetivo de fortalecer os municípios do interior e criar um novo paradigma de desenvolvimento, baseado na sustentabilidade, descentralização e diversificação.

“A Rota do Desenvolvimento é uma ação estratégica do governo do Estado e uma parceria inédita da administração estadual com o setor produtivo. É ainda um compromisso assumido pelo governador Reinaldo Azambuja de estabelecer uma nova economia para o Estado, promovendo o desenvolvimento equilibrado das regiões do interior, estimulando o crescimento das micro e pequenas empresas (MPEs) com sustentabilidade, ciência, inovação e tecnologia”, disse o secretário adjunto da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semade), Ricardo Senna. Ele representou o governador e o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Elias Verruck no evento.

“O governo estadual vestiu a camisa dos pequenos negócios, que representam 98% das empresas instaladas em Mato Grosso do Sul. Precisamos dar condições para que esses empreendedores, que são pequenos agora, vislumbrem um novo leque de oportunidades e possam, inclusive, se expandir”, afirmou Ricardo Senna. Ele lembrou ainda que a Rota do Desenvolvimento é um dos eixos de atuação do Programa de Apoio aos Pequenos Negócios (Propeq), que está ligado ao Plano de Desenvolvimento da Nova Economia Sul-Mato-Grossense (Pronova).

Atendimentos e parceria de sucesso

A parceria do governo do Estado com o Sistema S e outras 40 entidades representativas do setor produtivo fortaleceu o interesse comum de promover o desenvolvimento de Mato Grosso do Sul e proporcionou condições diferenciadas de se identificar oportunidades em momentos de crise. Nos três dias de realização da Rota do Desenvolvimento, cerca de 800 pessoas, entre microempreendedores individuais, produtores rurais, proprietários de micros e pequenas empresas puderam usufruir de atendimento especializado nas áreas de crédito, gestão, empreendedorismo, capacitação profissional, serviços educacionais, normas técnicas, educação, licenciamento ambiental e cooperativismo.

A Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semade) – por meio do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), Junta Comercial de Mato Grosso do Sul (Jucems) e Agência Estadual de Metrologia de MS (AEM-MS) – tirou dúvidas sobre o Cadastro Ambiental Rural (CAR), licenciamento ambiental e realizou palestras e dezenas de atendimentos com orientações sobre legislação e prevenção.

http://www.noticias.ms.gov.br/wp-content/uploads/sites/13/ngg_featured/Atendimento-Imasul-na-Rota-do-Desenvolvimento.jpg

Técnicos do Imasul fazendo atendimento na Rota do Desenvolvimento

Os irmãos Rafael e Bruno Yassunaka, da empresa BSY Consultoria Ambiental – que atua em Nova Andradina – foram atendidos pelos técnicos do Imasul e elogiaram a Rota do Desenvolvimento. “É um evento de grande importância e auxílio para o nosso trabalho e também de nossos clientes”. Rafael e Bruno tiraram várias dúvidas ligadas ao novo manual de licenciamento ambiental e sobre o CAR.

Nos três dias de evento, várias oficinas gratuitas foram oferecidas aos participantes pelo Sebrae-MS, como as de Compras Governamentais; Atendimento ao Cliente; Vendas pelas Redes Sociais; Marketing para minimercados; Acesso ao Crédito; Layout de Lojas e Vitrines; Gestão Financeira; Formação de preços; Construção de tanques para peixes; Pecuária Leiteira; Higiene e Manipulação de Alimentos; Técnicas de cobrança; Mercado dos Games; Lei Geral da Micro e Pequena Empresa; Fluxo de Caixa; entre outras.

O público teve à disposição, nos períodos da manhã e tarde, representantes da Agenfa, Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, CGU, Corpo de Bombeiros, Delegacia Regional do Trabalho (com emissão de Carteira de Trabalho e consulta ao FGTS), HSBC, IEL, OCB/MS, Prefeitura de Nova Andradina, Procon, Receita Federal, Sebrae, Senac, Senai, Senar, Sesc, Sesi, Sest Senat, Sicoob, Sicredi, Subjuv, UEMS e Vigilância Sanitária. Unidades móveis do Senai e da Energisa ofereceram ainda cursos sobre eficiência energética, panificação e informática, além da emissão de CPF.

Os serviços oferecidos pela Rota do Desenvolvimento também deram condições para a transformação da vida de algumas pessoas que procuraram o local. Foi o caso de Delvair Gonsalves, 47 anos e Fábio Henrique Gonsalves, 41. Há mais de 25 anos eles trabalhavam na informalidade, no ramo da construção civil. Na quarta-feira (22), os dois saíram com seus alvarás, em mãos, de Micro Empreendedor Individual (MEI), emitidos pela prefeitura de Nova Andradina – parceira do evento. “A gente precisava emitir nota fiscal, pois os serviços que têm aparecido estão exigindo. A gente achava que abrir firma era complicado, mas foi tudo muito rápido”, disse Fábio.

Orientação e democratização

Na quinta-feira (23), os técnicos do governo do Estado ministraram palestras aos participantes que procuraram a Rota do Desenvolvimento. Servidores do Imasul deram orientações e tiraram dúvidas sobre o Cadastro Ambiental Rural a consultores da região. O diretor da AEM-MS, Nilton Rodrigues e a diretora técnica da Agência, Luciana Boni Cogo, esclareceram dúvidas de agentes municipais e comerciantes sobre questões relacionadas ao Inmetro.

Outra atividade acompanhada pelo governo, por meio da Semade, foi a reunião de potenciais empreendedores com os agentes financeiros do Fundo de Investimentos do Centro-Oeste (FCO).Deste encontro participaram os gerentes do Banco do Brasil de Nova Andradina, Augusto César Lima e Bruno Queiroz Bagatim, juntamente com o consultor do Sebrae, Alcenir Calazans. A intenção do governo é democratizar e desmistificar o FCO, principalmente para os pequenos empreendedores.

Na avaliação do prefeito de Nova Andradina, Roberto Hashioka, a Rota do Desenvolvimento “é mais uma demonstração da preocupação e atenção do governador Reinaldo Azambuja com os municípios do interior do Estado”. Segundo ele, o conhecimento repassado aos empresários é fundamental para os empreendimentos crescerem.

Ainda em 2015 a Rota do Desenvolvimento passará pelos municípios de Coxim, Dourados e Três Lagoas. A programação das próximas edições estará disponível, em breve, no site www.rotadodesenvolvimentoms.com.br.

Comentários Facebook

Mato Grosso do Sul

Estudo de viabilidade da ferrovia Malha Oeste avança e licitação pode sair no segundo semestre

Publicado

por

O estudo de viabilidade técnica e econômica que vai dar suporte ao processo para a relicitação da Malha Oeste deverá ser concluído até julho. A expectativa é do secretário de Parcerias em Transportes no Ministério da Economia, Leonardo de Freitas Maciel. Com a finalização do estudo de viabilidade técnica, os trâmites para a reativação dos quase 2 mil quilômetros do trecho ferroviário avançam e a expectativa é que a consulta pública possa ocorrer até agosto.

A reativação deve ser feita de Corumbá até Mairinque, em São Paulo e o investimento pode chegar a R$ 15 bilhões. A meta é de que a nova concessionária, que vencer a licitação, faça a revitalização de dormentes, troca de trilhos, entre outros, para que se possa escoar minérios e outros produtos. A estruturação do projeto para a relicitação da Malha Oeste é realizada pelo consórcio ‘Nos Trilhos de Novo’, composto por quatro empresas e liderado pela Latina Projetos Civis e Associados.

Ferrovia Malha Oeste, com mais de mil quilômetros em MS ligando Corumbá a Três Lagoas deve ser licitada -Chico Ribeiro

O projeto foi contratado por meio do CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina) e inserido no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do Governo Federal.
“É um processo de relicitação. Então, a gente tem uma concessionária que é a Rumo que tá devolvendo esse processo e agora preparamos uma nova concessão, uma nova licitação. Nesse momento o Governo está finalizando os estudos para esse processo da nova concessão que envolve todo o ramal da Malha Oeste, desde Mato Grosso do Sul até São Paulo.

Maciel reforça que o objetivo é que o projeto seja tecnicamente e economicamente viável e com a infraestrutura disponível. “Os estudos devem ser concluídos ao final de julho. A gente vai entrar então num processo de aprimoramento e desenvolvimento dos estudos, na sequência a gente deve publicar aí a consulta pública, similar ao que tá acontecendo hoje com a Nova Ferroeste”, explicou. O secretário salientou que na sequência a documentação será encaminhada ao Tribunal de Contas da União. “Assim que eles fizerem a manifestação deles a gente vem com o edital. A expectativa é que o edital saia ainda esse ano”, sinalizou.

Eixos logísticos
Segundo o secretário de Estado, Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar (Semagro) Jaime Verruck, uma das grandes preocupações do Governo do Estado foi a estruturação de todo seu planejamento visando incrementar os eixos logísticos. “Na questão portuária nós abrimos todo Porto Murtinho, Ladário e Corumbá. Pensamos na utilização da hidrovia, na integração rodoviária com investimentos do Fundersul e Fonte 100 fazendo uma integração e abrindo novas áreas principalmente para atender o avanço da agricultura de Mato Grosso do Sul. Nós tivemos um foco muito claro além da Bioceânica, que é rodoviária a questão da retomada da implementação dos trilhos”, enfatizou.

Secretário da Semagro, Jaime Verruck durante o lançamento da Ferroeste no Paraná – Kelly Ventorim

O secretário lembra que o Brasil tomou uma medida importante que foi o marco regulatório das ferrovias que é o novo regime de autorização. “Isso tem facilitado os novos avanços na questão ferroviária brasileira. Na semana passada assinamos a consulta pública do edital da Nova Ferroeste ligando Maracaju até Paranaguá. Mas no caso da Malha Oeste sempre houve uma angústia da população sul-mato-grossense e de todos os municípios” frisou destacando que a Malha Oeste é a antiga Noroeste do Brasil.

A linha sai do município de Mairinque (SP) com direito de passagem por Santos, vindo por todo o oeste paulista, chegando no município de Três Lagoas, passando por Água Clara, Ribas, Campo Grande, Terenos, Anastácio, Aquidauana, Miranda e depois chegando ao município de Corumbá. “Esta linha passa por todo o Mato Grosso do Sul. E essa ferrovia hoje nós estamos sem ela há muito tempo. Ela pertencia a concessionária Rumo, não houve viabilização, não houve investimentos necessários para que ela tivesse a sua recuperação”, destacou.

Ao longo desse período, Verruck recorda que o Estado teve vários estudos. “O Governo do Estado investiu muito em estudos e até que a Malha Oeste pudesse ser entregue, devolvida pela Rumo. A concessionária fez uma devolução amigável dessa ferrovia e a coordenadoria de PPI (Parcerias públicas de investimentos) do governo federal contratou um estudo que está sendo gasto aí praticamente R$ 4 milhões. É um estudo técnico, EVETEA, de viabilidade dessa ferrovia. O estudo foi finalizado com o conceito de rebitolagem, que seria a mudança para a bitola larga, que é mais eficiente. Estamos fazendo estudos de treino, de terminais, alteração de curvas. A velocidade média, tempo de concessão, os recursos previstos que serão em torno de R$ 15 bilhões. Então tudo isso está pronto”, argumentou.

Consulta pública
Neste momento segundo o secretário Jaime Verruck, foi definido que será aberta uma consulta pública para que todos conheçam o projeto da Nova Malha Oeste. Ele acrescentou que a nova ferrovia vai representar a melhoria no escoamento de inúmeros produtos do Estado e ganhos na logística.

Vagões parados em ferrovia desativada – Chico Ribeiro

“Somente de minério de Corumbá, além de descer hoje pela hidrovia mais de 700 carretas saem diariamente saem de Corumbá ou chegam a cidade carregando minério ao longo da ferrovia. Com a retomada nós poderemos transferir toda essa carga que é típica de ferrovia para o sistema ferroviário com redução de custo”, adiantou.

Isso deve representar redução de emissões de carbono, diminuição de acidentes. “Vamos ainda dar agilidade, vamos reduzir custo de produção do minério de ferro. Depois disso nós pegaremos toda essa estruturação da celulose. Todo crescimento agrícola do Estado. Nós podemos trazer ureia da Bolívia pra um hub de distribuição a partir de Campo Grande. Podemos levar todos equipamentos que no passado já eram levados pra Bolívia”, pontuou.

“Então é um projeto importante, totalmente viável e que demora pra avançar em função da questão toda questão regulatória nacional. Em função disso nós devemos ter aí no mês de julho já a nossa audiência pública tratando a consulta pública. E que a gente siga é um compromisso com o governador Reinaldo fez com o próprio ministro da infraestrutura que a gente consiga no segundo semestre. Vamos soltar o edital vamos chamar de Nova Malha Oeste que trará um grande desenvolvimento, volume de empregos, investimentos ao Mato Grosso do Sul” reiterou.

A meta do Governo é que essa licitação saia ainda no segundo semestre do ano. O edital vai prever a concessão por 40 anos.

Rosana Siqueira, da Subcom

Fotos – Chico Ribeiro e Kelly Ventorim

Fonte: Governo MS

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso do Sul

Governo lança segunda etapa do programa Estágio Supervisionado e Capacitação Técnica do MS

Publicado

por

No próximo dia 5 de julho, a Secretaria de Governo e Gestão (Segov) realiza o lançamento da segunda turma do Programa de Estágio Supervisionado e Capacitação Técnica do MS, no auditório da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), em Campo Grande. O evento contará com a presença de autoridades, representantes das Universidades, professores e os estagiários convocados para esta segunda etapa do programa.

Serão 125 novos estagiários, que passaram pelo curso de formação iniciado em maio. Os estudantes de diversas cidades do Estado, como Aquidauana, Campo Grande, Corumbá, Dourados, Paranaíba, Ponta Porã e Três Lagoas, iniciam em seus locais de atuação no dia do lançamento da segunda etapa.

Essa convocação estava prevista para o segundo semestre, mas durante o lançamento do Programa, em abril, o governador Reinaldo Azambuja autorizou a antecipação do chamamento. “Ao todo são 250 estagiários, como nesta primeira fase foram 104, já vamos antecipar para chamar antes a segunda turma e assim completar o grupo. Este programa é importante porque coloca o estudante dentro do Governo. Ele vai ver como funciona e porque são tomadas as decisões da gestão”, afirmou o governador.

O Programa

O Programa de Estágio Supervisionado e Capacitação Técnica do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul é uma iniciativa que visa propiciar experiência aos jovens acadêmicos de cursos de graduação do Estado, oferecendo formação na área de gestão e administração pública, aplicadas às várias atuações e frentes políticas e governamentais, bem como formação para os gestores estaduais que receberam os estagiários em suas respectivas pastas. O Programa é realizado pelo Governo do Estado do MS, por meio da Fundação de Apoio e de Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul – FUNDECT e Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica (SEGOV), em parceria conveniada com as Universidades Federal (UFMS) e Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), e com a Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura (FAPEC).

Com forte apelo na qualificação, foi concebida uma programação que agrega uma série de cursos destinados aos acadêmicos e gestores que irão acompanhar os estagiários. O objetivo é potencializar a aprendizagem de modo a enriquecer os currículos dos universitários, além de contribuir para o aprimoramento dos fluxos da máquina pública. 

O Programa contempla 250 (duzentas e cinquenta) vagas de estágio para atender às demandas de organizações públicas do MS, dentre as quais Fundações, Agências e Secretarias do Estado.

Os estudantes cumprem uma carga horária de 30 horas semanais, com bolsa-auxílio de R$ 1.100,00. O acadêmico também tem direito a auxílio transporte de R$ 200,00.

Mais informações sobre o programa em https://programadeestagio.ms.gov.br/

Comunicação UEMS

Fonte: Governo MS

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

Assembléia Legislativa MS

Mato Grosso do Sul

POLICIAL

Mais Lidas da Semana