Economia

CTG Brasil investirá R$ 14,4 milhões em mobilidade elétrica

Publicado

Um dos projetos prevê a implantação de eletropostos na região entre as usinas Jupiá e Ilha Solteira. Assinatura com empresas parceiras ocorre nesta quinta-feira (20/02

A CTG Brasil, uma das líderes em geração de energia limpa no País, fará investimentos de R$ 14,4 milhões em dois projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) aprovados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), na categoria “Desenvolvimento de Soluções em Mobilidade Elétrica Eficiente”.

Os projetos, que buscam incentivar o desenvolvimento da mobilidade elétrica no Brasil, têm início nesta quinta-feira (20/02), a partir da assinatura entre a CTG Brasil e as parceiras Sinapsis, Way 2, Eidee, Lactec e In Charge. “O uso de fontes de energia renovável, como hidrelétrica, eólica e solar, para a mobilidade urbana está alinhado à nossa missão de usar a inovação como forma de contribuir com a geração de energia limpa e com a sociedade em geral”, explica Carlos Nascimento, gerente de P&D da CTG Brasil.

Uma das iniciativas, denominada Conexão Sustentável de Mobilidade Elétrica Inter-UHEs: Prova de Conceito de Modelo de Negócios para Comercialização de Energia em Eletroposto, será um piloto focado em implantar uma rota de postos de carregamento de veículos elétricos acessíveis à população em geral em toda a extensão da região que interliga as usinas de Jupiá e Ilha Solteira, da CTG Brasil, entre os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

A empresa também vai fornecer veículos elétricos para que seus funcionários façam o deslocamento entre as duas usinas, usufruindo da rota implantada. Adicionalmente, está sendo planejada a extensão da rota até o aeroporto de Três Lagoas e a Universidade Estadual Paulista (Unesp), assim como nos trechos que interligam as usinas da CTG Brasil no Rio Paraná e Paranapanema, até o escritório da empresa em São Paulo. Neste caso, o investimento será de R$ 8,2 milhões, com entrega programada para junho de 2022 e parceria das empresas Lactec e In Charge.

O segundo projeto, chamado Plataforma de Comercialização Aberta P2P para Inserção de Fontes Renováveis na Mobilidade Elétrica, pretende criar uma plataforma digital de comercialização de energia elétrica para postos de recarga de veículos elétricos. O objetivo é que a plataforma funcione como um balcão de oportunidades na comercialização de energia para mobilidade. O investimento será de R$ 6,2 milhões, com conclusão programada para dezembro de 2021. Sinapsis, Way 2 e Eidee serão as empresas parceiras.

“De um lado, a plataforma deve atrair novos agentes envolvidos na infraestrutura de abastecimento da mobilidade elétrica e, do outro, oferecer oportunidades aderentes aos desafios de gestão de energia, por meio da atração de geradores, comercializadoras, varejistas, investidores e diversos agentes que buscam maior liquidez de recursos energéticos”, explica Vitor Hugo Lazzareschi, Diretor Comercial da CTG Brasil.

Comentários Facebook

Economia

Autônomo pode baixar aplicativo a partir de hoje para renda de R$ 600, veja aqui

Publicado

A partir das 9h de hoje (7), de 15 milhões a 20 milhões de trabalhadores informais não inscritos em programas sociais poderão baixar o aplicativo da Caixa Econômica Federal que permitirá o cadastramento para receberem a renda básica emergencial.

O auxílio – de R$ 600 ou de R$ 1,2 mil para mães solteiras – será pago por pelo menos três meses para compensar a perda de renda decorrente da pandemia de coronavírus.

A Caixa também lançará uma página na internet e uma central de atendimento telefônico para a retirada de dúvidas e a realização do cadastro. Detalhes como o nome do aplicativo, o endereço do site e o número da central telefônica serão divulgados pelos ministros da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e da Economia, Paulo Guedes; pelo presidente da Caixa, Pedro Guimarães; e pelo presidente do Dataprev, Gustavo Canuto, em evento nesta manhã no Palácio do Planalto.

Deverão cadastrar-se trabalhadores autônomos não inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais (CadÚnico) e que não pagam nenhuma contribuição para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Quem não sabe se está no CadÚnico pode conferir a situação ao digitar o número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) no aplicativo.

Quem contribui para a Previdência como autônomo ou como microempreendedor individual (MEI) já teve o nome processado pela Caixa Econômica e está automaticamente apto a receber o benefício emergencial. Ontem (6) à noite, o ministro Onyx Lorenzoni disse que os primeiros benefícios começarão a ser pagos ainda hoje para quem está nos cadastros do governo. Segundo ele, o pagamento para esse primeiro grupo deve ser concluído até amanhã (8).

Funcionamento

Quanto aos trabalhadores autônomos ainda não cadastrados, o pagamento será feito até 48 horas depois da conclusão do cadastro no aplicativo. O benefício será depositado em contas poupança digitais, autorizadas recentemente pelo Conselho Monetário Nacional, e poderá ser transferido para qualquer conta bancária sem custos.

Quem não tem conta em bancos poderá retirar o benefício em casas lotéricas. O próprio aplicativo, ao analisar o CPF (Cadastro de Pessoa Física) , verificará se o trabalhador cumpre os cerca de dez requisitos exigidos pela lei para o recebimento da renda básica.

Bolsa Família

O terceiro grupo é formado pelos beneficiários do Programa Bolsa Família, que não precisarão baixar o aplicativo. Segundo Lorenzoni, eles já estão inscritos na base de dados e poderão – entre os dias 16 e 30 – escolher se receberão o Bolsa Família ou a renda básica emergencial, optando pelo valor mais vantajoso.

O ministro da Cidadania lembrou que o benefício de março do Bolsa Família terminou de ser pago no último dia 30. Para ele, o pagamento do novo benefício a essas famílias antes do dia 16 complicaria o trabalho do governo federal, que ainda está consolidando a base de dados, de separar os grupos de beneficiários.

Outro aplicativo

Além da ferramenta para o cadastro de trabalhadores autônomos, a Caixa lançará um aplicativo exclusivo para o pagamento da renda básica emergencial.

Segundo o presidente do banco, Pedro Guimarães, esse segundo aplicativo funcionará de modo semelhante ao do saque imediato do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), permitindo escolher uma conta bancária para o recebimento ou optar pelo saque em casas lotéricas.

Por Agência Brasil

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Auxílio de até R$ 1.200 para trabalhadores já tem data para ser liberado

Publicado

De acordo com o Ministério da Cidadania, o pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 a trabalhadores informais, intermitentes e microempreendedores individuais (MEIs), deverá começar no próximo dia 16 de abril. A previsão é de que os primeiros beneficiados sejam os assistidos pelo programa Bolsa Família.

O grupo foi colocado na linha de frente em razão de muitos dos beneficiários já possuir cadastro nos sistemas do governo. Além disso, o calendário do Bolsa Família começará exatamente no próximo dia 16, o que facilitará o repasse das quantias.

Será permitido o acúmulo de até dois benefícios por família ou, no caso de mães monoparentais, responsáveis diretas pelo sustento da casa, o recebimento de duas cotas, totalizando R$ 1.200,00.

Posteriormente, serão feitos os pagamentos aos inscritos no Cadastro Único (CadÚnico): sistema que coleta e armazena as informações das famílias de baixa renda no país para sua inserção em programas sociais. Em seguida, entram na fila dos MEIS e os contribuintes individuais do Instituto Nacional do seguro Social (INSS).

Informais e calendário – Os trabalhadores informais sem inscrição no CadÚnico farão parte do último grupo a receber o auxílio. Isso porque o governo precisa encontrar um meio de fazer o dinheiro chegar aos que realmente necessitam.

Para isso, está sendo desenvolvido uma página na internet pela qual serão enviados os documentos que comprovem a renda do trabalhador (autodeclaração). Sobre a ordem dos pagamentos, o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, em texto publicado na página do ministério, declarou:

“Pagaremos as 14 milhões de pessoas do Bolsa Família agora em abril. Aqueles que estão no Bolsa Família e têm pela lei direito aos R$ 600, seguramente vamos pedir para que a Caixa Econômica Federal faça um esforço e emita uma Folha suplementar para agilizar e permitir o pagamento”.

Também está sendo preparado um calendário de escalonamento para os pagamentos aos beneficiários. A estratégia é realizar os saques em diferentes datas para evitar aglomerações em casas lotéricas, bancos ou quaisquer outros pontos de saque ao auxílio estabelecido pelo governo.

Estima-se que sejam operacionalizados os serviços da Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Correios para os pagamentos.

Quem poderá receber?

O repasse do dinheiro, apelidado de “coronavoucher”, será feito ao candidato que cumprir, ao mesmo tempo, os seguintes requisitos:

  • Ser maior de 18 anos de idade;
  • Não receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou qualquer outro programa de transferência de renda do governo federal (com exceção do Bolsa Família);
  • Possuir renda mensal per capita (por pessoa) de até R$ 522,00 (meio salário mínimo) ou renda familiar total de até R$ 3.135,00 (três salários mínimos);
  • Não ser trabalhador formal ou com contrato temporário;
  • Não ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,07 em 2018.

Também são exigidas condições como: ter cumprido o critério de renda média até 20 de março e ser contribuinte individual ou facultativo da Previdência Social.

Com informações: Editalconcursosbrasil

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

BRASILÂNDIA

POLICIAL

Mais Lidas da Semana