Saúde

Tereré e narguilé podem espalhar coronavírus em MS

Publicado

Com a confirmação do primeiro caso de coronavírus no Brasil e com a investigação de um caso suspeito em MS, alguns hábitos do sul-mato-grossenses podem colocar a saúde em risco. Diante do perigo do novo vírus, o Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, recomendou o fim das tradicionais rodas de tereré. O hábito de fumar narguilé também se torna um risco.

Em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira (26), Mandetta confirmou o primeiro caso do novo coronavírus no Brasil e ainda alertou sobre o hábito de compartilhar bomba ao tomar tereré ou chimarrão. “Aquilo dali é um instrumento de compartilhamento e passagem de substâncias orais. É um vírus salivar”.

Em Mato Grosso do Sul, é comum a formação das rodas de tereré. Amigos se reúnem para conversar e a bomba do tereré passa de boca em boca. A tradição que parecia inofensiva, deve estra com dias contados diante do risco da transmissão do vírus que já matou 2,7 mil pessoas só na China.

O hábito de fumar narguilé também se torna um risco. Em Campo Grande, os lounges são muito comuns, onde um grupo de pessoas se reúne para fumar e, assim como no caso do tereré, o bocal é passado de boca em boca.

A médica infectologista Priscilla Alexandrino disse em entrevista ao Jornal Midiamax que é importante evitar compartilhar objetos de uso pessoal, como a bomba de tereré e o bocal do narguilé. Talheres, pratos, copos e garrafas também devem ser individuais.

Outros hábitos simples ajudam na prevenção da transmissão do coronavírus, como lavar as mãos, utilizar álcool gel, cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir e não tocar na mucosa dos olhos. Confira as recomendações da especialista.

Caso em investigação em MS

O secretário de estado de Saúde de MS, Geraldo Resende, confirmou ao Jornal Midiamax nesta quarta-feira (26) que a SES (Secretaria de Estado de Saúde) investiga caso suspeito do novo coronavírus (CoVid-19) em Ponta Porã. O Lacen (Laboratório Central) está responsável pelo exame que pode comprovar o diagnóstico.

O paciente, que não teve identificação e nem origem informadas, teria vindo da China e chegado a Ponta Porã com sintomas gripais e estaria internado no Hospital Regional de Ponta Porã em isolamento. Se os exames acusarem a doença, este será o segundo caso confirmado do novo coronavírus no Brasil.

Caso confirmado em SP

O ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta confirmou nesta quarta-feira (26) o primeiro caso do coronavírus no Brasil. O paciente, de 61 anos, esteve recentemente na Itália. De acordo com o ministério, no atendimento ao caso, o hospital adotou todas as medidas preventivas para transmissão por gotículas, coletou amostras e realizou testes para vírus respiratórios comuns e o exame específico, conforme preconizado pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

Por Midiamax

Comentários Facebook

Mato Grosso do Sul

Casos de Covid-19 crescem no mesmo ritmo que a população fica nas ruas; Brasil registrou 114 mortes nas últimas 24 horas

Publicado

por

.

Campo Grande (MS) – O Brasil registrou ontem (7.04) pela primeira vez, desde o início da pandemia, 114 mortes em um único dia. Elevando para 667 o número de vítimas fatais da Covid-19 no país. Nos últimos dias Mato Grosso do Sul também viu os casos confirmados darem um salto de 66 para 85, de segunda-feira (6.04) para esta quarta-feira (8.04). E até o momento, duas mortes foram registradas no Estado.

No mesmo ritmo de casos suspeitos, confirmados e mortes, também aumenta a movimentação de pessoas nas ruas. Dados do monitoramento por geolocalização mostram que 52,3% da população de MS contrariou as recomendações de isolamento social nesta terça-feira, e apenas 47,7% permaneceu em casa.  Com esse percentual o Estado continua em segundo lugar no ranking das unidades da federação com pior taxa de isolamento do País. 

De maneira “silenciosa”, os casos no Estado estão aumentando e preocupando as autoridades. Além da Capital que tem 48 casos confirmados, Nova Andradina e Batayporã, por enquanto, são as cidades com maior número de contaminados no Estado, com 9 e 6, respectivamente.

 

Baixo isolamento X Aumento de casos 

Dois municípios sul-mato-grossenses são exemplos claros de que isolamento precário pode acarretar crescimentos no números de casos da doença. De segunda para terça, Nova Andradina com 45,5 mil habitantes (IBGE), teve um salto de 3 para 9 casos confirmados de coronavírus. Porém o comportamento da população em relação a necessidade do isolamento social, tem sido contrário, e os dados mostram taxa de isolamento inferior a 47% na cidade.

Com pouco mais de 11 mil habitantes (IBGE), Batayporã tem agravante de duas mortes ocorridas no município. A primeira no dia 31 de março, e a segunda no dia 6 de abril. O fator preocupante é que apesar da gravidade da pandemia, o monitoramento indica que metade da cidade continua nas ruas.

O apelo das autoridades e especialistas de todo o mundo tem sido para a população permanecer em casa, e apontam a medida como a unica maneira de evitar o agravamento da pandemia. Manter os cuidados de higiene e fazer o uso de máscaras também é uma recomendação essencial para reduzir o número de pessoas contaminadas, e evitar o pico da doença que pode sobrecarregar o sistema público de saúde.

Os dados são fornecidos pela startup da In Loco, que usa dados de geolocalização para mapear estados, municípios e regiões para mensurar a taxa média de isolamento social. A ferramenta será utilizada pelo Governo do Estado para direcionar ações de enfrentamento ao Coronavírus nos municípios e regiões com menos adesão ao isolamento.

Boletim atualizado

Nesta quarta-feira (8.4) a Secretaria de Estado de Saúde (SES) confirmou 5 novos casos de coronavírus em Mato Grosso do Sul, totalizando 85 casos confirmados e 43 suspeitos. 

O boletim completo pode ser conferido no site: www.coronavirus.ms.gov.br

 

Mireli Obando, Subsecretaria de Comunicação
Foto: Edemir Rodrigues

Fonte: Governo MS

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Saúde confirma a segunda morte por coronavírus em Mato Grosso do Sul

Publicado

Paciente era mulher de 66 anos com comorbidades que viva em Batayporã, mesma cidade da 1ª vítima

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) confirmou na tarde desta segunda-feira (6) a segunda morte por coronavírus em Mato Grosso do Sul. Trata-se de uma paciente de 66 anos residente em Batayporã –a 312 km de Campo Grande–, que apresentou sintomas após retornar de uma viagem a trabalho para São Paulo.

Sônia Regina dos Anjos foi sepultado de forma rápida na manhã desta segunda-feira no Cemitério Municipal de Batayporã. Ela foi internada no Hospital Regional de Nova Andradina, sendo levada para a UTI com problemas respiratórios graves e, ainda segundo a SES, tinha comorbidades –tinha hipertensão arterial e diabetes mellitus, o que pode ter contribuído com a grave evolução do quadro.

Batayporã também foi o local onde surgiu o primeiro óbito por coronavírus no Estado, de uma idosa de 64 anos que contraiu a Covid-19 após contato com a irmã, na Bélgica. Ela faleceu em 31 de março em um hospital particular de Dourados, para onde foi transferida.

A SES informou que as vítimas não são parentes ou têm alguma relação. A segunda vítima fatal da doença no Estado foi internada em 27 de março, com o exame para constatação da Covid-19 sendo realizado pelo Lacen-MS (Laboratório Central de Saúde Pública) no dia 31, com resultado “inconclusivo”. Uma nova coleta em 5 de abril resultou no resultado positivo nesta segunda-feira.

Mato Grosso do Sul tem 66 casos confirmados de coronavírus e monitora 63 casos suspeitos. Desde 25 de janeiro, houve 726 notificações, das quais 585 foram descartadas após os exames darem negativo para Covid-19 e 2 foram excluídos por não se encaixarem na definição de caso suspeito do Ministério da Saúde.

Fonte: Mídia Max

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

BRASILÂNDIA

POLICIAL

Mais Lidas da Semana