TRÊS LAGOAS-MS
  Últimas
Goias vence jogo treino no CT
Flamengo treina em período integral nesta quarta-feira (19), no Ninho do Urubu
Castração de cães e gatos machos e outros serviços voltam a partir de segunda-feira (24)
Saúde alerta que cuidados para prevenir a contaminação por Covid-19 e Influenza A são os mesmos
Oportunidade: Funtrab ainda tem vagas para indígenas trabalharem nas lavouras de maçãs
Detran-MS alerta sobre golpes para extrair documentos em nome do CNH Social
Polícia Militar prende homem por receptação em Batayporã
Corinthians vence jogo-treino diante do Audax
Com golaço de Ângelo, Santos FC vence São Caetano por 4 a 3 em jogo-treino no CT Rei Pelé
Covid-19: Pequim aumenta vigilância com alta de casos antes dos Jogos
Palmeiras é eleito o melhor do mundo, título inédito para o país
Fiscalização “De Olho no Coronavírus” volta à ativa e abre ações com panfletagem na área central de Três Lagoas
Polícia Militar Ambiental de Campo Grande resgata filhotes de maritaca que caíram do ninho
Polícia Militar prende jovem por direção perigosa em Nova Andradina
Polícia Militar conduz para a delegacia três pessoas por violência doméstica no Vale do Ivinhema
Desfile das Escolas de Samba de Campo Grande é adiado para abril
Com golaço de bicicleta Verdão goleia o Oeste e avança as semis da copinha
Tricolor elimina Cruzeiro e agora tem Choque-Rei nas semifinais da Copinha
TV ALEMS estreia Restrospectiva 2021 na programação
Detran/MS alerta: Ainda dá tempo de quitar o seu IPVA com desconto de 15%
SAD divulga inscrições deferidas e indeferidas em processo seletivo da SES/Agepen
Primeira capacitação do ano sobre Lei de Proteção de Dados Pessoais atende servidores da MSGÁS
POLÍCIA MILITAR, ATRAVÉS DA 10ª CIPM, PRENDE HOMEM COM MANDADO DE PRISÃO
Com aumento de casos, 56 das 79 cidades do Estado tiveram novos registros de covid-19
Polícia Militar, em ação conjunta com a PRF, realiza a prisão, em Paranaíba, de um homem de 26 anos que se encontrava foragido do sistema prisional
Polícia Militar prende autor de violação de domicílio em Paranaíba
SEJUVEL suspende realização “Mais Lazer nas Comunidades” no Jupiá no próximo sábado (22)
SEMEC informa que neste ano Kit Escolar será distribuído aos estudantes semestralmente
UM ANO DE ESPERANÇA – Vacinação contra a Covid-19 completa um ano em Três Lagoas
Concurso da Prefeitura de Três Lagoas têm 15.969 inscrições
Next
Prev

Celulose em Destaque

Setor de base florestal de MS: Reflore/MS tem nova diretoria

Publicado

Foto: Paulo Cardoso

Empresário Júnior Ramires é o novo presidente da entidade.

 

No dia 02 de dezembro de 2021 a Associação Sul-Mato-Grossense de Produtores e Consumidores de Florestas Plantadas (Reflore/MS) elegeu sua nova diretoria, que estará à frente da entidade pelo biênio 2021/2023. Como presidente foi eleito Júnior Ramires, como primeiro vice-presidente Moacir Reis, segundo vice-presidente João Pedro Pacheco, no conselho Mário Cleiro Sousa, Valeria Veiga, Paulo Tosi e Luiz Fellipe Arcalá e, como diretor executivo, Benedito Mário Lázaro.

Júnior Ramires foi o primeiro presidente da Reflore/MS, em 2005, quando a entidade nasceu e; esteve à frente da Associação por 8 anos. Naquele tempo, 16 anos atrás, o setor de base florestal local estava começando a se desenvolver e hoje Mato Grosso do Sul é um dos grandes destaques do setor nacional.

Júnior Ramires – presidente da Reflore – foto Isabela Ferreira

“As expectativas são sempre as melhores, voltar a ser presidente da Reflore/MS, uma entidade que vem tomando corpo, crescendo junto com o setor, então a responsabilidade é ainda maior. Os associados vêm participando cada vez mais, acredito que hoje uma das missões do presidente é ajudar na gestão dos Grupos de Trabalhos (GT de Prevenção e Combate a Incêndios, GT de Fitossanidade e GT de Meio Ambiente) que são importantíssimos e que têm se desenvolvido. É um desafio e é bom voltar para a presidência da Reflore/MS”, ressalta Júnior Ramires.

Acompanhando e contribuindo com o crescimento e desenvolvimento do setor de base florestal sul-mato-grossense, neste mês de dezembro a Reflore/MS completa 16 anos de atuação. Hoje, com cerca de 1 milhão e 100 mil hectares de florestas plantadas, o estado é considerado o segundo maior produtor de florestas plantadas do Brasil.

O setor florestal também se destaca no setor agroindustrial de MS, na região de Três Lagoas há três grandes indústrias de papel e celulose que têm impactado exponencialmente as exportações locais e nacionais. Há também uma indústria de papel e celulose em fase de construção em Ribas do Rio Pardo, uma fábrica de MDF em Água Clara, siderúrgicas, entre outros negócios. Caminhando a passos largos, o setor de base florestal de MS tem boas perspectivas para os próximos anos, aliando desenvolvimento, geração de riquezas e sustentabilidade.

Comentários Facebook

Celulose em Destaque

Mudança no perfil do consumidor embala aumento na produção de celulose no Brasil

Publicado

Líder global no fornecimento e desenvolvimento de tecnologias de processo, automação e serviços para o setor estima alta em torno de 20% na capacidade produtiva até 2025

 

Mesmo com a transformação tecnológica em setores que tradicionalmente utilizam grandes quantidades de papel, como escritórios e indústrias gráficas, o segmento de celulose no Brasil tem registrado um grande aumento da capacidade produtiva na última década e buscado se adequar às constantes mudanças no consumo de papel.

A pandemia, principal barreira para outros setores, ajudou a impulsionar ainda mais a demanda por produtos oriundos da celulose, como papéis tissue (papel higiênico, lenços e toalhas de papel) e cartão (embalagens de alimentos). Segundo levantamento da Valmet, líder global no fornecimento e desenvolvimento de tecnologias de processo para o setor, o perfil do consumo mudou, mas o uso do insumo foi amplificado nos últimos dois anos. A companhia finlandesa estima, inclusive, que a produção de celulose aumentará em torno de 20% até o ano de 2025 no Brasil.

De acordo com o diretor de Celulose e Energia da Valmet na América do Sul, Fernando Scucuglia, a crise sanitária obrigou o mundo moderno a reconhecer sua dependência de tais produtos. “Em uma sociedade cada vez mais urbana, tivemos o crescimento do material tissue, como lenços descartáveis, papel-toalha e papel de embalagem. O e-commerce e os aplicativos de comida nunca consumiram tanto papel, e a falta de matéria-prima foi sentida nos primeiros meses da pandemia, com uma demanda nunca antes vista, desencadeada pelas medidas protetivas, entre elas os protocolos de higienização, necessidade de redução de circulação de pessoas e o   pelo isolamento social”, analisa o diretor.

Oportunidade para o Brasil

Maior exportador mundial de celulose, o Brasil avançou 7,8% na produção do produto no último trimestre de 2020 – segundo maior volume desde o início do registro histórico, de acordo com levantamento da Indústria Brasileira de Árvores (Ibá). Mas, por que o país se destaca tanto entre a concorrência? A resposta está no solo brasileiro: com as florestas mais produtivas do mundo, houve diminuição dos gastos logo no plantio da matéria-prima, fato que dá competitividade ímpar aos produtores de celulose e papel. “Se pegarmos o eucalipto como exemplo, ele leva de 5 a 7 anos para estar pronto para o corte. Esse tempo é duas, três vezes menor que em outros países e isso é fundamental, já que as despesas de produção com matéria-prima representam de 60% a 70% dos gastos da indústria”, afirma Scucuglia.

Além disso, a área de plantio do eucalipto no Brasil não concorre com locais utilizados para a produção de alimentos, problema vivenciado pelos principais concorrentes. “O preço da polpa é mais baixo que na região escandinava, na Europa e nos EUA, então, nossos clientes têm maiores lucros nas negociações”, acrescenta.

Capacidade produtiva

E, para acompanhar o movimento favorável do mercado, os principais fabricantes de celulose e papel com instalações em solo brasileiro têm investido em projetos de expansão: CMPC, Klabin, Bracell, LD Celulose, Suzano, Eldorado; todos em processo de ampliação e modernização em suas plantas. Com grandes projetos em solo brasileiro, a América do Sul deverá aumentar sua capacidade produtiva em 35% até o ano de 2030.

Participando dos principais projetos do setor, a Valmet tem buscado desenvolver soluções em conjunto com os gigantes do segmento. “Recentemente tivemos o start up da MP 27 e da nova linha de fibras da Klabin com o primeiro digestor contínuo Valmet geração 3 (Valmet Continuos Cooking G3), áreas fundamentais para o aumento de capacidade de produção de embalagens da fábrica. Na Bracell, por exemplo, entregamos a maior planta de evaporação do mundo e a maior planta de licor branco sem utilização de queima de combustível fóssil, um marco para a América do Sul. E agora fomos escolhidos pela CMPC como principal parceira no projeto BioCMPC, que irá modernizar a unidade de Guaíba, incrementando a performance ambiental da unidade e aumentando a capacidade de produção da fábrica de celulose”, explica Fernando Scucuglia.

Para a Klabin, em Ortigueira (PR), a Valmet forneceu a máquina MP 27, que produz  o Eukaliner, o primeiro do mundo produzido com 100% de celulose oriunda do eucalipto. Em Lençóis Paulista (SP), no projeto STAR da Bracell foram entregues uma planta de evaporação, uma planta de licor branco para a caustificação e dois fornos de cal com gaseificadores de biomassa, que serão os primeiros e maiores gaseificadores da América do Sul com geração de energia livre de combustíveis fósseis.

Já a LD Celulose, que será responsável pela produção de 500 mil toneladas de celulose solúvel por ano, adquiriu as linhas de fibras, secagem de celulose e enfardamento, além de uma planta de licor branco e uma planta de evaporação. A Valmet também ficará responsável por todo o sistema de automação da fábrica em Minas Gerais.

Além disso, recentemente foi anunciada a escolha da Valmet como principal parceira no projeto BioCMPC, A meta do projeto é melhorar ainda mais  a performance ambiental da unidade em termos de emissões hídricas, gasosas e resíduos sólidos. Como benefício adicional, a unidade terá um aumento de capacidade de produção da linha 2 da fábrica de celulose de Guaíba, no Rio Grande do Sul, de 1,5 milhão de ADt/ano (toneladas secas ao ar por ano) para 1,85 milhão de ADt/ano.

Com conclusão prevista para final de 2023, a entrega da Valmet para a modernização da linha 2 da fábrica de celulose de Guaíba incluirá reformas na secagem de celulose, linha de fibras, evaporação e planta de licor branco, uma nova caldeira de recuperação e um novo tratamento de cinzas, além de uma ampliação no sistema digital de controle distribuído (SDCD) incluindo aplicações avançadas de internet industrial. A modernização da linha inclui melhorias para alta confiabilidade e desempenho com baixo impacto ambiental.

E o futuro?

De acordo com Scucuglia, além do aumento na capacidade produtiva, o Brasil também será protagonista de uma nova etapa da indústria de celulose, que contará com a difusão de produtos novos e sustentáveis.

“Seremos pioneiros na produção de fibra, papel tissue, embalagem e também na substituição de produtos com matéria-prima renovável, substituindo plástico e outros produtos desalinhados com o conceito “environmental friendly” por fibra de celulose a partir da nanotecnologia. A celulose é uma molécula flexível e pode ser utilizada em uma infinidade de aplicações.

Pelo protagonismo, seremos fundamentais nessa nova etapa do mercado, como nos avanços da Klabin na extração e refinação de lignina e na microfibra de celulose. O que hoje é uma fábrica de celulose, poderá ser em futuro bem próximo uma biorrefinaria, com florestas certificadas como fonte de matéria-prima, produzindo fibra, papel, energia, fio de tecidos, metanol, ácido sulfúrico, lignina e outros produtos bioquímicos essenciais para a vida humana, com baixo impacto ambiental, através de processos sustentáveis e tecnologia de ponta”, completa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Celulose em Destaque

Sindicato irá protocolar ofício de greve junto a Suzano de Três Lagoas

Publicado

Empresa alegou não ter outra proposta após 94% de rejeição em assembleia 

Nesta sexta-feira, 05, o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Papel e Celulose de Três Lagoas recebeu, em sua sede, representantes da empresa Suzano para retomar a negociação de Acordo Coletivo, após 94% dos funcionários rejeitarem a proposta oferecida pela empresa. No entanto, a entidade sindical foi surpreendida, escutando dos executivos que a indústria não teria outra oferta.

Diante da situação o Sindicato irá protocolar junto a Suzano um ofício com indicativo de greve e na próxima semana poderá exercer o estado de paralisação. “Iremos fazer tudo como manda a legislação, informaremos a empresa e após 48 horas, a qualquer momento, poderemos realizar manifestação e, até mesmo, parar a fábrica de celulose”, explicou o presidente da categoria, Almir Morgão. 

Ainda de acordo com o representante dos trabalhadores, a unidade de Três Lagoas é a única que permanece com a negociação travada. “Eu não entendo essa indiferença com os funcionários do município. Em São Paulo foi oferecido, por exemplo, a correção da inflação na questão salarial e ganho real em outras cláusulas econômicas. Já aqui, eles querem oferecer o índice inflacionário de forma parcelada e, ainda por cima, mexer no tópico que reza sobre assistência médica. Não vamos aceitar!”.

Por fim, Almir Morgão salientou que o estado de greve é legítimo e mostra a força que o trabalhador tem. “Financeiramente não temos como medir forças com a maior produtora de celulose do Brasil, mas temos a principal ferramenta de produção, o braço. Portanto, usaremos, dentro da lei e, principalmente, com reponsabilidade esse benefício a nosso favor. Convoco a categoria para estar unida e pronta para mais uma batalha”.

Outro lado

Por meio de nota, a fábrica de celulose Suzano se manifestou afirmando estar sempre aberta ao diálogo e que sempre participa das negociações sindicais.

A nota diz: “Reafirmamos que a Suzano participa de todas as negociações sindicais, está sempre aberta ao diálogo e se empenha para chegar a um acordo que contemple os anseios das partes envolvidas. A proposta feita pela companhia contempla o pacote de remuneração total (incluindo salários, abono, ticket alimentação, auxílio creche, auxílio funeral, auxilio filho PCD, pagamento variável e outros benefícios), que é um dos melhores das empresas da região.”

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

Assembléia Legislativa MS

Mato Grosso do Sul

POLICIAL

Mais Lidas da Semana