TRÊS LAGOAS MS
  Últimas
Avião carregado com 500 Kg de pasta base de cocaína é abatido no Interior Paulista
Velocista Melânia Luz ingressa no Hall da Fama do COB
Polícia Militar Ambiental de Campo Grande captura jiboia de mais de 1 metro em residência
Rayssa Leal e Pâmela Rosa encerram Pro Tour fora do pódio
Duda Sampaio e Natascha defenderão Brasil na Copa América Feminina
Vasco e Sport empatam em Maracanã lotado
Diante do Atlético-GO, São Paulo volta a vencer no Brasileiro
Polícia Militar realiza formatura do Proerd Kids no Município de Anaurilândia.
Polícia Militar Ambiental de Campo Grande captura tamanduá-bandeira passeando pelas ruas do bairro Caiobá
Brasileiros perdem nas duplas e país está fora de Wimbledon
Série B: Ponte Preta e Tombense ficam no 0 a 0 em Campinas
Cuiabá derrota o Avaí em Florianópolis e deixa o Z4
PMA do Grupamento de Águas do Miranda fiscaliza 14 embarcações e 57 pescadores, orientam turistas e apreendem petrechos ilegais de pesca
PMA e UCDB entregam amanhã (4) às 14h00 para o Biobarque Pantanal, onça-pintada, arara e filhote de anta taxidermizados para uso em Educação Ambiental
Polícia Militar 9°CIPM/CPA1 impede Estelionato contra idosa em Dourados
Polícia Militar de Caarapó da 9ªCIPM/CPA-1 recupera produtos de furto e prende autor
Em dois meses, 27 países fincaram suas bandeiras no Bioparque Pantanal
Primeiro pagamento por serviços ambientais motiva setores produtivos de Bonito e Jardim
Rayssa Leal e Pâmela Rosa disputam final do Pro Tour de skate street
Em um Maracanã lotado, Vasco recebe o Sport pela Série B
Palestra e oficina interativa no MIS buscam discutir o saber-fazer Guarani e Kaiowá
Reeducandos do Centro Penal da Gameleira trabalham na reforma da Unei Dom Bosco
Domingo segue com previsão de tempo estável, com máxima de até 35°C no Estado
Com assinatura de convênios, produtores já podem receber 1ª parcela do PSA de Jardim e Bonito
Big Data: Fundtur MS e Sistema Comércio criam plataforma de inteligência turística
Dourados: projetos da Coronel Ponciano e do terminal de passageiros avançam
Athletico-PR bate Palmeiras fora de casa e assume vice-liderança
Gabriel decide e Flamengo derrota Santos na Vila Belmiro
Com time alternativo, Atlético-MG derrota Juventude por 2 a 1
Brasileiro: Fluminense goleia Corinthians e dá salto na classificação
Next
Prev

Agronegócios

Produtores de Mato Grosso do Sul buscaram 16% mais crédito rural nesta safra

Publicado

As contratações de crédito rural em Mato Grosso do Sul totalizaram R$ 15,8 bilhões nesta safra no volume acumulado de julho de 2021 a maio deste ano. Os dados são de relatório de crédito rural elaborado pela Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul (Aprosoja). 
O levantamento mostra que o montante é 16% superior ao contratado no mesmo período do ano passado. Segundo a equipe técnica o acúmulo deve-se principalmente ao custeio, que representou R$ 10,2 bilhões deste montante, com maior representatividade no setor agropecuário, devido a necessidade de crédito para o ciclo produtivo das safras e reprodutivo dos rebanhos. Para esse mesmo período houve aumento de 14%. Enquanto, o investimento apresentou aumento de cerca de 6% ficando em R$ 3,8 bilhões.
Porém, a finalidade cujo aumento foi superior a 50% em relação ao mesmo período do ciclo passado, foi a comercialização. O volume de crédito destinado a esse fim foi 71% maior totalizando R$ 1,7 bilhão.

Safrinha de milho deverá ter rendimento maior que no ano passado – Chico Ribeiro

Normalmente a maior parte do volume do crédito rural agrícola é usada para o custeio, cujo objetivo é cobrir despesas dos ciclos produtivos, isto é, desde a compra de insumos até a fase de colheita. O volume de investimento tem como finalidade aplicações em

bens ou serviços cujo benefício se estenda por vários períodos de produção. A comercialização tem como objetivo garantir ao produtor rural e às cooperativas de produtores todos os recursos e condições que garantam a satisfatória comercialização dos seus produtos no mercado.
Finalmente o crédito de industrialização se destina a produtores rurais para processamento de produtos agropecuários na propriedade rural e cooperativas de produtores, desde que, no mínimo, 50% da produção a ser beneficiada ou processada seja de produção própria ou de associados.

Safrinha
A safrinha de milho em Mato Grosso do Sul continua em boas condições com mais de 85% das lavouras em bom desenvolvimento. Com isso a estimativa é que a produção supere os 9,3 milhões de toneladas de grãos com rendimento médio de 78 sacas por hectare.
Caso sejam concretizadas as estimativas isso representará um aumento de 43% no volume colhido em relação a safra 2021. Os dados são do último boletim do SIGA/MS (Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio) que é coordenado pela Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) em conjunto com a Aprosoja/MS (Associação de Produtores de Soja de MS) e Famasul (Federação de Agricultura).
Os bons resultados no agronegócio estadual vêm sendo obtidos graças aos investimentos feitos pelo Governo do Estado em pesquisa, programas que ajudam a elevar a produtividade e recuperar os solos e incentivos a produção. “Nossa meta é sempre elevar a produtividade por área e a renda do produtor”, destaca o secretário de Estado da Produção, Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Agricultura Familiar, Jaime Verruck.

Fonte: Governo MS

Comentários Facebook

Agronegócios

Transporte bovino, vazio sanitário e exportações são destaques no MS no Campo desta semana

Publicado

por

O MS no Campo desta semana destaca que o vazio Sanitário da Soja, período em que é proibido manter nas lavouras plantas vivas de soja, começou nesta quarta-feira, dia 15, em todo o Mato Grosso do Sul. Para respeitar o vazio sanitário, após a colheita da soja, o produtor precisa destruir as plantas por meio da aplicação de produtos químicos ou com métodos físicos.

Vamos ouvir o diretor presidente da Iagro/MS, Daniel Ingol, que falou sobre a importância da medida.

O programa ainda destaca o superávit da balança comercial do Estado. Jaime Verruck, secretário da Semagro, destaca as vendas externas de soja, celulose, carne bovina e de aves.

O programa ainda traz informações sobre o aumento na demanda por crédito rural em Mato Grosso do Sul.

Semanalmente distribuído para aproximadamente 145 emissoras de rádio parceiras, com alcance nos 79 municípios por meio de frequência FM, o programa ainda é disponibilizado para download no portal oficial do Governo de Mato Grosso do Sul, Portal MS.

A produção, reportagem e apresentação é da jornalista Katiuscia Fernandes, com edição de Fernando Blank, e conta com apoio da equipe de jornalistas da Subsecretaria de Comunicação e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro). Ouça agora.

Katiuscia Fernandes – Subsecretaria de Comunicação

Fonte: Governo MS

Comentários Facebook
Continue lendo

Agronegócios

Hidrovia do Paraguai amplia navegação e movimenta 1,4 milhão de toneladas em MS

Publicado

por

O rio Paraguai atingiu no início desta semana, o nível de até 3,1 metros e ampliou a capacidade de navegação ma hidrovia, após um período de intensa seca no ano passado e até paralisação do transporte aquaviário em Mato Grosso do Sul.

De acordo com a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), Mato Grosso do Sul registrou movimentação de 1,4 milhão de toneladas de cargas pelos portos estaduais, no primeiro quadrimestre do ano. O destaque foi o minério de ferro com 1,3 milhão de toneladas, seguido por sementes e outros grãos e ferro fundido. O volume ainda é inferior ao ano passado em torno de 10% mas já sinaliza uma melhora nas condições da via de escoamento.

O minério de ferro liderou em termos de mercadorias na pauta de exportações do Estado pela hidrovia. No início deste mês uma nova empresa de mineração de Corumbá, a MPP (Mineração Pirâmide e Participações) realizou suas exportações para a Europa pelo porto da Granel Química, em Ladário, onde é intensa a movimentação diuturna de máquinas e caminhões. Os carregamentos estão sendo acelerados para aproveitar o nível navegável do Rio Paraguai previsto para até o mês de setembro. Dois comboios de barcaças transportam 60 mil toneladas mensalmente em direção aos terminais argentinos e uruguaios, onde é feito o translado.

Para o secretário de Produção, Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar (Semagro) a hidrovia é um canal fundamental e estratégico na logística de Mato Grosso do Sul.

Secretário de produção Jaime Verruck destacou a importância da hidrovia no modal de transporte de MS- Arquivo Kelly Ventorim

“Para a Bolívia a hidrovia garante todo o fluxo de exportação e importação de Santa Cruz de La Sierra. Já em Corumbá após os problemas do ano passado, nós sentimos uma retomada no transporte. Se formos olhar, lá em 2015 a 2016 criamos um programa para estimular construção de novos portos dentro do Programa de Apoio a Exportação pela hidrovia do Paraguai. Se formos observar os sistemas, Mato Grosso do Sul tem esta disponibilização de transporte de Corumbá até Nueva Palmira na Argentina. Além do apelo turístico. Estamos falando aqui principalmente de transporte”, enfatizou.

Importante via

A hidrovia sempre foi uma opção de transporte de peso em Mato Grosso do Sul e com tendência de crescimento das exportações. “Temos que atender a Argentina para onde exportamos soja aé Nueva Palmira e ainda outros mercados internacionais. Hoje a Argentina é nossa 3ª ou 4ª parceira comercial”, relembrou o secretário.

Volume de grãos em Murtinho ficou em 171,4 mil toneladas  (Fotos Divulgação FV Cereais)

Em Porto Murtinho, a FV Cereais confirma a tendência de aumento no escoamento de grãos pela hidrovia. Segundo o gerente de operações portuárias Genivaldo Santos, neste ano a empresa retomou as exportações de grãos pela hidrovia. Desde abril foram 171.468 toneladas de grãos.

Mais investimentos
Verruck destacou que diante do aumento no transporte os terminais portuários estão fazendo investimentos. “Temos em Ladário, a Granel Química que está ampliando sua capacidade, com o crescimento no volume de cargas. São mais de R$ 100 milhões em investimentos já apresentados ao Governo do Estado, diante do avanço da mineração em Corumbá. Já temos duas mineradoras operando e agora mais duas iniciaram operação. Temos quatro mineradoras usando a hidrovia”, lembrou.
Na pecuária também teremos investimento no transporte de gado. Ladário assumiu recentemente um porto da União para embarque e desembarque de gado. Isso está sendo debatido com o Sindicato Rural de Corumbá”, salientou.
Já em Porto Esperança, o secretário relembra que tem ligação com a ferrovia. “No Porto Esperança a operação ferroviária está conectada. E finalmente em Porto Murtinho, os terminais bateram recorde de exportação este ano e são mais voltados para a soja”, pontuou.

Desafios

Hidrovia teve aumento na navegabilidade na região de Porto Murtinho  (Foto: Toninho Ruiz)

Entre os desafios para melhorar a navegabilidade o secretário cita a necessidade de se fazer duas curvas entre Corumbá e Porto Murtinho. “Há anos estamos debatendo esta dragagem que facilitaria a navegação pela hidrovia. Precisamos ainda trabalhar com balizamento a hidrovia. Isso é uma discussao antiga que iria melhorar a hidrovia, principalmente nas operações noturnas”, citou.
Além das medidas estruturais, o secretário cito a importância de se trabalhar na proteção das nascentes dos rios que desaguam na hidrovia. “São investimentos necessários para potencializar a hidrovia. Temos que fazer um trabalho nas nbascentes dos rios que desembocam para ter volume de agua. Isso é fundamentamel a gestão dos recursos hídricos para atividade que é secular. A hidrovia é estratégica para MS e permite os acessos aos portos internacionais”, salientou.
A hidrovia ainda tem vantagem de custo competitivo. “Numa relação de custo inicial de rodovia, ferrovia e depois hidrovia, a última tem vantagem. Além disso na hidrovia a capacidade de carga é elevada e o custo menor”, adiantou.
O secretário ainda destacou que as empresas têm investidos em novos equipamentos mais modernos que trafegam nas hidrovias. São novos rebocadores e novas barcaças para usar em periodo de águas baixas. Ou seja um investimento massivo em novos equipamentos”, afirmou Verruck.

De acordo com boletim da Sala de Situação do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), no dia 14 o nível do rio Paraguai em Ladário estava em 2,53 metros, em Porto Esperança em 1,82 mt e em Porto Murtinho chegou a 3,13 metros.

Rosana Siqueira, da Subcom
Foto do destaque: Chico Ribeiro

Fonte: Governo MS

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

Assembléia Legislativa MS

Mato Grosso do Sul

POLICIAL

Mais Lidas da Semana