Três Lagoas-MS

  Últimas
PRF apreende 105 Kg de cocaína em Camapuã (MS)
Em Japorã, Polícia Militar prende autor de violência doméstica
Em Naviraí, Polícia Militar apreende motocicleta adulterada
Em Iguatemi, Polícia Militar prende homem por violência doméstica
Em Naviraí, Polícia Militar apreende quase 61 quilos de maconha
Marcelo Lomba garante empate do Inter contra o São Paulo no Brasileiro
Série B: Paraná cede a empate contra Brasil de Pelotas no fim do jogo
CSA vence Juventude e sai do Z4 da Série B do Campeonato Brasileiro
CBF e clubes mantêm proibição de torcedores em jogos do Brasileirão
Polícia Militar Ambiental de Bela Vista devolve à natureza arara-azul apreendida pela Polícia Militar com dois paraguaios
PMA de Bela Vista é acionada para prender incendiário, usa técnica de contenção e apaga fogo antes que se alastrasse por uma grande área de vegetação
TRT-RJ suspende Palmeiras e Flamengo devido a infectados pela covid-19
Força-tarefa combate incêndio na RPPN Eliezer Batista, um dos maiores na Serra do Amolar
Polícia militar apreende motocicleta adulterada em Rio Verde
Polícia Militar cumpre mandado de internação provisória em Rio Verde
Polícia Militar prende jovem por dirigir embriagado e apreende veículo irregular em Coxim
PRF apreende 228,4 Kg de maconha, 39,2 Kg de skunk e prende 5 pessoas em Rio Brilhante (MS)
Time principal do Fluminense tem cinco jogadores com covid-19
Polícia Militar Ambiental de Batayporã usa imagem de satélite e autua paranaense em R$ 21 mil por desmatamento ilegal de áreas protegidas em sua propriedade no município
Série B: Figueirense e Guarani empatam em 2 a 2, em Florianópolis
Número de casos Covid – 19 continua alto e médias são preocupantes, alerta SES
Bolsonaro continua apresentando ótima evolução clínica
Tem grana! Maioria dos candidatos à prefeitura de Campo Grande é milionária
Candidato a vereador é morto após fazer live criticando obras da prefeitura
Novas regras para prevenção à COVID-19 em Três Lagoas foram publicadas no Diário Oficial dos Municípios desta sexta-feira (25)
Três Lagoas tem 31 novos casos e chega a 653 ativos para COVID-19 neste sábado (26)
Sanesul ativará bombas flutuantes neste domingo em Corumbá para garantir abastecimento de água
Carreta com mais de 3 toneladas de maconha foram apreendidas pelo DOF em Caarapó
Carreta com mais de quarenta mil pacotes de cigarros do Paraguai foi apreendida pelo DOF durante a Operação Hórus
Polícia Militar Ambiental de Cassilândia autua infratora em R$ 11 mil por degradação de área protegida e por exploração ilegal de madeira
Next
Prev

Saúde

Pessoas que roncam têm três vezes mais probabilidades de morrer de Covid-19, segundo Universidade

Publicado

Uma pessoa que sofre de  apneia obstrutiva tem até três vezes mais chances de falecer devido à Covid-19 , doença transmitida pelo novo coronavírus, caso seja internada. É o que apontam pesquisadores da Universidade de Warwick, na Inglaterra.

Além do ronco, a apneia obstrutiva do sono também pode causar engasgos. Isto porque os músculos da garganta dilatam e, com isto, podem bloquear as vias aéreas enquanto o paciente dorme.

A respiração se torna intermitente, com intervalos de 20 minutos, e o ato de roncar acontece quando a pessoa “acorda”.

Os cientistas da universidade revisaram 18 outros artigos sobre apneia para chegar à conclusão de que há mais impactos caso pacientes sejam contamiandos pela Covid-19.

Segundo Michelle Miller, uma das autoras, a doença do novo coronavírus é capaz de inflamar as vias da bradicinina, que regula a pressão arterial, e eleva o estresse oxidativo.

Esses fenômenos também acontecem com pessoas que roncam. Logo, as chances de letalidade aumentam.

A apneia do sono tende a ser comum em pessoas com obesidade, que ingerem álcool em grande quantidade e com 40 anos ou mais. Homens e mulheres que passam pela menopausa também são acometidos pela apneia.

Comentários Facebook

Saúde

Covid-19: Brasil tem 134 mil mortes e 4,4 milhões de casos acumulados

Publicado

O Brasil chegou a 134.106 mortes em razão da pandemia do novo coronavírus. Nas últimas 24 horas, foram registrados 987 óbitos. A soma representa um aumento de 0,7% sobre ontem, quando os números traziam um total de 133.119 pessoas que perderam a vida para a covid-19. Ainda há 2.428 mortes em investigação.

Os dados estão no balanço diário do Ministério da Saúde divulgado na noite desta quarta-feira (16).

Ainda conforme a atualização, foram acrescidas às estatísticas 36.820 novos diagnósticos de covid-19, totalizando 4.419.083 pessoas infectadas desde o início da pandemia. O resultado marca um acréscimo de 0,8% em relação a ontem, quando o painel trazia 4.382.263 casos acumulados.

O sistema do Ministério da Saúde contabilizou ainda 564.665 pacientes em acompanhamento. Do total de infectados, 84,2% dos pacientes se recuperaram da covid-19, ou seja, 3.720.312 pessoas.

A letalidade (número de óbitos pelo total de casos) ficou em 3%. A mortalidade (número de mortes por 100 mil habitantes) está em 63,8. Já a incidência (total de casos por 100 mil habitantes) subiu para 2.102,9.

Covid-19 nos estados

O estado de São Paulo soma agora 33.253 mortes e 909.428 casos confirmados acumulados do novo coronavírus.Os registros estão dentro da previsão quinzenal do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, que previam entre 900 mil e 1 milhão de infectados e de 33 mil a 38 mil mortes até 15 de setembro. Nova previsão divulgada hoje (16) projeta que até 30 de setembro o estado somará entre 960 mil e 1,05 milhão de infectados e entre 35 mil e 38 mil mortes pelo novo coronavírus.

O estado do Rio de Janeiro registra o segundo maior número de óbitos por covid-19(17.342). Em seguida estão Ceará (8.764), Pernambuco (7.933) e Pará (6.405).

As unidades da Federação com menos mortes devido à pandemia são Roraima (611), Acre (643), Amapá (685), Tocantins (831) e Mato Grosso do Sul (1.122).

Boletim Epidemiológico covid-19
Boletim Epidemiológico covid-19 – Ministério da Saúde

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Covid-19: UFRJ desenvolve teste sorológico 20 vezes mais barato

Publicado

Pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) desenvolveram um teste sorológico para covid-19 que custa cerca de 20 vezes menos que os testes rápidos disponíveis em farmácias do Brasil. A metodologia, chamada de S-UFRJ, é resultado de uma parceria entre o Instituto de Biofísica e o Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe).

O teste sorológico da UFRJ consegue captar anticorpos IgG (de longa duração) produzidos pelo corpo humano com precisão que chega a 100% após 20 dias do início dos sintomas. De acordo com os resultados, o método também é capaz de identificar anticorpos dez dias após os sintomas terem começado, mas a precisão cai para 90%.

A redução de custos se deve principalmente ao fato de que, apesar de ser do tipo Elisa (ensaio de imunoabsorção enzimática), o teste pode ser realizado com uma gota de sangue retirada da ponta do dedo. Uma das coordenadoras da pesquisa, a professora da Coppe Leda Castilho explica que esse modelo de coleta de amostras custa bem menos que extrair o sangue de uma veia do braço com uma seringa.

“Para tirar sangue da veia, você precisa ter uma estrutura laboratorial, operadores treinados da área da saúde e todo o material estéril, como a seringa e o tubo especial. Depois, tem que ter uma estrutura para separar o soro desse sangue”, disse. “Nossa metodologia tem a coleta a partir de um furinho na ponta do dedo, e a amostra é embebida em um papel filtro, que, no limite, pode ser um filtro de café”, acrescenta.

O custo dos insumos necessários para o teste não passa de R$ 2, quando considerada a saúde pública e organizações não governamentais com isenções tributárias. Apesar de um pouco maior, o custo baixo também vale para estabelecimentos privados, que conseguirão fazer o teste gastando R$ 5, calcularam os pesquisadores.

O objetivo da pesquisa é fazer com o que o teste sorológico seja mais acessível e também chegue a regiões com menor estrutura laboratorial, destacou a pesquisadora. Com a realização desse tipo de testes, é possível acompanhar a prevalência sorológica de populações mais distantes das capitais e em países de menor renda.

“O que a UFRJ oferece para a sociedade é um teste que pode ser feito na população ribeirinha do Amazonas, no meio do Cerrado ou no interior do sertão nordestino. E um teste que, além da alta confiabilidade e da simplicidade de coleta de amostra e processamento, tem um custo baixíssimo, de pelo menos 20 vezes menos que testes rápidos que têm sido realizados em farmácias e laboratórios do Brasil”.

A metodologia para a realização do teste foi publicada cientificamente para ser replicada por institutos de pesquisa, empresas e governos de todo o mundo. Leda Castilho explica que a opção por não patentear e cobrar pela tecnologia faz parte da proposta de tornar o teste mais acessível. “A gente acha que, num horizonte de pandemia, as plataformas devem ser abertas para qualquer um em qualquer lugar do mundo”, disse. Segundo ela, todo o processo de licenciamento também atrasaria a aplicação das descobertas no combate à pandemia. “Isso tem sido feito em todas as áreas e em todo o mundo. Não somos só nós que estamos fazendo isso”.

Proteína S

O desenvolvimento do teste sorológico é resultado de outro trabalho da UFRJ: a produção em laboratório da proteína S, que forma os pequenos espinhos que o coronavírus utiliza para invadir as células. Já em fevereiro, a universidade havia iniciado a produção da proteína, e, desde março, outras instituições e empresas brasileiras vêm se beneficiando dessa produção para outras descobertas. A proteína S produzida na UFRJ foi utilizada, por exemplo, no desenvolvimento do teste rápido do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos), informa Leda Castilho.

Além da coleta de amostras da ponta do dedo, o baixo custo da produção dessa proteína na universidade é outro fator que contribui para que o teste S-UFRJ seja mais barato.

Para tornar a testagem ainda mais acessível os pesquisadores trabalham agora em simplificar o processamento da amostra, o que permitiria que os testes realizados em regiões distantes de laboratórios pudessem ser processados no próprio local da coleta. Enquanto atua nesse próximo passo, a universidade já começará a implementar o teste desenvolvido em sua testagens internas de trabalhadores.

Por Agência Brasil

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

BRASILÂNDIA

POLICIAL

Mais Lidas da Semana