TRÊS LAGOAS-MS
  Últimas
Herculano destaca importância de campeonatos de futsal para o Estado
Mobilização da ALEMS garante criação da Polícia Penal em Mato Grosso do Sul
Ordem do Dia: Aprovados Lei Orçamentária, PEC da Segurança e outros 9 projetos
MS integrará Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito
Press trip de lançamento do novo voo Congonhas-Bonito tem como resultado mais de 230 matérias publicadas na imprensa de todo o país
Desde o início do mês, Detran-MS no Fácil Coronel Antonino só atende despachantes
Governo concede isenção de IPVA na primeira tributação para motos de até 125 cilindradas
Foragido da justiça é preso pela Polícia Militar em Nova Andradina
Polícia Militar apreende adolescente por direção perigosa e desobediência em Rio Verde
Comandante da Polícia Militar de Coxim participa da inauguração da PAV
CCJR é favorável à mudança no cargo de Professor de Ensino Superior da UEMS
Lei: Holerite deve ser disponibilizado em formato acessível para deficiente visual
Boletim da dengue notifica 11 casos suspeitos em Três Lagoas
Campanha da SMS leva conscientização e prevenção sobre descarte correto de materiais perfurocortantes
Alunos da Diretoria de Cultura se apresentam hoje no espetáculo ” O Circo”
Vereadores destacam importância de programa Nossa Praça
O POVO TÁ DE OLHO – Moradores do Jardim das Acácias se unem para fiscalizar e cuidar da nova praça do bairro
AS ETAPAS DE UM SONHO – Prédio principal da Feira Central será entregue aos feirantes. 2a. etapa da obra continua
Refis 2021: Governo abre nova oportunidade para negociação de débitos do Detran, Iagro, Imasul e Procon
“Vamos bancar a conta de luz de 141 mil famílias”, afirma Reinaldo Azambuja
Governo do Estado inicia a restauração de 11km da MS-480, em Batayporã
MIS realiza nesta quarta-feira a primeira sessão noturna presencial com filme premiado “Madalena”
Inscrições do vestibular da UEMS 2022 vão até dia 20 de dezembro
Artesanato sul-mato-grossense faz parte de feira nacional em Belo Horizonte
Quarta-feira de céu claro e temperaturas elevadas em Mato Grosso do Sul
Secretário Nacional de Trânsito vem a Campo Grande para assinatura de Pnatrans no próximo dia 14
Polícia Militar Ambiental do Distrito de Águas do Miranda salva jacaré de mais de dois metros preso a anzol no rio Nioaque
Deputados devem votar redação final da proposta de lei orçamentária para 2022
Visita de celebridades à Lagoa Maior de Três Lagoas repercute na imprensa nacional
Rebeca Andrade e Isaquias Queiroz conquistam Prêmio Brasil Olímpico
Next
Prev

Celulose em Destaque

Mudança no perfil do consumidor embala aumento na produção de celulose no Brasil

Publicado

Líder global no fornecimento e desenvolvimento de tecnologias de processo, automação e serviços para o setor estima alta em torno de 20% na capacidade produtiva até 2025

 

Mesmo com a transformação tecnológica em setores que tradicionalmente utilizam grandes quantidades de papel, como escritórios e indústrias gráficas, o segmento de celulose no Brasil tem registrado um grande aumento da capacidade produtiva na última década e buscado se adequar às constantes mudanças no consumo de papel.

A pandemia, principal barreira para outros setores, ajudou a impulsionar ainda mais a demanda por produtos oriundos da celulose, como papéis tissue (papel higiênico, lenços e toalhas de papel) e cartão (embalagens de alimentos). Segundo levantamento da Valmet, líder global no fornecimento e desenvolvimento de tecnologias de processo para o setor, o perfil do consumo mudou, mas o uso do insumo foi amplificado nos últimos dois anos. A companhia finlandesa estima, inclusive, que a produção de celulose aumentará em torno de 20% até o ano de 2025 no Brasil.

De acordo com o diretor de Celulose e Energia da Valmet na América do Sul, Fernando Scucuglia, a crise sanitária obrigou o mundo moderno a reconhecer sua dependência de tais produtos. “Em uma sociedade cada vez mais urbana, tivemos o crescimento do material tissue, como lenços descartáveis, papel-toalha e papel de embalagem. O e-commerce e os aplicativos de comida nunca consumiram tanto papel, e a falta de matéria-prima foi sentida nos primeiros meses da pandemia, com uma demanda nunca antes vista, desencadeada pelas medidas protetivas, entre elas os protocolos de higienização, necessidade de redução de circulação de pessoas e o   pelo isolamento social”, analisa o diretor.

Oportunidade para o Brasil

Maior exportador mundial de celulose, o Brasil avançou 7,8% na produção do produto no último trimestre de 2020 – segundo maior volume desde o início do registro histórico, de acordo com levantamento da Indústria Brasileira de Árvores (Ibá). Mas, por que o país se destaca tanto entre a concorrência? A resposta está no solo brasileiro: com as florestas mais produtivas do mundo, houve diminuição dos gastos logo no plantio da matéria-prima, fato que dá competitividade ímpar aos produtores de celulose e papel. “Se pegarmos o eucalipto como exemplo, ele leva de 5 a 7 anos para estar pronto para o corte. Esse tempo é duas, três vezes menor que em outros países e isso é fundamental, já que as despesas de produção com matéria-prima representam de 60% a 70% dos gastos da indústria”, afirma Scucuglia.

Além disso, a área de plantio do eucalipto no Brasil não concorre com locais utilizados para a produção de alimentos, problema vivenciado pelos principais concorrentes. “O preço da polpa é mais baixo que na região escandinava, na Europa e nos EUA, então, nossos clientes têm maiores lucros nas negociações”, acrescenta.

Capacidade produtiva

E, para acompanhar o movimento favorável do mercado, os principais fabricantes de celulose e papel com instalações em solo brasileiro têm investido em projetos de expansão: CMPC, Klabin, Bracell, LD Celulose, Suzano, Eldorado; todos em processo de ampliação e modernização em suas plantas. Com grandes projetos em solo brasileiro, a América do Sul deverá aumentar sua capacidade produtiva em 35% até o ano de 2030.

Participando dos principais projetos do setor, a Valmet tem buscado desenvolver soluções em conjunto com os gigantes do segmento. “Recentemente tivemos o start up da MP 27 e da nova linha de fibras da Klabin com o primeiro digestor contínuo Valmet geração 3 (Valmet Continuos Cooking G3), áreas fundamentais para o aumento de capacidade de produção de embalagens da fábrica. Na Bracell, por exemplo, entregamos a maior planta de evaporação do mundo e a maior planta de licor branco sem utilização de queima de combustível fóssil, um marco para a América do Sul. E agora fomos escolhidos pela CMPC como principal parceira no projeto BioCMPC, que irá modernizar a unidade de Guaíba, incrementando a performance ambiental da unidade e aumentando a capacidade de produção da fábrica de celulose”, explica Fernando Scucuglia.

Para a Klabin, em Ortigueira (PR), a Valmet forneceu a máquina MP 27, que produz  o Eukaliner, o primeiro do mundo produzido com 100% de celulose oriunda do eucalipto. Em Lençóis Paulista (SP), no projeto STAR da Bracell foram entregues uma planta de evaporação, uma planta de licor branco para a caustificação e dois fornos de cal com gaseificadores de biomassa, que serão os primeiros e maiores gaseificadores da América do Sul com geração de energia livre de combustíveis fósseis.

Já a LD Celulose, que será responsável pela produção de 500 mil toneladas de celulose solúvel por ano, adquiriu as linhas de fibras, secagem de celulose e enfardamento, além de uma planta de licor branco e uma planta de evaporação. A Valmet também ficará responsável por todo o sistema de automação da fábrica em Minas Gerais.

Além disso, recentemente foi anunciada a escolha da Valmet como principal parceira no projeto BioCMPC, A meta do projeto é melhorar ainda mais  a performance ambiental da unidade em termos de emissões hídricas, gasosas e resíduos sólidos. Como benefício adicional, a unidade terá um aumento de capacidade de produção da linha 2 da fábrica de celulose de Guaíba, no Rio Grande do Sul, de 1,5 milhão de ADt/ano (toneladas secas ao ar por ano) para 1,85 milhão de ADt/ano.

Com conclusão prevista para final de 2023, a entrega da Valmet para a modernização da linha 2 da fábrica de celulose de Guaíba incluirá reformas na secagem de celulose, linha de fibras, evaporação e planta de licor branco, uma nova caldeira de recuperação e um novo tratamento de cinzas, além de uma ampliação no sistema digital de controle distribuído (SDCD) incluindo aplicações avançadas de internet industrial. A modernização da linha inclui melhorias para alta confiabilidade e desempenho com baixo impacto ambiental.

E o futuro?

De acordo com Scucuglia, além do aumento na capacidade produtiva, o Brasil também será protagonista de uma nova etapa da indústria de celulose, que contará com a difusão de produtos novos e sustentáveis.

“Seremos pioneiros na produção de fibra, papel tissue, embalagem e também na substituição de produtos com matéria-prima renovável, substituindo plástico e outros produtos desalinhados com o conceito “environmental friendly” por fibra de celulose a partir da nanotecnologia. A celulose é uma molécula flexível e pode ser utilizada em uma infinidade de aplicações.

Pelo protagonismo, seremos fundamentais nessa nova etapa do mercado, como nos avanços da Klabin na extração e refinação de lignina e na microfibra de celulose. O que hoje é uma fábrica de celulose, poderá ser em futuro bem próximo uma biorrefinaria, com florestas certificadas como fonte de matéria-prima, produzindo fibra, papel, energia, fio de tecidos, metanol, ácido sulfúrico, lignina e outros produtos bioquímicos essenciais para a vida humana, com baixo impacto ambiental, através de processos sustentáveis e tecnologia de ponta”, completa.

Comentários Facebook

Celulose em Destaque

Sindicato irá protocolar ofício de greve junto a Suzano de Três Lagoas

Publicado

Empresa alegou não ter outra proposta após 94% de rejeição em assembleia 

Nesta sexta-feira, 05, o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Papel e Celulose de Três Lagoas recebeu, em sua sede, representantes da empresa Suzano para retomar a negociação de Acordo Coletivo, após 94% dos funcionários rejeitarem a proposta oferecida pela empresa. No entanto, a entidade sindical foi surpreendida, escutando dos executivos que a indústria não teria outra oferta.

Diante da situação o Sindicato irá protocolar junto a Suzano um ofício com indicativo de greve e na próxima semana poderá exercer o estado de paralisação. “Iremos fazer tudo como manda a legislação, informaremos a empresa e após 48 horas, a qualquer momento, poderemos realizar manifestação e, até mesmo, parar a fábrica de celulose”, explicou o presidente da categoria, Almir Morgão. 

Ainda de acordo com o representante dos trabalhadores, a unidade de Três Lagoas é a única que permanece com a negociação travada. “Eu não entendo essa indiferença com os funcionários do município. Em São Paulo foi oferecido, por exemplo, a correção da inflação na questão salarial e ganho real em outras cláusulas econômicas. Já aqui, eles querem oferecer o índice inflacionário de forma parcelada e, ainda por cima, mexer no tópico que reza sobre assistência médica. Não vamos aceitar!”.

Por fim, Almir Morgão salientou que o estado de greve é legítimo e mostra a força que o trabalhador tem. “Financeiramente não temos como medir forças com a maior produtora de celulose do Brasil, mas temos a principal ferramenta de produção, o braço. Portanto, usaremos, dentro da lei e, principalmente, com reponsabilidade esse benefício a nosso favor. Convoco a categoria para estar unida e pronta para mais uma batalha”.

Outro lado

Por meio de nota, a fábrica de celulose Suzano se manifestou afirmando estar sempre aberta ao diálogo e que sempre participa das negociações sindicais.

A nota diz: “Reafirmamos que a Suzano participa de todas as negociações sindicais, está sempre aberta ao diálogo e se empenha para chegar a um acordo que contemple os anseios das partes envolvidas. A proposta feita pela companhia contempla o pacote de remuneração total (incluindo salários, abono, ticket alimentação, auxílio creche, auxílio funeral, auxilio filho PCD, pagamento variável e outros benefícios), que é um dos melhores das empresas da região.”

Comentários Facebook
Continue lendo

Celulose em Destaque

Laboratórios da Paper Excellence vão transformar jovens e adultos em empreendedores

Publicado

Distrito Federal será a primeira região do País a receber uma sede do PaperLab, que também terá unidades em São Paulo e Mato Grosso do Sul

São Paulo, 28 de setembro – Laboratórios de qualificação profissional criados pela Paper Excellence, uma das maiores e mais diversificadas produtoras de papel e celulose do mundo, serão a porta de entrada para que jovens e adultos vivenciem um processo de imersão empreendedora, com direito a mentorias para inclusão digital e acesso a novas tecnologias. A primeira sede regional do PaperLab será inaugurada nesta quarta-feira (29/09) no Distrito Federal, me a previsão é que novas unidades sejam construídas em outros estados onde a empresa atua, como Mato Grosso do Sul e São Paulo.

O projeto piloto do PaperLab será implementado no Paranoá, região administrativa do Distrito Federal, e conta com uma sala composta por 15 computadores com acesso à internet. Infraestrutura, materiais didáticos e um corpo docente altamente qualificado estarão à disposição para acompanhar os alunos em toda jornada do empreendedorismo, desde a concepção de uma ideia de negócio até a venda do produto para investidores. 

O projeto tem como parceira a ONG Programando o Futuro, que atua no fortalecimento das iniciativas da sociedade civil por meio do empoderamento digital de comunidades em todo País. “Recebemos, logo nos primeiros dias, uma grande procura para inscrições. Cerca de 90% dos matriculados, até agora, possuem renda familiar de 1 a 2 salários mínimos e 78% estão desempregados”, afirma Vilmar Simion, Coordenador Geral da ONG. “O projeto é direcionado a jovens, a partir de 16 anos, mas está aberto a pessoas de todas as idades que tenham desejo de aprender”, completa.

A cerimônia de inauguração está marcada quarta-feira (29), a partir das 15h, no Centro de Cultura e Desenvolvimento do Paranoá (CEDEP). O evento vai contar com a presença dos alunos da turma inaugural e de autoridades, entre eles a secretária de Desenvolvimento Social e primeira-dama do Distrito Federal, Mayara Noronha Rocha e o secretário de economia André Clemente..

Entre os cursos profissionalizantes ofertados estão informática básica, suporte técnico em informática, economia circular, habilidades socioemocionais, empreendedorismo e transformação digital. Os jovens terão ainda mentorias para elaborar uma apresentação com o panorama geral de seus respectivos negócios, conhecida como Pitch Deck. Por fim, poderão participar de uma rodada teste com investidores.

Idealizar projetos voltados ao desenvolvimento socioeconômico das regiões onde atua faz parte da gestão de negócio da Paper Excellence. “Com o PaperLab vamos proporcionar práticas modernas e estimulantes de empreendedorismo e contribuir para a qualificação de jovens para o mercado de trabalho”, diz Guilherme Cunha Costa, diretor de Relações Institucionais da Paper Excellence no Brasil.

Inscrições

Os interessados em participar das aulas e mentorias do PaperLab, no Distrito Federal, podem se inscrever pelo site www.programandoofuturo.org.br. A primeira edição será formada pelos 6 cursos, para formação de até 100 alunos com duração de seis meses.

O objetivo da Paper é que, fora do horário das aulas, o laboratório seja também usado por outras pessoas da comunidade como um espaço de pesquisa e acesso à internet. “Estamos estruturando um ambiente acessível e democrático para levar a inclusão digital ao maior número possível de pessoas”, finaliza Costa.

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

Assembléia Legislativa MS

Mato Grosso do Sul

POLICIAL

Mais Lidas da Semana