Saúde

Governo cancela mais de R$ 130 mi de Hospital Regional de Mato Grosso do Sul

Publicado

Foi assinado um decreto pelo Governador em exercício Murilo Zauith, nesta sexta-feira (28), e publicado no Diário Oficial, o cancelamento de R$ 134.821.026,00 milhões para o pagamento do pessoal e para pagamento de encargos do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul.

Também foram cancelados R$ 3.257.762,00 milhões da Gestão de Manutenção, para o pagamento de “despesas recorrentes”.

Do total R$ 123.078.788,00 milhões vão ser utilizados para o pagamento de pessoal da Gestão de Manutenção do Fundo Estadual de Saúde (FES).

E ainda outros R$ 15 milhões serão destinados para “outras despesas”. No total foi cancelado e suplementado o valor de R$ 138.078.788,00 milhões.

A folha de pagamento do HRMS será atendida pelo FES. Desta forma, os próprios servidores do HRMS serão pagos pelo Fundo, com recursos do Tesouro do Estado (Receita de impostos).

Comentários Facebook

Saúde

Saúde confirma a segunda morte por coronavírus em Mato Grosso do Sul

Publicado

Paciente era mulher de 66 anos com comorbidades que viva em Batayporã, mesma cidade da 1ª vítima

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) confirmou na tarde desta segunda-feira (6) a segunda morte por coronavírus em Mato Grosso do Sul. Trata-se de uma paciente de 66 anos residente em Batayporã –a 312 km de Campo Grande–, que apresentou sintomas após retornar de uma viagem a trabalho para São Paulo.

Sônia Regina dos Anjos foi sepultado de forma rápida na manhã desta segunda-feira no Cemitério Municipal de Batayporã. Ela foi internada no Hospital Regional de Nova Andradina, sendo levada para a UTI com problemas respiratórios graves e, ainda segundo a SES, tinha comorbidades –tinha hipertensão arterial e diabetes mellitus, o que pode ter contribuído com a grave evolução do quadro.

Batayporã também foi o local onde surgiu o primeiro óbito por coronavírus no Estado, de uma idosa de 64 anos que contraiu a Covid-19 após contato com a irmã, na Bélgica. Ela faleceu em 31 de março em um hospital particular de Dourados, para onde foi transferida.

A SES informou que as vítimas não são parentes ou têm alguma relação. A segunda vítima fatal da doença no Estado foi internada em 27 de março, com o exame para constatação da Covid-19 sendo realizado pelo Lacen-MS (Laboratório Central de Saúde Pública) no dia 31, com resultado “inconclusivo”. Uma nova coleta em 5 de abril resultou no resultado positivo nesta segunda-feira.

Mato Grosso do Sul tem 66 casos confirmados de coronavírus e monitora 63 casos suspeitos. Desde 25 de janeiro, houve 726 notificações, das quais 585 foram descartadas após os exames darem negativo para Covid-19 e 2 foram excluídos por não se encaixarem na definição de caso suspeito do Ministério da Saúde.

Fonte: Mídia Max

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Covid-19: saiba como se comportar durante as compras

Publicado

Higienizar as mãos é a melhor medida preventiva, diz infectologista

Moedas e cédulas de dinheiro passam de mão em mão pelas ruas e em comércios. Cartões de banco e documentos pessoais também são usados frequentemente por todos. Não se sabe ao certo quanto tempo o vírus que causa a covid-19 sobrevive em superfícies, mas a orientação central para evitar contaminação é, após usar esses objetos, lavar as mãos com água e sabão ou usar álcool gel 70% e evitar tocar nos olhos, boca ou nariz.

“Não importa se o meio de pagamento é cartão ou dinheiro, o que importa é higienizar as mãos. Como não ficamos o tempo todo com eles nas mãos, ao pegar nessas coisas e em tudo que a gente compartilha, como canetas, higienize as mãos”, explicou a infectologista Eliana Bicudo, da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI).

Mesmo com a recomendação do Ministério da Saúde de manter o isolamento social, algumas pessoas ainda precisam frequentar mercados e farmácias em busca de itens essenciais ou mesmo estabelecimentos de saúde. De acordo com Eliana, quando saímos de casa, o importante é manter um distanciamento de pelo menos um metro entre as pessoas. “Pode fazer seu supermercado, suas compras, tocar nos objetos, mas ficar atento para não levar as mãos à boca. Assim que acabar, higienize as mãos dentro do possível, sempre que puder”, ressaltou.

Estudos apontam que os coronavírus (incluindo informações preliminares sobre o que causa a covid-19) podem persistir nas superfícies por algumas horas ou até vários dias. Isso pode variar, por exemplo, conforme o tipo de superfície, temperatura ou umidade do ambiente.

“O tempo pode variar de material para material. A gente sabe que pode estar até três dias em metal e no plástico, no tecido em menor tempo. Único lugar que se tem certeza que não sobrevive é no cobre. Por isso, quando estiver em lojas, evite colocar a mão nas mesas e nos balcões”, explicou a infectologista.

Na dúvida, higienizar as mãos é a melhor medida preventiva, bem como limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência, como celulares. A transmissão do coronavírus ocorre de pessoa a pessoa por meio de gotículas exaladas pela pessoa doente quando ela fala, tosse ou espirra. Quando a pessoa doente toca em objetos ou aperta a mão de alguém e esta coloca a mão a sua boca, nariz ou olhos, também ocorre a infecção.

A SBI esclarece que ainda não se sabe com certeza o papel da pessoa sem sintomas na cadeia de transmissão e recomenda não cumprimentar ninguém com as mãos.

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

BRASILÂNDIA

POLICIAL

Mais Lidas da Semana