TRÊS LAGOAS-MS
  Últimas
Previsão do Tempo: Temperaturas devem cair e as mínimas podem chegar a 2º no sudoeste
Rayssa Leal, a Fadinha, fatura prata no skate street em Tóquio 2020
Polícia Militar Ambiental de Dourados fiscaliza 25 embarcações, 80 pescadores e apreende petrechos ilegais de pesca no rio Brilhante
Governador repassa recursos para habitação de Campo Grande nesta segunda-feira
Julho termina com intensa massa de ar polar; saiba quais serão os dias mais frios em Mato Grosso do Sul
Última semana para pagar licenciamento de veículos placas 5 e 6
Funtrab oferta 1.356 vagas de emprego em todo Estado
51 anos de casados “Bodas de Bronze” de Cleodete Araújo e Orvino Tiago
Polícia Militar e Vigilância Sanitária intensificaram fiscalização durante a noite e a madrugada em Coxim
PM apreende arma de fogo e prende autor  
PM apreende mercadorias de descaminho
Série D: Ferroviária bate Boa Esporte em São Paulo e lidera grupo 6
PRF apreende 178,8 Kg de maconha em Campo Grande (MS)
Skate e judô conquistam primeiras medalhas para o Brasil em Tóquio
Tóquio: oitavas do surfe começam neste domingo com quatro brasileiros
Caminhão que seguia para Dourados com mais de seis toneladas de maconha foi apreendido pelo DOF durante a Operação Hórus
Tóquio: Gustavo Tsuboi avança à terceira rodada do tênis de mesa
Wanderson de Oliveira avança às oitavas de final do boxe em Tóquio
LNF: Campo Mourão goleia Brasília e assume liderança do Grupo C
PRF apreende maconha e recupera caminhonete em Campo Grande (MS)
BOLETIM COVID-19 – Três Lagoas registra 58 novos casos neste domingo (25)
Polícia Militar prende mãe de 40 anos e apreende filha de 15 anos por Tráfico de Drogas em Rio Negro.
Polícia Militar prende homem de 28 anos por Tráfico de Drogas em São Gabriel do Oeste
Rebeca Andrade dá show em Tóquio e se classifica para três finais
Olimpíada: Brasil chega a uma final e em duas semifinais na natação
No vôlei feminino, Brasil vence Coreia do Sul na estreia olímpica
Daniel Cargnin fatura primeiro bronze do judô brasileiro na Olimpíada
Olimpíada: Brasil empata com Costa do Marfim no futebol masculino
Prata de Kelvin Hoefler é a primeira medalha brasileira em Tóquio
Brasileiro: Flamengo mira G4 e São Paulo fugir da zona de descenso
Next
Prev

Celulose em Destaque

De janeiro a maio, produtos florestais representam 23% das exportações de MS com faturamento de US$ 620 milhões

Publicado

Os produtos florestais de Mato Grosso do Sul representaram 23,3% das exportações do agronegócio realizadas pelo estado neste ano. Em cinco meses, o valor das vendas internacionais de MS totalizou U$ 620 milhões. Esse é o tema de #MercadoAgropecuário desta segunda-feira.

No ranking de produtos exportados por Mato Grosso do Sul, os florestais ficaram em segundo lugar, atrás somente do complexo soja. Entre janeiro e maio de 2021 as exportações do agronegócio representaram 95% das exportações do estado, com total de US$ 2,66 bilhões em receita, alta de 12,4% em relação ao igual período de 2020.

O complexo soja, com 50,5%, e produtos florestais, com 23,3%, foram os líderes das exportações do agronegócio. O terceiro segmento que se destacou foi o de carnes com 17,1% do faturamento.

Entre os produtos florestais, a celulose continua tendo uma alta participação nas exportações sul-mato-grossenses, com índice de 97,6% nos primeiros cinco meses de 2021, movimentando mais de US$ 605 milhões. Na sequência aparece o papel, com 2,18% e, em seguida, a madeira com 0,20%. No período, o valor das exportações florestais totalizou US$ 620,276 milhões.

A China, assim como em outras cadeias produtivas, também lidera a lista de países compradores dos produtos florestais sul-mato-grossenses. Nos cinco primeiros meses de 2021, esses produtos foram exportados para 68 países, sendo a China o principal consumidor, com uma participação de 50,5%.

O segundo posto segue ocupado pelos Estados Unidos, com 14,8%, seguido da Itália com 9,2%. O volume total exportado pelo estado foi de 1,723 milhão de toneladas neste período.

SERINGUEIRA

No mês de junho o preço médio do coágulo de seringueira (DRC 53%) se manteve no valor de R$ 4,38/Kg em Mato Grosso do Sul, sustentando um bom patamar de preço.

Nos últimos meses o preço médio estadual vem refletindo alguns pontos do mercado: a variação positiva da bolsa de Cingapura, a menor oferta internacional e o dólar em patamares elevados quando comparado ao real.

A atual variação do dólar, o fim da entressafra em outras regiões produtoras e o início da entressafra no Brasil podem impactar os preços nos próximos meses.

O preço de referência de importação da borracha natural no último mês foi de R$12,25/kg, apontando queda de 5,11 % em relação ao mês de maio. A redução foi impulsionada, principalmente, pela cotação média mensal na bolsa de Cingapura, que retraiu 2,73%, e da desvalorização de 4,90% do dólar frente ao real. A redução só não foi maior devido ao frete internacional, que pressionou os preços com elevação de 5,26% em relação a maio.

Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul

Comentários Facebook

Celulose em Destaque

Sistema Famasul, Reflore/MS e parceiros lançam ‘9ª Campanha de Prevenção e Combate a Incêndios’

Publicado

Evento virtual acontece no dia 8 de abril, às 8h30 (MS), no site reflore.com.br/live

Com o tema ´Fogo Zero’, a “9ª Campanha de Prevenção e Combate a Incêndios” será lançada em uma live, no dia 8 de abril, às 8h30 (MS), no site no site reflore.com.br/live. O objetivo é criar uma consciência constante de prevenção contra os focos, oferecendo capacitação à população rural e levando informações à sociedade civil sobre as perdas e os danos provocados pelas queimadas.

A campanha é uma iniciativa da Associação Sul-Mato-Grossense de Produtores e Consumidores de Florestas Plantadas (Reflore/MS) com as empresas associadas e os parceiros Sistema Famasul, Senar/MS, Governo do Estado de MS, Corpo de Bombeiros Militar de MS, Defesa Civil e Ibama.

“No processo de produção florestal, para que se tenha a matéria-prima chegando até as indústrias, é necessário produzir a madeira e cuidar durante o seu ciclo de crescimento e desenvolvimento (que pode variar de sete anos ou mais dependendo do destino final do processo produtivo); cuidando sempre de pragas, doenças e, principalmente do inimigo maior que é o fogo, o incêndio florestal, que pode gerar consequências sociais, ambientais e financeiras. Para tanto, anualmente realizamos a Campanha, com ações que incluem outdoors nas estradas; compartilhamento de informações com crianças; palestras junto aos Sindicatos Rurais; treinamento e capacitação dos colaboradores das empresas associadas e outras ações de colaboração quando os incêndios acontecem”, descreve Moacir Reis, presidente da Reflore/MS.

“Este trabalho educativo realizado pelas entidades parceiras é de extrema importância para evitar os impactos causados pelo fogo. Para que haja um verdadeiro despertar sobre a importância da prevenção dos incêndios florestais, o compartilhamento de informações deve ocorrer constantemente, com responsabilidade, coletividade e conhecimento técnico”, ressalta Mauricio Saito, presidente do Sistema Famasul.

Dados de incêndios

De acordo com dados do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), em 2020, MS registrou 12.080 focos de incêndio, um incremento de 8% em relação a 2019, quando foram registrados 11.653 focos.

Ainda segundo o Ibama, cerca de 90% das queimadas são causadas por ação humana. Essa prática pode causar grandes prejuízos, tanto econômicos quanto sociais e ambientais, como empobrecimento do solo, poluição do ar, mudança do clima, mortes da fauna e flora, além de acidentes nas rodovias devido à fumaça que diminui a visibilidade dos condutores.

Na Costa Leste de MS, onde o setor de base florestal está fortemente presente com florestas plantadas, indústrias e empresas, no ano passado foram registrados aproximadamente 1.050 focos de incêndios. Para prevenir e combater incêndios, há um trabalho contínuo das empresas do segmento com a Reflore/MS e, com os produtores rurais, entidades e agentes públicos.

Diariamente o setor busca prevenir e combater os incêndios florestais, contando com brigadas de incêndios e profissionais capacitados para lidarem com situações de risco, fazendo monitoramento de focos por câmeras e sensores de fumaça.

Ações

São vários os fatores que podem ocasionar incêndios florestais: fenômenos naturais, incidentes/acidentes, cultura (hábitos e comportamentos) e, principalmente, o chamado ‘analfabetismo ambiental’, o que demonstra a importância de conscientizar as populações rurais e urbanas com ações focadas no compartilhamento de informações e orientações.

As ações incluem placas informativas que foram instaladas ao longo de rodovias de MS, com contatos para casos de emergência; peças publicitárias educativas para as redes sociais (Whatsapp, Facebook e Instagram) da Reflore/MS, das empresas associadas e dos parceiros da ação; e anúncios com orientações em rádios.

Outra ação é a capacitação de profissionais para o combate de incêndios florestais. Para tanto, a Associação conta com a parceria do Corpo de Bombeiros Militar de MS e do Senar/MS, que anualmente têm realizado o treinamento SCI – Sistema de Comando de Incidentes, com colaboradores das empresas associadas. Mais de 100 profissionais já foram capacitados.

Há ainda a missão de compartilhar informações e orientações com as crianças, pois para a Reflore/MS, levar conhecimento para este público é plantar uma semente da cultura da prevenção nas gerações futuras.

Antes da pandemia do novo coronavírus, profissionais das empresas associadas realizavam palestras educativas em escolas rurais e urbanas da região da Costa Leste. Neste ano, frente a Covid-19, a Associação criou uma cartilha digital de boas práticas para o público infanto-juvenil, e vai buscar parcerias com escolas estaduais e municipais para o compartilhamento deste material, além da realização de palestras no formato on-line.

“Estas são algumas ações que planejamos para a campanha deste ano. É importante ressaltar que todos nós temos um papel importante na missão de prevenir e combater os incêndios florestais. Precisamos ser responsáveis em nossas atitudes diárias: não jogar lixo na beira das rodovias, não acender fogueira perto das matas, fazer a manutenção em equipamentos, tratores e caminhões adequadamente, entre outras ações. Nossas atitudes podem salvar vidas”, finaliza Moacir Reis.

A realização da ‘9a Campanha de Prevenção e Combate a Incêndios’ é da Reflore/MS e seus associados: Arborgen, Bandeirante Florestal, Brasilwood, Corus Agroflorestal, Eldorado Brasil, Frigg Florestal, Niobe, Grupo Atallah, Grupo Mutum, InnovaTech, Lacan Florestal, Marca 7, Maseal, Novo Oeste, Quilombo Florestal, Ramires Reflortec, Suzano, Trim Florestal, TTG Brasil e Vetorial. Co-realização: Sistema Famasul e Senar/MS. Apoio: Governo do Estado de MS, Corpo de Bombeiros Militar de MS e Ibama.

Para denunciar focos de incêndio ligue 193.

Reflore/MS: é a Associação Sul-Mato-Grossense de Produtores e Consumidores de Florestas Plantadas que reúne importantes empresas da cadeia produtiva da floresta com sede ou filial em MS. Tem como missão congregar, promover e defender os interesses coletivos das Empresas Associadas que se dedicam ao Desenvolvimento Sustentável com base em Florestas Plantadas.

SERVIÇO
DATA: 8 DE ABRIL DE 2021
HORÁRIO: 8H30 (MS)
INSCRIÇÕES:  www.reflore.com.br/live

 

 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Celulose em Destaque

Trabalhadores da Eldorado Brasil e International Paper recusam proposta de Acordo Coletivo

Publicado

Sindicato e empresas devem voltar à mesa de negociação

Nesta sexta-feira, 16, as assembleias para Acordo Coletivo 2020/2021 das empresas de papel e celulose de Três Lagoas chegaram ao fim. Os votos foram contados na sede sindical e teve a presença de representantes das indústrias envolvidas.

A apuração da Eldorado Brasil teve 209 votos a favor da proposta, 216 contra, 2 nulos e 1 branco, totalizando 428 votantes. “A nossa instituição é democrática em todas as decisões e no Acordo Coletivo não seria diferente, levamos a proposta para os trabalhadores e o resultado está aí, negativa para os números apresentados”, disse Almir Morgão, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Papel e Celulose de Três Lagoas.

Já a International Paper apresentou o seguinte resultado nas urnas: 57 votos a favor da proposta, 104 contra e 1 nulo. “Sabíamos que esse caso seria mais difícil, pois a empresa não ofereceu o mínimo que seria a correção da inflação. Agora, voltaremos a negociar para que possamos fechar o acordo”, finalizou Morgão.

Na segunda-feira, 19, o Sindicato comunicará, formalmente, as empresas sobre os resultados e aguardará uma posição para a retomada das negociações.

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

Assembléia Legislativa MS

Mato Grosso do Sul

POLICIAL

Mais Lidas da Semana