Três Lagoas-MS

  Últimas
Polícia Militar Ambiental de Bonito autua pecuarista por desmatamento ilegal de vegetação nativa em sua propriedade no município de Porto Murtinho
Polícia Militar recupera motocicleta momentos após ser furtada em Cassilândia
PMA de Coxim autua dono de chácara em R$ 10 mil por construção de rancho pesqueiro degradando área protegida de matas ciliares do rio Coxim no município de Rio Verde
Polícia Militar cumpre mandado de prisão em Chapadão do Sul
Na véspera de voltar ao seu habitat, onça pintada passa por exames e ganha colar
Defesa Civil alerta: Com previsão de mais chuvas, população precisa ficar atenta
Devido Reunião Administrativa e Pedagógica, atendimento na SEMEC de Três Lagoas acontecerá apenas no período vespertino na próxima sexta-feira (22)
SEMEC comunica pais e responsáveis que na próxima sexta-feira (22) o atendimento ao público acontecerá apenas no período vespertino
Renave: Registro Nacional de Veículos em Estoque é lançado em Mato Grosso do Sul
Polícia Militar apreende mais de 390 quilos de maconha em Bonito
Polícia Militar Ambiental troca comando da Subunidade do Batalhão em Costa Rica
Indivíduo que furtava a bisavó foi preso pelos furtos e por descumprimento da medida protetiva que a senhora tinha contra ele, em Bodoquena.
Decreto traz regras para o Bolsa-Atleta e Bolsa-Técnico
Com previsão de mais chuva, Defesa Civil orienta população que mora em áreas de risco
Governo investe R$ 52 milhões para pavimentar trecho da MS-165, rodovia Sul-Fronteira
2021 começa movimentado no PROCON/MS com consumidores reivindicando seus direitos
Pandemia ainda não acabou: MS registra mais de mil casos em apenas um dia
Chuvas chegam no momento e quantidade certos e safra da soja deve superar 11,5 milhões de toneladas
Mesmo com vacina, população deve seguir em alerta sobre a Covid-19, afirma Reinaldo Azambuja
Governador faz balanço do primeiro dia de vacinação no MS
Enfermeira da UPA recebe 1ª dose da vacina contra Covid-19 e marca o início da Campanha da Vacinação em TL
Guerreiro indica Vereador Tonhão para líder do Executivo na Câmara Municipal
BOLETIM COVID-19: Três Lagoas tem 38 novos casos positivos nesta quarta-feira (20)
Em Naviraí, Polícia Militar intervém em ocorrência de violência doméstica e evita suicídio
Operação Hórus – Polícia Militar apreende 24kg de maconha e dois adolescentes por tráfico
PM de Corumbá prende dupla por estelionato durante policiamento ostensivo e preventivo no bairro Vila Mamona
Avaí vence o Juventude-RS de 5 a 2 e foca no G4 rumo à Serie A 2021
Sampaio vence o Confiança e mantém viva a chance de acesso
Botafogo – SP não supera CSA e perde de 3 a 1
Em casa Paraná é derrotado pelo Cuiabá e fica em situação muito complicada
Next
Prev

Mato Grosso do Sul

Covid-19: aumento no número de casos coloca 31 municípios em grau de risco no Prosseguir

Publicado


O Governo de Mato Grosso do Sul atualizou, excepcionalmente nesta semana, o grau de risco dos 79 municípios – referentes à 47ª semana epidemiológica do Programa de Saúde e Segurança da Economia (Prosseguir) e enviou novas recomendações aos prefeitos com validade até o dia 5 de dezembro. A iniciativa de antecipar a troca de bandeiras antes do fim da quinzena se deve ao expressivo aumento de municípios na faixa vermelha. Com relação à semana anterior (46ª), 38 municípios mantiveram, 10 municípios melhoraram e 31 municípios pioraram seu grau de risco. 

Secretário Riedel pede a colaboração da população para conter o avanço da doença no Estado

Para o secretário de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Côrrea Riedel, a situação é preocupante e requer atenção redobrada:  “Mais uma vez pedimos à população que não se aglomere e que observe as medidas de biossegurança para não sobrecarregarmos nosso sistema de saúde e, principalmente, comprometer a vida das pessoas. Infelizmente a pandemia está novamente em crescimento no nosso Estado e precisamos concentrar esforços neste combate”, enfatizou. “Há 16 dias tínhamos 206 pessoas internadas pela doença e hoje temos 406, praticamente o dobro. Estamos voltando ao mesmo patamar de quando a doença exigiu de todos nós um grande esforço para conter a doença”, alertou também o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, na live desta sexta-feira (27) de atualização dos dados do Covid-19 no Estado. 

Mapa Situacional

O mapa situacional das quatro macrorregiões de Saúde (Corumbá, Campo Grande, Três Lagoas e Dourados), referente à 47ª Semana Epidemiológica (15 a 21/11), apresenta 13 municípios na faixa de risco tolerável (amarela), 44 municípios no grau médio (bandeira laranja) e 22 no grau de risco alto (bandeira vermelha). Nenhuma cidade apresentou grau de risco extremo (bandeira cinza) ou baixo (bandeira verde).

Para gerar essa classificação, o programa avalia indicadores municipais relacionados à disponibilidade de leitos de UTI, quantidade de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), busca por contatos de casos confirmados, redução da mortalidade por Covid-19, disponibilidade de testes, incidência na população indígena, redução de casos entre profissionais da saúde, redução de novos casos, necessidade de expansão de leitos e situação de fronteira com país ou divisa com Estado que tenha aumento de casos.

Os mapas situacionais atualizadosrecomendações para os municípios e a distribuição das atividades econômicas por faixa de risco, estão disponíveis no site www.coronavirus.ms.gov.br (link prosseguir).

Sobre o Prosseguir – Programa do Governo Estadual que classifica os municípios em faixas de cores, de acordo com o grau de risco que cada cidade apresenta (de baixo a extremo), traz recomendações de medidas no âmbito da Saúde Pública, de Serviços Públicos e do Social a fim de nortear agentes da sociedade, principalmente entes públicos, a tomarem suas decisões e tornarem suas ações mais eficientes no combate à propagação e aos impactos da Covid-19.

Metodologia do Programa

Periodicidade – A cada duas semanas são enviados relatórios com recomendações para todos os municípios, baseadas nos dados do fim da semana (último sábado), obtidos pelo cruzamento dos indicadores de Vigilância Epidemiológica, Saúde e Impacto Econômico.

Alimentação dos Dados – A atualização dos dados que compõem os indicadores é de responsabilidade das Secretarias Municipais de Saúde de cada município, de forma que o atraso ou o não fornecimento das informações compromete a avaliação situacional do município.

Mudança de Bandeiras – Seguindo as recomendações da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), embora o monitoramento dos dados seja diário, com reunião semanal de análise, os municípios só podem mudar de cor (faixa) após 14 dias – mesmo que os dados diários indiquem a mudança de situação. Quando a mudança de situação for para melhor, a metodologia prevê que não se pode ‘pular’ faixas (por exemplo, mudar diretamente da faixa laranja para a verde sem passar pela amarela). Já quando a mudança de situação for para pior, permite-se ‘pular’ bandeiras (sair da amarela e ir diretamente para a vermelha, por exemplo), devido à urgência na adoção de medidas.

Classificação de Risco das Atividades Econômicas – A Classificação de Risco das Atividades Econômicas (em baixo, médio e alto) também pode ser alterada a qualquer momento pelo Comitê Gestor, pautada em justificativa técnica com foco na melhoria dos resultados da matriz de risco (conforme artigo 10 do Decreto nº 15.462 de 25/06/2020).

Divulgação – A atualização do mapa situacional será divulgada periodicamente no site www.coronavirus.ms.gov.br.

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica.
Mapa: Marketing/ Governo MS.

Fonte: Governo MS

Comentários Facebook

Mato Grosso do Sul

Na véspera de voltar ao seu habitat, onça pintada passa por exames e ganha colar

Publicado

por


 A onça pintada capturada na região da Serra do Amolar, em novembro do ano passado, e trazida para o CRAS (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) para curar as queimaduras sofridas no incêndio que atingiu o Pantanal, está prestes a retornar ao seu habitat. A soltura está programada para essa quinta-feira (21), no início da tarde, na mesma região em que foi encontrada. Antes, o animal passou pela última bateria de exames, foi pesada e ganhou um colar para monitoramento via satélite.

Os veterinários do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) montaram uma operação especial para os últimos procedimentos médicos e a soltura da onça. Na tarde dessa quarta-feira (20) o animal foi sedado e recolhidas amostras de sangue para exames. A pesagem mostrou uma recuperação excelente, na avaliação do responsável técnico do CRAS, veterinário Lucas Cazati. “Está com 87 quilos, praticamente dobrou o peso desde que chegou aqui”, conta.

Os exames realizados mostraram que a onça está pronta para voltar ao seu habitat

A onça – um macho com aproximadamente dois anos de idade – chegou ao CRAS no dia 4 de novembro, após ter sido resgatada por equipes de organizações não governamentais que atuam no Pantanal. “Estava debilitada, anêmica, com queimaduras de segundo e terceiro graus nas quatro patas, e os exames revelaram ainda pneumonia difusa aguda por conta da aspiração da fumaça e a presença de um projétil alojado na região da costela”, conta Lucas.

Eram, na verdade, duas onças aproximadamente da mesma idade que foram resgatadas na mesma ocasião. A outra, também macho, não resistiu e morreu horas depois de chegar ao CRAS. No exame de necropsia foi encontrado um projétil de arma de fogo alojado próximo aos pulmões, o que pode ter contribuído para o óbito, na opinião de Cazati. Essa outra onça também estava com os pulmões bastante comprometidos pela fumaça, com queimaduras nas patas e debilidade.

A reabilitação

A onça sobrevivente permaneceu por dois meses e meio no CRAS, passou por quatro baterias de exames “que demonstraram gradualmente a melhora do animal”. Nesse trabalho os técnicos do CRAS contaram com apoio de instituições como a UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e organizações não governamentais. As queimaduras nas patas foram tratadas com aplicação de ozônio e a cicatrização foi completa. “Já está de alta faz algum tempinho”, disse Cazati. Só aguardava o momento certo para retornar ao habitat. Enquanto isso, a onça consumia cerca de 7 quilos de carne por dia, demonstrando preferência por peixes.

O colar vai permitir o monitoramento via satélite do animal (Foto: João Prestes)

A volta à Serra do Amolar acontecerá nessa quinta-feira (21) em um avião da FAB (Força Aérea Brasileira). A onça volta com o dobro do peso e um acessório importante: um colar para monitoramento via satélite que vai permitir acompanhar seu deslocamento e saber se ela segue um padrão de atividade considerado normal para a espécie. O colar foi implantado pelo pesquisador da UFMS, Gediendson Ribeiro de Araújo, especialista no assunto, e será monitorado por pesquisadores do Cenap (Centro Nacional de Pesquisas e Conservação de Mamíferos Carnívoros) e do IHP (Instituto do Homem Pantaneiro).

A coleira contém uma bateria e um chip que a cada hora emite um sinal, capturado pelo satélite e retransmitido ao software de monitoramento. “O sinal nos permite saber qual o percurso transcorrido pelo animal durante o dia, se tem se alimentado, quantas horas tem descansado”. Com base em dados de outros felinos da espécie, é possível saber se essa onça estará apresentando um comportamento considerado normal. A bateria deve durar cerca de um ano e meio.

João Prestes, Semagro
Fotos: Edemir Rodrigues
Fonte: Governo MS

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso do Sul

Defesa Civil alerta: Com previsão de mais chuvas, população precisa ficar atenta

Publicado

por


A previsão do tempo, para os próximos dias, é de manutenção das áreas de instabilidades em Mato Grosso do Sul, o que deve provocar ainda mais chuvas em todo o Estado.

O município de Corumbá, por exemplo, já registrou três vezes mais volume de chuva do que o esperado para o mês que era de 145,4mm.  Nesta terça-feira, dia 19, Nioaque teve que decretar situação de emergência, foram 510 milímetros em apenas quatro dias. Resultado: enxurradas, alagamentos e inundações. Cerca de 60 pessoas foram desalojadas.

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedesc) está alertando à população, em especial as ribeirinhas, para que fiquem atentos. O subtenente Antunes orienta que se a água começar a invadir a residência é importante buscar abrigo imediatamente e entrar em contato com a Defesa Civil municipal.

A Defesa Civil de Mato Grosso do Sul possui um serviço gratuito para envio de alertas de desastres naturais. Os interessados podem enviar mensagem de texto para o número 40199 com o CEP da residência.

Katiuscia Fernandes – Subcom

Fonte: Governo MS

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

BRASILÂNDIA

POLICIAL

Mais Lidas da Semana