Três Lagoas-MS

  Últimas
Agepan e Sanesul ajustam procedimentos de Ouvidoria para melhorar atendimento
Governo apoia projeto de geração de renda com cerâmicas Kadiwéu
Polícia Militar cumpre mandado de prisão em Miranda
Suzano patrocina maior evento literário da América Latina
Ponte Preta encerra treinos para confronto com CSA
VÍDEO: PMA captura tamanduá-bandeira no bairro Monte Castelo em Campo Grande
Ex-Comandante do 2º Pelotão de Polícia Militar de Miranda recebe o título de cidadão Mirandense
Governo publica georreferenciamento do Parque Estadual do Pantanal do Rio Negro
MS fecha outubro com mais de 4 mil novos empregos formais; Comércio é destaque
Técnico Cuca retorna a sua função no Santos após Covid-19
Athletico encerrara preparação para enfrentar o Palmeiras
Policiais Militares da 11ª CIPM/RU-Segredo apreendem cinco armas, mais de 40kg de drogas e três foragidos da justiça nos últimos cinco dias
Neighbor Hero, game para combater o Aedes Aegypti, é lançado na ALEMS
Rony participa de todos os gols contra Delfín na Libertadores
Polícia Militar em Caracol cumpre Mandado de Prisão durante atendimento de ocorrência
Polícia Militar em Bela Vista prende homem por Dirigir Veículo Automotor Sob a Influência de Álcool
Polícia Militar Ambiental de Campo Grande captura tamanduá-bandeira em terreno no bairro Monte Castelo
Mais de 2 mil homens reforçam a segurança no Estado durante as festas de fim de ano
Taxa de contágio volta a subir no MS, e chega a 0,99
Serra com curva perigosa na MS-306 em Costa Rica recebe redutores de velocidade
Flamengo inicia preparação para o jogo da volta contra o Racing
Nota de Pesar
Policiais Militares em ação conjunta com fiscal da Receita Federal realizam apreensão de drogas em Corumbá
Polícia Militar em Jardim cumpre um Mandado de Prisão durante abordagem
PMMS lança a Operação Boas Festas 2020
Polícia Militar apreende contrabando que iria para a Capital
BOLETIM COVID-19: Saúde de Três Lagoas registra 13 casos positivos e mais 10 recuperados sexta-feira (27)
Com 5.783 exames prontos, Secretaria de Saúde faz apelo para que municípios encerrem casos no sistema
MS registra 6 óbitos por coronavírus em 24 horas, com 1.754 mortes desde o início da pandemia
GAECO e MPMS cumprem sete mandados de busca e apreensão em Água Clara
Next
Prev

Esportes

Coluna – Primeiro mergulho

Publicado


Há uma semana, a etapa de Berlim (Alemanha) marcou a volta da World Series (Circuito Mundial de Natação Paralímpica) após cerca de oito meses de interrupção, devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19). Apesar de o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) não ter enviado delegação, o Brasil foi representado pelo paranaense João Lucas Bezerra, de 20 anos, entre os cerca de 400 nadadores de 11 países que estiveram na capital alemã. 

O nadador da classe S9 (deficiência físico-motora) disputou cinco provas e conquistou a medalha de bronze dos 50 m borboleta, prova na qual alcançou a final B, que reúne atletas que obtiveram do nono ao 16º melhor tempo das eliminatórias. Ele também foi a final B nos 400 metros livre e nos 100 m costas, além de atingir a melhor marca da vida nos 50 m livre: 29 segundos e 66 centésimos.

“Foi muito bom, uma experiência única estar na primeira competição desde a pandemia. Pude aprender como é uma competição europeia, mais acirrada, com eliminatória de manhã e a final à tarde”, diz João, que foi atropelado aos 15 anos, teve amputação total da perna direita e entrou para a natação há quatro anos. “O desempenho foi excelente em algumas provas. Em outras, tenho ainda muito o que arrumar”, completa o jovem de Rio Branco do Sul (PR).

Ouça na Rádio Nacional

“A competição foi justamente para quantificar e entender o resultado dos treinos. Eu creio que o João é o único brasileiro a competir [internacionalmente] desde março. É importante essa retomada”, avalia T. Segundo ele, o saldo foi positivo, ainda mais considerando as restrições de treinamento da pandemia.

“No início, conseguimos trabalhar por um tempo na academia de um conhecido, que abriu a piscina só para ele. Depois, fechou tudo novamente e o João passou mais de um mês sem treinar na água, com manutenção de força e treinos físicos. Aí, conseguimos que ele retornasse àquele ambiente e treinasse por mais tempo, quase três meses”, conta Rui.

Nadador, João Lucas BezerraNadador, João Lucas Bezerra

Rui Menslin, técnico da PUCPR, ao lado do nadador Lucas Bezerra, que representou o Brasil na etapa Berlim, da World Series – Rui Menslin/Arquivo Pessoal

A liberação para realização da competição veio em setembro. A partir daí, João e Rui correram para viabilizar a ida a Berlim, em meio às restrições para entrada de estrangeiros na União Europeia. “Tivemos que realizar os testes [da covid-19] 48 horas antes de pisar lá e os resultados tinham que sair negativos. Foi bem estressante, porque as passagens e a hospedagem já estavam compradas e não tínhamos certeza de que daria certo. Seria dramático se não desse, com o valor do euro nas nuvens”, recorda o técnico.

O torneio não teve público liberado e o número de participantes foi limitado. Além disso, nadadores, comissão técnica, organização e voluntários teriam que seguir medidas de segurança sanitária durante o evento. “Precisávamos sempre manter distância de 1,5 m, ter a temperatura medida na chegada, evitar contato com outras pessoas e usar máscara até mesmo na borda da piscina”, descreve João. 

A competição reuniu vários medalhistas de ouro no Mundial do ano passado, principalmente alemães e espanhóis. Devido ao controle da pandemia ter se dado antes na Europa que no Brasil, atletas do Velho Continente puderam retomar as atividades antes. O que, para Rui, não teve grande impacto. “Ninguém teve tempo para um treino mais sólido. A gente percebeu poucos recordes alemães ou de jovens. Mesmo os [nadadores] que a gente conhece ainda estão nadando abaixo”, avalia o técnico.

“Claro, alguns tiveram o privilégio de treinar em piscina há mais tempo, então, querendo ou não, há diferença. Mas não acho que a discrepância foi tão grande”, concorda o nadador.

Jogos em vista

João, é claro, sonha com a Paralimpíada de Tóquio (Japão) em 2021. O desafio é atingir os índices do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, sigla em inglês) e do CPB – que são mais exigentes que os internacionais. Nos 50 m livre, por exemplo, a marca mínima do IPC na classe S9 é de 26 segundos e 74 centésimos. Isso significa que o paranaense tem de baixar em pouco mais de dois segundos o tempo que alcançou em Berlim para se credenciar aos Jogos.

“Brigar por Tóquio é muito complicado por conta do meu começo de treino. São só quatro anos. Outros atletas da minha classe tem 10, 11 anos de experiência. Ainda sou novo, tenho de treinar. Outros ciclos vão se iniciar. Penso nisso [Tóquio] todo dia e nado por isso. Mas sei que é complicado”, reconhece o nadador. “Escutei muito do Rui para manter os pés no chão e aprender a cada dia”, completa.

Nadador, João Lucas BezerraNadador, João Lucas Bezerra

Paranaense, de 20 anos, conquistou a medalha de bronze dos 50 m borboleta na etapa Berlim, da  World Series – Rui Menslin/Arquivo Pessoal

Por outro lado, a luta por vaga nos Jogos de Paris (França), daqui a três anos, é uma realidade considerada mais concreta pelo técnico “Em função da idade, da estrutura, do crescimento dele, não tenha dúvida que ele brigará sim por 2024. Esse ano, ainda temos um bom percurso até a seletiva [para Tóquio], em março, abril ou maio. Os índices são baixos, fortes, então vamos planejar para 2021, mesmo sabendo das dificuldades. Em cima disso, caso não ocorra, a gente replaneja e reestrutura para 2024, onde as possibilidades são grandes e claras”, conclui Rui.

World Series

A etapa alemã seria a sétima e última do Circuito Mundial, iniciado em fevereiro, na Austrália – que não teve a participação de brasileiros. As cinco disputas seguintes foram suspensas ou canceladas, em razão da pandemia. Entre elas, a de São Paulo (terceira), que seria em abril, no Centro de Treinamento Paralímpico. O CPB chegou a enviar 19 atletas para a etapa de Lignano Sabbiadoro (Itália), mas eles só foram informados que o evento não ocorreria ao chegarem no país europeu.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

Comentários Facebook

Esportes

Ponte Preta encerra treinos para confronto com CSA

Publicado

por


A Ponte Preta treinou na quinta e já segue para Alagoas, onde enfrentará no sábado o CSA – na sexta-feira, o elenco fará o último treinamento na cidade de Maceió. A um ponto do G4 e invicta há cinco partidas, a Macaca tem chance de, como fez no primeiro turno, engatar uma nova boa sequência de vitórias (na ocasião, a Ponte venceu Oeste, CSA e Sampaio Correia). A tarefa, porém, não é simples, como alerta o atacante Bruno Rodrigues.

“Esperamos mais uma partida difícil, até porque não tem jogo fácil no campeonato. Eles buscam se aproximar da zona de acesso e a gente quer entrar no G4 o quanto antes, então acredito que vai ser um confronto bem aberto, com oportunidades para os dois lados. Temos que aproveitar o máximo que a gente criar pra sair com o resultado positivo fora de casa”, afirma.

O atacante comenta ainda o resultado da última rodada, na qual, apesar de não ter balançado as redes, mais uma vez o jogador participou da jogada que gerou o gol, anotado pelo lateral Apodi, que garantiu a vitória no Majestoso.

“Apesar do Oeste não estar tão bem na Série B, sabíamos que seria uma partida complicada, porque eles vinham de vitória e nós estávamos buscando retomar esse caminho também. Graças a Deus pude ajudar a equipe com a assistência, mas o mais importante foram os três pontos conquistados e seguir na briga pelo G4. Temos que manter esse foco pra continuar na parte de cima da tabela”, finaliza.

Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Técnico Cuca retorna a sua função no Santos após Covid-19

Publicado

por


Após a vitória por 2 a 1 sobre a LDU na última terça-feira (24), em Quito, no Equador, pelo duelo de ida das oitavas de final da Conmebol Libertadores de 2020, o Santos FC voltou a treinar na tarde desta quinta (26). E a principal novidade do trabalho no CT Rei Pelé foi o retorno do técnico Cuca, dos auxiliares Cuquinha e Eudes, e do preparador físico Omar Feitosa.

O quarteto estava em isolamento após testar positivo para Covid-19. Cuca, por sua vez, chegou a ficar nove dias internado em um hospital de São Paulo. O zagueiro Luiz Felipe, titular no triunfo sobre a LDU, vibrou com o retorno do comandante e dos membros da comissão técnica.

“Estamos felizes de mais em ver todos eles de volta. A gente sabe o quanto o professor Cuca queria estar aqui esses dias e não pôde. É uma doença que está tirando a vida de milhares de pessoas no mundo todo, então ficamos bem preocupados. Por isso é uma felicidade muito grande ter todos eles novamente trabalhando aqui no CT”, afirmou o defensor.

Podendo perder até por 1 a 0 na volta, o Peixe recebe a LDU na próxima terça (1), às 19h15, na Vila Belmiro. Antes disso, porém, a equipe encara o Sport neste sábado (28), às 17h, também na Vila, em duelo válido pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2020.

“No Santos FC não temos somente 11 titulares. Nosso grupo prova sua força a cada dia e pude ajudar a equipe a conquistar a vitória lá no Equador, mas ainda não tem nada ganho. Porém, já conversamos internamente sobre o foco do momento ser o Sport, falamos sobre a importância da vitória nesse jogo para voltarmos até a parte de cima da tabela. O Sport está em uma situação complicada e vem aqui para ganhar o jogo. Temos que fazer valer o fator casa para voltar lá pra cima”, concluiu Luiz Felipe.

O elenco do Santos FC realiza o último treino antes do duelo com o Leão na manhã desta sexta-feira (27), no CT Rei Pelé.

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

BRASILÂNDIA

POLICIAL

Mais Lidas da Semana