TRÊS LAGOAS-MS
  Últimas
Com lotes a partir de R$ 200, SAD fará leilão de 38 lotes de veículos e sucatas de veículos em julho
Canoístas de MS disputam Campeonato Brasileiro de Descida Sprint e buscam vaga ao Mundial
UEMS está com inscrições abertas para bolsas de iniciação científica no valor de R$ 400
Às vésperas do inverno, Mato Grosso do Sul registra grande contraste nas temperaturas 
Servidores Estaduais têm descontos exclusivos nos serviços oferecidos pelo SESC MS
Sejusp descarta fuga de assassino de Goiás para MS, mas mantém alerta
Policiais Militares da 11ª CIPM prendem criminoso com mandado de prisão em aberto por homicídio qualificado
Polícia Militar recupera veículo furtado em Três Lagoas.
Polícia Militar prende autor de Tráfico de Drogas em Três Lagoas.
PRF apreende 469,9 Kg de maconha em Ivinhema (MS)
Com Patrick de Paula e Danilo Barbosa, Verdão treina transições visando América-MG
PRF apreende 176 Kg de maconha e 85 Kg de skunk na BR-060
Três Lagoas registra 112 novos casos Covid-19 e confirma 03 óbitos nesta sexta-feira (18)
Pessoas com mais de 48 anos serão vacinadas contra Covid-19 neste sábado; gestantes e puérperas, agenda abre na segunda (21). SMS lança pré-cadastro para adolescente de 12 a 17 anos com comorbidades
Polícia Militar Ambiental de Bela Vista captura tucano em residência e o reintroduz na natureza
Polícia Militar cumpre mandado de prisão por duplo homicídio em Campo Grande
Polícia Militar Ambiental de Aquidauana prende infrator por porte ilegal de arma de caça e também o autua em R$ 1 mil por uso de motosserra ilegal
Atacante Hélio Borges é apresentado oficialmente: “Sonho em fazer história no Ceará”
Arrecadação do FEHIS apresenta quinta alta consecutiva
Em homenagem ao Dia da Imigração Japonesa, Meio Ambiente realiza plantio de cerejeiras na Lagoa Maior
Riedel verifica prioridades demandadas por Paranaíba no Governo Presente
Arana é convocado para os Jogos Olímpicos de Tóquio
Nene celebra gol no centésimo jogo pelo Flu: “Fico muito feliz”
Com o auxílio de cães farejadores Polícia Militar apreende cigarros contrabandeados
Polícia Militar Ambiental de Corumbá resgata filhote de veado perdido em área de mata de condomínio na cidade
Prefeito autoriza pavimentação de mais nove trechos do bairro Novo Aeroporto
Além das 05 já existentes, Três Lagoas ganha mais 04 Unidades de “Saúde na Hora” atendendo até às 19h. Todas terão vacinação no horário estendido
Gestantes a partir de 18 anos, com ou sem comorbidades, poderão ser vacinadas contra Covid-19 em MS
Governo do Estado destina equipamentos para 10 novos leitos de UTI em Três Lagoas
Polícia Militar flagra produtos de descaminho em veículo que seguia para Dourados
Next
Prev

Brasil

Brasil registra mais de 2,4 mil mortes em 24 horas e passa de 465 mil óbitos pela covid-19

Publicado

As autoridades de saúde registraram no Brasil 78.926 novos casos de covid-19. Segundo o levantamento diário sobre a pandemia, foram confirmadas em 24 horas 2.408 mortes resultantes da doença.

Os dados estão na atualização diária do Ministério da Saúde, divulgada na noite desta terça-feira (1º). O balanço sistematiza as informações coletadas por secretarias estaduais de Saúde sobre casos de covid-19 e mortes provocadas pela doença.

Com os novos dados acrescidos às estatísticas, o número de pessoas contaminadas pelo coronavírus desse o início da pandemia chegou a 16.624.480. Ontem (31), o painel de informações do Ministério da Saúde trazia 16.545.554 casos acumulados. O país tem ainda 1.901.135 casos ativos, em acompanhamento.

Com as novas mortes confirmadas, o número de óbitos alcançou 465.199. Ontem, o número de mortes decorrentes de complicações relacionadas à covid-19 estava em 462.791.

Ainda há 3.885 falecimentos em investigação. O termo é empregado pelas autoridades de saúde para designar casos em que um paciente morre, mas a causa segue sendo apurada mesmo após a declaração do óbito.

O número de pessoas que pegaram covid-19 e se recuperaram desde o início da pandemia chegou a 15.068.146. Isso corresponde a 90,6% do total dos infectados pelo vírus.

Os números são em geral mais baixos aos domingos e segundas-feiras em razão da menor quantidade de funcionários das equipes de saúde para realizar a alimentação dos dados. Já às terças-feiras os resultados tendem a ser maiores pelo envio dos dados acumulados.

Boletim/situação epidemiológica da covid 19 no Brasil/01.06.2021
Divulgação/Ministério da Saúde

Estados

ranking de estados com mais mortes pela covid-19 é liderado por São Paulo (112.210). Em seguida vêm Rio de Janeiro (50.840), Minas Gerais (40.556), Rio Grande do Sul (28.354) e Paraná (26.631). Os estados com menos vidas perdidas para a pandemia são Roraima (1.639), Acre (1.669), Amapá (1.702), Tocantins (2.889) e Alagoas (4.768).

Mato Grosso do Sul são 6.867 mortos.

Vacinação

Até o momento, foram distribuídos a estados e municípios 96,9 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Deste total, 63,7 milhões de doses foram aplicadas, sendo 43,5 milhões da primeira dose e 20,2 milhões da segunda.

Comentários Facebook

Brasil

Covid-19: casos sobem para 17,7 milhões e mortes, para 496 mil

Publicado

A quantidade de pessoas infectadas pelo novo coronavírus desde o primeiro caso, em fevereiro de 2020, subiu para 17.702.630. Nas últimas 24 horas, foram registrados pelas autoridades de saúde 74.042 novos diagnósticos positivos da covid-19. O país tem ainda 1.129.143 casos ativos, em acompanhamento.

Já o total de vidas perdidas para a pandemia foi para 496.004. Entre ontem e hoje, secretarias de saúde confirmaram 2.311 novas mortes por covid-19.

Ainda há 3.758 óbitos em investigação. O termo é empregado pelas autoridades de saúde para designar casos em que um paciente morre, mas a causa segue sendo apurada mesmo após a declaração do óbito.

Os dados estão na atualização diária do Ministério da Saúde, divulgada na noite desta quinta-feira (17). O balanço é produzido a partir das informações sobre casos e mortes recolhidas pelas secretarias estaduais de saúde.

O número de pessoas que foram infectadas mas se recuperaram desde o início da pandemia alcançou 16.077.483. Isso corresponde a 90,8% do total dos infectados pelo vírus.

Os números são em geral mais baixos aos domingos e segundas-feiras em razão da menor quantidade de funcionários das equipes de saúde para realizar a alimentação dos dados. Já às terças-feiras os resultados tendem a ser maiores pelo envio dos dados acumulados.

Estados

O ranking de estados com mais mortes pela covid-19 é liderado por São Paulo (120.524). Em seguida vêm Rio de Janeiro (53.750), Minas Gerais (43.814), Rio Grande do Sul (30.163) e Paraná (29.199). Já na parte de baixo da lista, com menos vidas perdidas para a pandemia, estão Roraima (1.692), Acre (1.725), Amapá (1.790), Tocantins (3.061) e Alagoas (5.074).

Boletim epidemiológico mostra a evolução dos números da pandemia no Brasil.
Boletim epidemiológico mostra a evolução dos números da pandemia no Brasil. – Ministério da Saúde

Vacinação

Até o momento, foram enviadas a estados e municípios 114,2 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Deste total, foram aplicadas 78,2 milhões de doses, sendo 56,1 milhões da 1ª dose e 22,1 milhões da 2ª dose.

Comentários Facebook
Continue lendo

Brasil

Covid-19: mortes voltam a passar de 2 mil por dia na média móvel

Publicado

Depois do pico em abril e uma queda em maio, a última semana registrou alta nos casos e nos óbitos por covid-19 no Brasil. Os dados do Monitora Covid-19, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), registraram, nessa quarta-feira (16), uma média móvel de sete dias para os óbitos pela doença de 2.025,43 pessoas. Desde 11 de maio, essa média estava abaixo de 2 mil.

O pico da segunda onda ocorreu entre 1º e 14 de abril, quando a média móvel registrou sete vezes números acima de 3 mil mortes. As maiores médias ocorreram nos dias 1º de abril, com 3.117,43 óbitos, e em 12 de abril: com 3.123,57. Uma queda acentuada foi verificada até o dia 6 de junho, quando a média móvel de óbitos ficou em 1.639 e desde então voltou a subir.

No ano passado, a média móvel de mortes por covid-19 ficou por volta de mil por dia entre 25 de maio e 25 de agosto. A redução ocorreu até novembro, quando, no dia 11, houve um mínimo de 323,86 óbitos na média móvel de sete dias. 

Até o dia 9 de janeiro o aumento foi gradual, chegando ao patamar de mil mortes por dia até 21 de fevereiro, quando a curva passou por um aumento acentuado até o pico do início de abril.

No estado de São Paulo, a média móvel de óbitos ficou acima de 700 entre 3 e 21 de abril, com queda acentuada até 15 de maio, quando houve 478 mortes. Entre 4 e 10 de junho, a média ficou abaixo de 500 óbitos e ontem foram 563,57. 

O Rio de Janeiro teve média acima de 200 mortes por dia entre 1º de abril de 25 de maio, chegou a um mínimo de 136,57 no dia 7 de junho e voltou a subir, atingindo 210,71 no dia 14. Ontem foram 197,43 óbitos na média móvel. No Distrito Federal, o pico de óbitos ocorreu no dia 4 de abril – 75,86 – e se mantém estável por volta de 20 mortes diárias desde o dia 22 de maio.

Casos

A curva de casos de covid-19 do monitoramento da Fiocruz aponta para uma média móvel acima de 60 mil por dia desde 6 de março, ficando acima de 70 mil entre 12 de março e 14 de abril, com poucos dias abaixo disso nesse período.

A queda nos registros ocorreu até o dia 25 de abril, com o mínimo de 56.816,57, passando por uma subida gradual até 26 de maio, nova queda até 9 de junho e, nos últimos dois dias, a média móvel voltou a passar de 70 mil casos, com 72.244,43 registrados ontem (16).

Na primeira onda da covid-19 no Brasil, o registro de casos ficou acima de 30 mil entre 20 de junho e 21 de setembro, com pico acima de 40 mil entre 24 de julho e 19 de agosto. A queda nos registros ocorreu até 6 de novembro com o mínimo de 16.727.

São Paulo registrou um pulo na curva, passando de 9.688,14 casos em 9 de junho para 18.217 ontem. No Rio de Janeiro, após o pico de 5.578,57 casos em 8 de maio, o estado teve queda até o dia 28 de maio e se mantém estável desde então entre 2.600 e 3.600 casos na média móvel de sete dias. O Distrito Federal mantém a média móvel por volta de 900 casos diários desde o dia 5 de maio.

O mapa da Fiocruz de tendência da doença no Brasil aponta crescimento de casos em Rondônia, Roraima, Amapá, Rio Grande do Norte, Goiás e São Paulo. Os demais estados estão com tendência de manutenção. Para óbitos, Paraná e Rondônia têm tendência de alta, os demais mantêm estáveis os níveis de óbitos.

Por Agência Brasil

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

BRASILÂNDIA

POLICIAL

Mais Lidas da Semana