TRÊS LAGOAS MS
  Últimas
Polícia Militar Ambiental de Campo Grande captura jiboia de mais de 1 metro em residência
Rayssa Leal e Pâmela Rosa encerram Pro Tour fora do pódio
Duda Sampaio e Natascha defenderão Brasil na Copa América Feminina
Vasco e Sport empatam em Maracanã lotado
Diante do Atlético-GO, São Paulo volta a vencer no Brasileiro
Polícia Militar realiza formatura do Proerd Kids no Município de Anaurilândia.
Polícia Militar Ambiental de Campo Grande captura tamanduá-bandeira passeando pelas ruas do bairro Caiobá
Brasileiros perdem nas duplas e país está fora de Wimbledon
Série B: Ponte Preta e Tombense ficam no 0 a 0 em Campinas
Cuiabá derrota o Avaí em Florianópolis e deixa o Z4
PMA do Grupamento de Águas do Miranda fiscaliza 14 embarcações e 57 pescadores, orientam turistas e apreendem petrechos ilegais de pesca
PMA e UCDB entregam amanhã (4) às 14h00 para o Biobarque Pantanal, onça-pintada, arara e filhote de anta taxidermizados para uso em Educação Ambiental
Polícia Militar 9°CIPM/CPA1 impede Estelionato contra idosa em Dourados
Polícia Militar de Caarapó da 9ªCIPM/CPA-1 recupera produtos de furto e prende autor
Em dois meses, 27 países fincaram suas bandeiras no Bioparque Pantanal
Primeiro pagamento por serviços ambientais motiva setores produtivos de Bonito e Jardim
Rayssa Leal e Pâmela Rosa disputam final do Pro Tour de skate street
Em um Maracanã lotado, Vasco recebe o Sport pela Série B
Palestra e oficina interativa no MIS buscam discutir o saber-fazer Guarani e Kaiowá
Reeducandos do Centro Penal da Gameleira trabalham na reforma da Unei Dom Bosco
Domingo segue com previsão de tempo estável, com máxima de até 35°C no Estado
Com assinatura de convênios, produtores já podem receber 1ª parcela do PSA de Jardim e Bonito
Big Data: Fundtur MS e Sistema Comércio criam plataforma de inteligência turística
Dourados: projetos da Coronel Ponciano e do terminal de passageiros avançam
Athletico-PR bate Palmeiras fora de casa e assume vice-liderança
Gabriel decide e Flamengo derrota Santos na Vila Belmiro
Com time alternativo, Atlético-MG derrota Juventude por 2 a 1
Brasileiro: Fluminense goleia Corinthians e dá salto na classificação
Polícia Militar Rodoviária apreende carga de maconha, na MS 164, em Maracaju
Polícia Militar Ambiental de Rochedo apreende caminhão com 29 m³ de madeira ilegal e autua proprietário em 8,6 mil
Next
Prev

Saúde

24h pelo Glaucoma

Publicado

MS Visão promove ação de alerta à população no Shopping Campo Grande

Com o intuito de alertar a população sobre a importância dos exames oftalmológicos de rotina, o oftalmologista Arthur Resende, representando a SBG (Sociedade Brasileira de Glaucoma) no Mato Grosso do Sul, realiza no Shopping Campo Grande, no dia 21 de maio, uma campanha de orientação relacionada ao glaucoma, já que estamos no MAIO VERDE – mês de Combate ao Glaucoma e no dia 26 de  maio é o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma.

De acordo com o oftalmologista especialista em Glaucoma envolvido com a ação, as pessoas precisam ficar mais atentas, pois a doença não tem cura, mas na maioria dos casos pode ser controlada satisfatoriamente com tratamento apropriado. “É importante que as pessoas saibam que é uma doença silenciosa e que quando o paciente percebe os sintomas, pode ser tarde demais”, alerta, ressaltando que atualmente existem inúmeras formas de tratamento e controle da doença.

Durante a ação da SBG serão realizados exames de medida da pressão ocular da população, assim como fotografia do fundo do olho. Ao todo, cerca de 2 profissionais participarão da ação, de maneira totalmente voluntária.

Dados – O glaucoma é a segunda maior causa de cegueira total em todo o mundo, com cerca de 2,4 milhões de novos casos registrados a cada ano. A única prevenção é a consulta anual ao oftalmologista, onde o profissional irá realizar exames específicos para verificar sua saúde ocular.

De acordo com a SBG, é importante ficar atento ao histórico familiar, pois cerca de 30% dos pacientes que sofrem com esta doença possuem algum caso anterior na família.

  • As chances de ser portador de Glaucoma aumentam com a idade:
  • Geralmente apresenta-se em pessoas com mais de 35 anos;
  • Uma em cada 50 pessoas com mais de 35 anos possui glaucoma*;
  • Três em cada 100 com mais de 65 anos tem glaucoma*;
  • Uma forma muito rara de Glaucoma pode ocorrer em crianças
Comentários Facebook

Saúde

MS investiu R$ 1,9 bilhão em saúde em 2021, aponta Observatório Econômico

Publicado

Segundo estudo realizado pelo Sindifiscal/MS o aumento foi de 128% nos últimos 10 anos
 

Na última década, os investimentos da administração pública estadual no setor da saúde, cresceram 128,26%, segundo levantamento do Observatório Econômico, realizado pelo Sindicato dos Fiscais Tributários do Estado de Mato Grosso do Sul (Sindifiscal/MS). O levantamento foi obtido por meio de análise de informações e dados disponibilizados pela própria gestão estadual de Saúde.

Vale ressaltar que a linha do Limite Constitucional Anual, pertinente à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), confere proveito mínimo de 12% da Receita Líquida de Impostos (RLI), do montante de recursos destinados para as despesas da Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul (SES MS). 

Apesar do crescimento no montante dos últimos 10 anos, o estudo aponta queda de 12,63% na participação da despesa com pessoal. Portanto, observa-se que, desde a última década, houve diminuição gradual nos custos públicos da Saúde com funcionários, de 31,94% em 2012 para 19,31% em 2021.

Em contrapartida, houve maior participação do investimento na terceirização de empresas para o Setor da Saúde, de 4,71% em 2012 a 28,82% em 2021, ou seja, aumento de 24,11%, com maior registro em 2020, quando atingiu 32%. “Por meio da análise é possível apontar crescimento expressivo dos custos no fim de 2019 até 2020-2021. Diante disto, verifica-se que o custo dos serviços de Saúde por habitante no Estado aumentou em mais de 100% ao longo dos últimos 10 anos, destacando forte incremento no período da pandemia”, avalia o presidente do Sindifiscal/MS, Chiquinho Assis.

Impactos da pandemia – A taxa de despesa total do Setor da Saúde por habitante ampliou 17,4% de 2021 e 2020, tendo influência direta o impacto da pandemia sobre esse acréscimo, enquanto foi de 38,27% de 2019 para 2021.

Em 2020, no primeiro ano da pandemia, foi repassado da União para o Estado de Mato Grosso do Sul um total de R$859.529.722,00, enquanto no ano seguinte foram computados R$57.004.621,00, ou seja, 6,63% da quantia do ano anterior. “Destacamos que o estudo estabelece o valor das despesas empenhadas no Setor da Saúde em MS, em relação à Receita Líquida de Impostos computada no período de execução. Por fim, no ano de 2022 a previsão da Lei Orçamentária Anual (LOA) compartilha um total de R$1.822.746.800,00 para as despesas na área da Saúde, o que significa uma queda percentual de 4,3% frente aos 1.9 bilhões de despesas no ano passado”, avalia o presidente do Sindifiscal-MS.

Outro fator que merece destaque na análise, é que a A Secretaria de Governo do MS (SEGOV), por meio da Secretaria de Gestão Estratégica (SGE), vem implementando há alguns anos a metodologia PMBOK® (Project Management Book of Knowledge®), que especifica o uso de indicadores e objetivos a serem contemplados no chamado “Gerenciamento de Projetos”.

Esta ferramenta de gestão preconizada na referida publicação pretende orientar as administrações privadas e públicas no sentido da maximização dos resultados, tendo suas respectivas ações condicionadas pela gestão criteriosa e tempestiva de cada projeto a ser executado. Nesse contexto, a SES formalizou contratos regulares de gestão para que as ações governamentais pudessem ser mensuradas e traduzidas em números concretos.

Entre as metas formalizadas para os exercícios de 2021, pela Secretaria de Saúde do Estado de Mato Grosso do Sul, apresentam saldo positivo o percentual de cobertura vacinal de público estimado contra a Covid-19, que alcançou 90%; o percentual de cobertura populacional de Atenção Primária à Saúde, que atingiu 79%; a variação percentual de óbitos maternos, que apresentou redução de 25% e ainda: o registro de 150 novos leitos de UTI destinados a SRAG/Covid-19 e a quantidade total de novos leitos hospitalares para as regiões interioranas do Estado (Corumbá, Dourados, Três Lagoas, Ponta Porã, Jardim e Caarapó), que registrou 370 novos leitos.

Portanto, pelo estudo analisado pelo Observatório Econômico, observou-se que, embora as metas estabelecidas na lei orçamentária anual tenham sido parcialmente alcançadas, a Secretaria Estadual de Educação ainda possui diversos desafios a serem superados.

Observa-se a meta relacionada à aplicação e implementação do Vacinômetro, com prazo de cumprimento até dezembro/2021, sendo devidamente cumprida. Houve aplicação efetiva, com sucesso, de alguns projetos apresentados – disponível no portal da SES MS – da Estratégia Rastrear MS, também disponível no site, das resoluções da Opera e Examina MS, bem como das ações de Drive Thru de combate à Covid-19 nos municípios sul-mato-grossenses “Alguns projetos estão atrasados, como a reforma do edifício do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul e a respectiva ampliação do Centro Médico localizado, por consequência da pandemia, uma vez que diversas áreas de trabalho que estavam presentes na reforma do prédio foram paralisadas. A diretoria busca a finalização da obra em 2022, juntamente com o governo estadual”, pontua Chiquinho Assis, presidente do Sindifiscal-MS.

Por fim, a análise de dados realizada pelo Observatório Econômico aponta que outra entrega da gestão estadual para a Saúde foi o projeto da campanha de vacinação da população indígena. A campanha de vacinação dos indígenas de Mato Grosso do Sul avançou por meio de parceria entre o Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) e o governo do MS.  Essas atividades conjuntas garantiram a vacinação de 26% da população em janeiro de 2021, e de 100% população alguns meses depois, obtendo a concretização da mencionada parceria DSEI-governo do MS.

Sobre o Observatório Econômico – Estrutura pertencente ao Sindifiscal-MS, o levantamento foi lançado em 2015, com o objetivo de  monitorar a economia do Estado de Mato Grosso do Sul, por meio de pesquisas estudos técnicos com informações e propostas que possibilitem a atuação da entidade e municípios no cenário governamental.

Estudo completo acesse aqui

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Nova subvariante do coronavírus é identificada em São Paulo

Publicado

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A identificação de uma nova subvariante do Sars-CoV-2, vírus que causa a Covid, foi confirmada nesta quarta-feira (27) na cidade de São Paulo. Segundo a rede de laboratórios Dasa, a descoberta é proveniente da amostra uma criança que tem três anos de idade. O material foi coletado em 16 de fevereiro de 2022 para um exame do tipo RT-PCR.

Segundo o laboratório, essa recombinação do coronavírus é proveniente de outras duas subvariantes já detectadas da ômicron a BA.1 e BA.2.

O laboratório afirma que a sublinhagem ainda não havia sido identificada em nenhum lugar do mundo e que não estava catalogada na Gisaid, plataforma que consolida dados genômicos do vírus de mais de 70 países. O registro na plataforma já foi providenciado, segundo a Dasa.

Ainda de acordo com a rede de laboratórios, o Instituto Adolfo Lutz, ligado à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, que atua nas áreas de vigilância sanitária, epidemiológica e ambiental, também foi notificado a respeito da nova sublinhagem.

Mesmo que tenha ocorrido essa descoberta, isso não indica, porém, que a sublinhagem já seja categorizada como uma nova subvariante.

“Para que seja reconhecida como uma nova linhagem recombinante é necessário que pelo menos cinco amostras de diferentes indivíduos contenham este recombinante”, afirmou o laboratório em nota oficial.

Além desse sequenciamento, a Dasa confirmou outros dois novos casos da subvariante ômicron XE no Brasil, identificados em duas pessoas que realizaram testes em laboratórios da rede.

O primeiro caso dessa subvariante foi registrado no Brasil em 7 de abril. Ela também é um híbrido das cepas BA.1 e BA.2. Antes disso, ela havia sido identificada inicialmente em janeiro no Reino Unido.

Segundo um levantamento feito recentemente pelo ITPS (Instituto Todos Pela Saúde), a subvariante BA.2 da ômicron é majoritária entre os casos de Covid no Brasil, representando quase 70% das amostras analisadas em diagnósticos feitos entre os dias 3 e 9 de abril.

Comentários Facebook
Continue lendo

TRÊS LAGOAS

CÂMARA DE TRÊS LAGOAS

Assembléia Legislativa MS

Mato Grosso do Sul

POLICIAL

Mais Lidas da Semana